02/10/2015 | 11h17

O DIA EM QUE OS VEICULOS NÃO CIRCULARAM

 Nesta data a população seria estimulada a fazer uso do transporte coletivo, da bicicleta e até mesmo da caminhada para locomoção dentro da cidade. Todos seriam encorajados a postar e compartilhar suas fotos nas redes sociais, mostrando assim seu percurso e adesão à campanha.

 Seria uma maneira de conscientizar a população, que deixaria o carro ou moto na garagem, pelo menos por um dia, e usaria um meio alternativo de transporte. Com certeza seria uma experiência ímpar, que nos permitiria enxergar coisas que não percebemos quando estamos dirigindo.

O Dia Mundial Sem Carro começou na França em 1997 e logo se espalhou pelo mundo com objetivo de desacelerar o uso excessivo dos automóveis e motocicletas, que têm colaborado de forma negativa para o crescente número de acidentes fatais e doenças ligadas à poluição do ar, estresse e o sedentarismo.

Nas metrópoles, o transporte coletivo constitui o principal meio de locomoção da população, sobretudo daqueles de menor poder aquisitivo. No Brasil, por exemplo, a Pesquisa de Orçamento Familiar realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que as despesas com serviços de transporte urbano representavam cerca de 8% das despesas totais dessas famílias. Com isso, dentre os elementos que fazem parte do transporte urbano de passageiros, aspectos como acessibilidade e mobilidade das pessoas, o uso do sistema viário e a qualidade de vida urbana merecem atenção, já que a utilização do transporte público é feita, cada vez mais, por idosos, pois existe um aumento populacional crescente dessa faixa etária nas últimas décadas. Para responder ao aumento da demanda, os governos precisarão desenvolver políticas e programas voltados aos idosos, visando com que este processo de envelhecimento se dê de forma mais funcional, a fim de que esta população se mantenha mais saudável, independente e produtiva. Isso inclui mudanças nas cidades e no comportamento ao longo da vida, como campanhas, adaptações nas ruas e meios de transportes, criação de centros de convivência edemais instituições.Dessa forma, o transporte público de passageiros merece atenção, por ser fundamental não somente no desenvolvimento das cidades, como também na vida dos cidadãos.

Devemos melhorar o transporte público. Fazendo com que as pessoas tenham a noção exata de quando precisam sair de casa e que horas vão chegar no seu destino. Dessa forma temos menos carros, pessoas por menos tempo nas ruas e mais ônibus. Isso alinhado com faixas exclusivas para transporte público, é o ideal.

 

 

 

 

InfoTC Serviços

infotc@infotc.com.br