siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Colegiado Regional de Aracaju promove primeira reunião do ano

11 de Fevereiro de 2018, 08:26

O Colegiado Interfederativo Regional (CIR) de Aracaju, composto por secretários municipais de Saúde de oito municípios, realizou na manhã desta sexta-feira, 9, a primeira reunião do ano para discutir e deliberar temas relevantes à saúde da região. O encontro ocorreu no Centro de Educação Permanente em Saúde (Ceps), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Aracaju.

"Este é um espaço para fortalecimento da saúde da região. Vários movimentos estão acontecendo, como a nova Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), a unificação dos seis blocos de financiamento para apenas dois - custeio e investimentos. Com isso, os municípios precisam estar preparados para adequar as suas realidades aos novos contextos. Existem dificuldades neste meio, e o colegiado é o local institucional que pode nos ajudar nas implantações das novas demandas. É justamente por isso que esse é um espaço muito importante para nossa gestão", explicou a secretária municipal da Saúde de Aracaju, e também coordenadora do Colegiado, Waneska Barboza.

A diretora da Assessoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Asplandi) da SMS, Sayonara Carvalho, iniciou a reunião apresentando a nova secretária executiva do CIR Aracaju, Vandecy Bezerra (Cicy), discorrendo sobre as pautas e dando informes. "Precisamos informar sobre a transitoriedade de endereço das nossas reuniões, que sempre foram realizadas no auditório da Vigilância Sanitária Estadual, mas que com a mudança de endereço do órgão, serão feitas no Ceps temporariamente. Neste momento, estamos montando um auditório na sede da SMS de Aracaju, que servirá como sede dos nossos encontros futuros. Além disso, teremos a eleição do novo vice-coordenador do CIR; uma apresentação sobre o absenteísmo (que é o não comparecimento aos exames e consultas regulados pelo Núcleo de Contratos, Auditoria, Avaliação e Regulação – Nucaar); e apresentações sobre o Plano Municipal de Eliminação da Sífilis Congênita, e sobre a febre amarela", informou, acrescentando que três sistemas do Ministério da Saúde deixarão de existir e migrarão para um novo, chamado E-gestor.

A pessoa eleita para o cargo de vice-coordenador do CIR foi o secretário municipal de Saúde de Barra dos Coqueiros, Joacy Souza Santos (Zinho), que também já integra a mesa diretora do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems/SE).

Pautas da SMS/Aracaju

A coordenadora de Regulação do Nucaar, Ticiana Carvalho, apresentou dados do absenteísmo por município da Regional: Aracaju chega a 18%; Barra dos Coqueiros (21%); Itaporanga d'Ajuda (22%); São Cristóvão (23%); Itaporanga d'Ajuda (22%); Riachuelo (25%); Divina Pastora (32%); Santa Rosa de Lima (34%), e Laranjeiras (36%). "O número de pessoas que faltam aos exames e consultas é muito alto. Na região foram 651.038 e isso atrapalha demais, porque deixamos de enviar um paciente que realmente está precisando. Estamos fazendo um levantamento dos motivos para o não comparecimento, no entanto, precisamos fazer uma campanha de conscientização das pessoas. Peço que todas as secretarias atualizem os contatos dos seus usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com número de telefone, endereço e e-mail, pois vamos enviar mensagens solicitando a confirmação do procedimento", enfatizou Ticiana.

Já técnica do Programa de IST/Aids da SMS, Marília Uchôa, explicou que a SMS, através dos Programas Municipais de IST/Aids, Saúde da Mulher e Saúde da Criança, confeccionou o Plano Municipal de Eliminação da Sífilis Congênita dentro da solicitação do Ministério da Saúde de construir a agenda de ações estratégicas para a redução da sífilis no Brasil. "Nosso plano é para dois anos (2018 a 2020), com o objetivo geral de reduzir a sífilis adquirida em gestantes e eliminar a sífilis congênita em Aracaju. Entende-se como eliminação 0,5 caso para cada mil nascidos vivos. Até o momento, temos 71 casos de sífilis congênita na capital", esclareceu.

A coordenadora do Programa Municipal de Imunização da Rede de Atenção Primária, Ilziney Simões, fez uma breve explanação sobre o que é a febre amarela, quais os sintomas, como é feita a prevenção através da vacina, e as recomendações. "A febre amarela tem dois ciclos: silvestre e urbano. Deste último, não temos notificação desde 1942. Algo muito importante de a população ter conhecimento é que esta doença não é transmitida de pessoa a pessoa. Além disso, a vacina era aplicada e reforçada a cada dez anos, mas novos estudos revelaram que basta ser aplicada a dose padrão apenas uma vez na vida. Entretanto, nos estados que estão sendo feitas campanhas, a dose é fracionada e deve ser tomada novamente daqui a oito anos", informou Ilziney.

Participaram da reunião a secretária adjunta de Aracaju, Ana Débora Santana; a diretora de Atenção à Saúde, Ana Márcia Menezes; coordenadores e técnicos da SMS, bem como os secretários e técnicos dos demais municípios da Regional; representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES); do Núcleo do Ministério da Saúde em Sergipe, e do Cosems/SE. O próximo encontro acontecerá no dia 09 de março.

Fonte e foto assessoria