26/08/2013 | 14h35

QUEM ESPERA ALCANÇA

As coisas sérias e seguras são feitas para durar. Nada justifica a pressa. Quem caminha chega primeiro. São adágios extraídos da sabedoria popular. Criticam o governo de Lila Fraga. Inventam estatísticas para mostrar que o prefeito perde representação. Inventam até percentuais de desprestígio do governante; anunciam o rompimento de correligionários; outros radialistas, na ânsia de agradar quem lhes paga, chegam a incitar a população a rebelar-se contra a autoridade administrativa. Cuidado, isto é crime, previsto no artigo 5º da Constituição Federal e, por extensão em leis complementares.

Os nossos comunicadores – não são todos, é claro – apenas alguns, fazem os bons comunicadores –  a maioria, é claro - envergonharem-se da profissão que desenvolvem. Ora, o jornalismo é uma profissão nobre. Não cabe ao jornalista, a título de criticar, usar chacotas, troças, zombarias, até rizinhos de canto de boca, tentando ridicularizar a autoridade. A crítica deve ser séria, feita com linguajar elegante, no nível da importância da profissão que se exerce. O jornalista não deve parecer ridículo. A profissão não merece atitudes ridículas de quem a pratica. Não é sem razão que a imprensa é considerada o quarto poder. Critiquem; a administração pública agradece.  A crítica é importante, mas passa a produzir efeitos quando feita a merecer a atenção do criticado. Faz bem o Prefeito Lila Fraga não dar importância às chacotas de radialistas despreparados sem a menor capacitação para o exercício da nobre profissão de comunicar, informar, formar, educar e entreter, nos termos da Constituição Federal, artigo 220.

O leitor de jornal, o ouvinte de rádio, independente do que lê ou do que ouve, começa a perceber algumas alterações no que diz respeito à administração pública. São mínimas essas alterações, mas são importantes. A feira começa a apresentar modificações para melhor; a organização do estacionamento dos coletivos que transportam moradores dos povoados, às segundas-feiras, dá ordem ao estacionamento. A reorganização das mãos de direção do trânsito começa a facilitar a mobilização do tráfego, fluindo mais solto. Quem espera alcança o que deseja. Todos desejamos trafegar em ruas sem buracos; todos desejamos viver numa cidade limpa, livre de lixo jogado em determinados pontos da cidade. Todos desejamos viver numa cidade saneada. Do mesmo modo, um administrador responsável aprecia ouvir moradores reclamar porque sua rua não está calçada, não está saneada, não está livre do lixo jogado, principalmente, quando reclamam sem buscar apoio em questiúnculas de natureza política.

Por outro lado, é constrangedor ouvir radialista a partir de uma informação crítica de ouvintes que buscam participação no programa ou quando ele próprio formula uma crítica e, a partir dessa crítica, convida a população a rebelar-se contra a autoridade. Não sei se esse radialista percebe que está cometendo um crime passível de responder a processo. Diariamente, a gente está ouvindo esse falatório inconsequente. Não merece resposta por parte da autoridade que deixa de ser criticada para ser ofendida. A autoridade, achem boa ou ruim, deve ser respeitada por ser autoridade, legitimamente, escolhida por quem critica ou deixa de criticar. É natural uma emissora contratar profissional para ajudar a formular críticas à autoridade constituída. Assim como existe políticos de oposição, há, também, órgãos de comunicação que fazem oposição. Mas, em se tratando de órgão de comunicação responsável, portador de um linguajar elegante, a crítica tem a mesma conotação: é séria, é elegante. Nesses casos, o criticado costuma respeitar a crítica e quem critica e, até, responde, esclarecendo ao público ouvinte os motivos da existência do fato criticado.

Não sou pitonisa, ou seja,  pessoa que advinha o que irá acontecer. Mas, estou convencido que ao término dos quatro anos de mandato do Prefeito Lila Fraga, Lagarto será diferente para melhor. Teremos uma cidade organizada; com sua educação melhorada; a saúde em novo patamar, com os recursos orçamentários aplicados de acordo; a Lei de Responsabilidade Fiscal cumprida. Esta lei exige que se aplique 54% dos recursos orçamentários para atender à folha de pagamento do funcionário. A administração recebeu uma folha consumindo 75% dos recursos orçamentários. Há que adequar essa situação ao que determina a Lei, para não correr o risco de ser processado por improbidade administrativa. É certo que o atual prefeito deverá adotar medidas prejudiciais à sua imagem de administrador. Mas, deverá adotar essas medidas.

Os cientistas políticos de antigamente, tais como Nicolau Maquiavel, conselheiro político dos Médicis, príncipes de Florença, Itália, século XV; e o Cardeal Mazarin, conselheiro do rei de França Luiz XIII, século XVIII, recomendam: as medidas ruins devem ser praticadas de uma só vez e imediatamente; as boas que sejam praticadas aos pouco. Aquelas o povo, com o tempo, esquece; estas permanecem lembradas pela lentidão com que são praticadas.

 A sociedade de Lagarto entende que os males que afetam Lagarto não são de autoria do administrador do município, eles existem ou continuam existindo por não terem sido corrigidos na época certa. Compreende, também, que não estão sendo sanados por que não se está dando a atenção que merecem, mas por fatores que escapam ao desejo do administrador. A sociedade sabe também que muitos dos problemas existentes são criados por certos grupos sociais, como, por exemplo, o lixo jogado em determinados pontos da cidade, buracos em plena rua escavada para a ligação de água ou de canos de esgotamento; que o esgoto a céu aberto procede da falta de construção de fossas para receber a água do esgoto.

São problemas de difícil solução, sabendo que o orçamento administrado no primeiro ano de gestão não foi elaborado pelo novo gestor, mas pelo administrador passado, que o elaborou de acordo com o seu planejamento, admitindo, possivelmente, que seria reeleito. A sociedade reconhece tais circunstâncias e por assim entender, não leva em consideração certas críticas por não terem sentido adequado.

     

InfoTC Serviços

infotc@infotc.com.br