22/09/2013 | 17h20

SETE DE SETEMBRO

O dia amanheceu nublado, cinza,prometendo chuva. Dom Pedro I chegava às margens do rio Ipiranga, com suacomitiva, território da província de Piratininga, hoje a capital do Estado deSão Paulo. Ele vinha da capital do império, a cidade do Rio de Janeiro. Naquelemomento, um emissário entregava-lhe uma mensagem, dando conta das pretensões dePortugal, em relação ao império. A mensagem preocupou Dom Pedro. Era o dia 7 desetembro de 1822. Dom Pedro deu conhecimento do teor da mensagem à comitiva econvidou-a a segui-lo no gesto: desembainhou a espada, levantou o braço direitoe declarou alto e bom som: independênciaou morte.

Estava decretada a independência doBrasil em relação à Coroa de Portugal. Todos os anos, participamos desta datacom demonstrações cheias de civismo. Comemoramos o dia sete de setembro do anode 2.013. A Presidente da República, acompanhada dos seus ministros e de outrasautoridades civis e militares, assiste ao desfile das Forças Armadas, destacadados demais com a faixa presidencial verde e amarela. A Aeronáutica, o Exércitoe a Marinha se apresentam no desfile, comemorando a independência nacional. OExército exibe suas armas: canhões, metralhadoras, tanques e outros petrechosde guerra, de última geração; a Aeronáutica mostra os seus aviões militares eoferece ao público o tradicional show dos aviões da fumaça, que leva aos céusde Brasília; a Marinha exibe os seus aviões e helicópteros que são estacionadosnos porta-aviões. As polícias Militar, Civil e Federal participam da parada doSete e Setembro, assistida por considerável multidão, limitada por cordões deisolamento nos dois lados da Explanada dos Ministérios. As escolas de todo oBrasil – de norte a sul - formam seus alunos para o desfile. Todas as capitaise cidades do interior do país participam da parada comemorativa do Dia daIndependência.

Aqui, em nosso município, associamosàs comemorações do Dia da Independência, às festas com que celebramos a data dapadroeira, Nossa Senhora da Piedade. A nossa festa é, pois, uma festa cívico-religiosa.Antigamente, isto é, até 2.008, deste século 21, acrescentávamos àscomemorações, a Exposição Feira de Animais, no Parque Nicolau de Almeida, quese iniciava no dia 31 de agosto e se encerrava no dia 8 de setembro.Atualmente, a Exposição foi minimizada, reduzida a apenas quatro dias. Oscomerciantes da área de alimentos e bebidas que instalavam suas tendas, tipoquiosques, no espaço da Exposição, foram, também, reduzidos a quatro dias,limitando sua oportunidade de fazer negócios e, por conseqüência, de ganhardinheiro.

O grande mote da festa cívica deixoude ser a Exposição que, em outro tempo, apresentava o melhor das raças debovinos, de eqüinos, de ovinos e caprinos. Hoje a principal atração é avaquejada no Parque Zezé Rocha, evento que atrai gente de quase todos osEstados do Nordeste, de alguns Estados do Sudeste, como São Paulo e MinasGerais e do Centro-Oeste. A vaquejada dá movimento à cidade, cria oportunidadesde negócios em todos os campos da atividade comercial. A vaquejada comemora oseu 50º ano de apresentação. A cada ano, seu idealizador, Zezé Rocha, reveste-ade roupa totalmente nova.

A parada de sete de setembro seapresenta com a participação de todas as escolas do município. Este ano, aEscola Sílvio Romero participará, por sinal, o estabelecimento de ensino maispremiado, pela organização do desfile, pela beleza do fardamento dos alunos epor sua banda de fanfarra. Os alunos que participam do desfile vestem sua fardade gala. Formam-se os pelotões puxados por uma aluna porta-bandeira. Ospelotões marcham ao som de fanfarras que marcam o passo através de instrumentosde percussão. O tiro de guerra toma parte da parada, representando o Exércitobrasileiro. Antigamente, os grupos folclóricos como as taieiras, os cangaceiros,parafusos e o grupo de zabumba participavam da parada. Exibiam suas danças,cheias de requebros, lembrando hábitos e costumes de antigos tempos passados. Opovo, postado na calçada das ruas por onde os grupos folclóricos passavam,enriquecendo o desfile, brindava esses grupos com forte salva de palmas. Istoaconteceu até 2.008. Hoje, pouco se fala desses grupos. Os grupos folclóricosresistem à indiferença, pela disposição de um pequeno grupo de pessoas em nãoquerer deixar as tradições de Lagarto morrer. Qualquer administrador conscienteda importância e do valor desses grupos lhes dará vida. É muito importantevalorizar a cultura e as tradições sejam do município ou do Estado; convém àadministração municipal estar devidamente preparada para entender que uma festacívico-religiosa é, também, expressão de amor, com que se homenageia as nossascrenças e a terra onde nascemos, crescemos, criamos nossas raízes e nostornamos cidadãos úteis não só ao município, mas, também, ao Estado e ao nossopaís.

 A festa cívica se encerra no dia sete desetembro, mas a nossa festa religiosa só termina no dia seguinte, 8 desetembro, data consagrada a Nossa Senhora da Piedade. O encerramento da festareligiosa se dá com a procissão que, como de hábito, se inicia às 4 horas datarde e se encerra às 18 horas, com uma missa concelebrada por dois sacerdotes,quando Sua Excelência, o bispo diocesano, não é o celebrante. Nessas ocasiões,o vigário da paróquia, Padre Raimundo Diniz, convida um orador sacro para osermão. A procissão reúne uma multidão de católicos que acompanha o andor deNossa Senhora da Piedade durante o trajeto. O cortejo percorre várias ruas dacidade ao som da Filarmônica Lira Popular que acompanha a procissãoapresentando hinos sacros. O governador e o prefeito fazem-se presentes e, comeles, alguns dos seus secretários. Por onde a procissão passa, assiste-se a umbonito espetáculo, ao mesmo tempo, de respeito, de fé e de homenagem àpadroeira: as janelas das casas e apartamentos são ornamentadas com toalhas de linhoe jarros de flores. Todas as vezes que o andor de Nossa Senhora ingressa numarua, os expectadores, acomodados nas calçadas, saúdam a imagem com salvas depalmas. Quando a procissão se encerra, em frente à matriz, a multidão seconcentra para assistir à missa no altar instalado em frente à igreja.Verifica-se expressivo ato de fé. Cerca de 70% da população é católica. Lagartoé um município eminentemente cívico e temente a Deus. Isto é bom, é necessário.Vamos todos participar do desfile e da procissão e por esse modo demonstrarrespeito e amor às nossas tradições e à padroeira do nosso município, NossaSenhora da Piedade.

 

InfoTC Serviços

infotc@infotc.com.br