siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Serviços e ações educativas movimentam Espaço Cuidar do bairro Japãozinho

16 de Abril de 2018, 08:05

 

Cerca de 200 pessoas foram beneficiadas com os atendimentos e acompanharam as atividades

Na manhã desta sexta-feira, 13, a comunidade do bairro Japãozinho recebeu uma série de serviços no Espaço Cuidar, unidade mantida pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seidh). O público começou a ser atendido às 08h pelas equipes do Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT), da Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres (CEPM) e da Seja Digital. Cerca de 200 pessoas foram beneficiadas com os atendimentos e acompanharam as atividades.

O NAT levou os serviços de emissão da primeira e segunda via da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), e realizou cadastros no sistema de Intermediação de Mão de Obra (IMO). Além disso, o serviço realizou o cadastro para preenchimento das 700 vagas para as oficinas de capacitação profissional para o mês de maio. 

Uma das primeiras atendidas pelo NAT foi Edjane Santos da Silva, 37, moradora do Japãozinho que atualmente está desempregada. “Vim para me cadastrar para as vagas. Como estou sem trabalho, é difícil encontrar emprego por aqui. É bom ter por onde começar”, comentou.

Já o estudante Daniel Henrique dos Santos, 16, foi solicitar a primeira via da Carteira de Trabalho e conta que estava mesmo precisando fazer o documento. “Estava pensando em ir ao NAT na próxima semana. Como soube que teria atendimento na minha comunidade, aproveitei a ocasião para fazer aqui mesmo. Foi mais cômodo para mim”, contou.

As mulheres presentes puderam assistir a uma palestra de conscientização sobre o combate à violência doméstica, ministrada pela coordenadora Estadual de Políticas para as Mulheres da Seidh, Edivaneide Paes. “O primeiro passo para o enfrentamento à violência contra a mulher é a informação. Há muitos casos que ela não sabe como proceder ou a quem recorrer quando é vítima de situações de abuso que pode ser psicológico, físico e sexual”, explicou a coordenadora, reforçando que a missão é empoderar as mulheres e garantir cada vez mais seus direitos.

Cristina Alves, coordenadora do Espaço Cuidar, conta que a ação foi muito proveitosa para a comunidade. “Há uma dificuldade de muitos daqui do Japãozinho para ir até o NAT porque nem todos têm condições e, às vezes, não têm nem a passagem de ônibus. Essa ação veio ajudar muitas pessoas a ter acesso a esses serviços que tanto precisam”, afirmou.

Outro serviço disponibilizado foi o atendimento da equipe da Seja Digital, entidade responsável pela transição para o sistema de TV Digital, com o desligamento do sinal analógico. Foram atendidas cerca de 30 pessoas que buscavam informações sobre o desligamento e o agendamento das famílias que têm direito a retirar o kit gratuito.

Vale lembrar que as famílias de baixa renda que participam dos programas sociais do Governo Federal podem ser contempladas com os kits gratuitos. O kit inclui antena digital e conversor com controle remoto, equipamentos que permitem que televisores antigos tenham acesso ao sinal digital. Para agendar, basta estar com o Número de Inscrição Social (NIS) em mãos. O agendamento também pode ser realizado pelo telefone 147 (ligação gratuita) ou pelo site sejadigital.com.br/kit.

"O nosso trabalho tem como objetivo fazer com que a informação sobre o processo de desligamento do sinal analógico de TV chegue à população, para que todos possam se preparar para receber o sinal digital e viver essa nova experiência com melhor qualidade de imagem e som, gratuitamente. Não vamos deixar ninguém para trás", afirma Carolinna Tosta, gerente regional da Seja Digital, destacando que já foram distribuídos mais de 110 mil kits.

Fonte e foto assessoria

 

  • Medium 65b52c298d22fea0dcaff7e249983672