Empreendedores criam estratégias para driblar a crise

05 de Maio de 2020, 13:19

Investir no ambiente digital e buscar um novo perfil de cliente são caminhos adotados

 

A crise provocada pela pandemia do Covid-19 trouxe muitas consequências para os proprietários de pequenos negócios. Uma pesquisa realizada pelo Sebrae e divulgada na primeira quinzena de abril mostrou que quase 90% deles registraram queda de faturamento desde o início da implementação das medidas de isolamento social. Já em relação às vendas, o levantamento apontou uma diminuição de quase 70% em relação ao registrado no mês anterior.

 

Com o fechamento de diversos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviço como medida preventiva de combate ao coronavírus, os empresários se viram forçados a tomar novas atitudes para garantir a sobrevivência. Nunca a expressão 'reinventar o modelo de negócio' esteve tão na moda.

 

Em Aracaju, diversos empreendedores estão mostrando que a criatividade e o planejamento são elementos essenciais para continuar gerando receita, manter empregos e as contas em dia. Um exemplo deles é Aline Cruz, proprietária da Agil Clean, uma distribuidora de produtos de limpeza e higiene profissional. Tendo como principais clientes as redes de hotéis, escolas, clínicas e academias e realizando vendas sempre no atacado, a empresa se viu forçada a identificar um novo nicho para continuar operando.

 

A saída, segundo Aline, foi apostar no varejo. "Com o fechamento desses negócios tive que buscar alternativas. Como trabalhamos com produtos que estão com alta demanda comecei a explorar o cliente de varejo, algo que até então eu não fazia. Passei a utilizar as redes sociais e as listas de transmissão para divulgar os produtos e apostei no serviço de delivery".

 

A medida deu tão certo que a empresária precisou contratar mais um funcionário para conseguir dar conta dos pedidos. " Na pandemia o varejo ajudou a manter vivo o negócio. Isso tem me ajudado a pagar as contas e a não demitir nenhum funcionário. Pelo contrário, tive que contratar mais um já que o trabalho cresceu. Agora temos que atender mais clientes, com pedidos menores. Para conseguir dar a atenção a todos, precisei de um novo colaborador e estamos satisfeitos com essa estratégia", destaca Aline.

 

Foco no digital

 

Outra que criou uma nova estratégia para continuar exercendo suas atividades foi a maquiadora profissional Tatiana Matos. Como o seu serviço é disponibilizado de forma presencial, ela precisou se reinventar para continuar trabalhando em meio à suspensão de eventos e festas particulares.

 

O caminho escolhido foi a oferta de cursos de automaquiagem utilizando as redes sociais, WhatsApp e chamadas de vídeo. Em seu perfil no Instagram ela criou o quadro 'Maquia e Descomplica', respondendo por meio de vídeos as principais dúvidas dos seguidores.

 

" A partir de conversas com as clientes nos atendimentos e cursos percebi o quanto pequenas dificuldades na hora de se maquiar acabam desestimulando as mulheres a sentir prazer. A maquiagem desvenda muitas vezes uma beleza que a gente não enxerga e quero mostrar que nem tudo precisa ser tão complicado como pensamos".

 

Marina Alcântara, proprietária da Marine, uma loja de vestuário feminino com filiais no Bairro 13 de Julho e no Shopping Jardins, foi outra a investir no ambiente digital. Ela criou uma loja virtual para continuar comercializando os produtos e manter relacionamento com os clientes. Por meio da plataforma, os consumidores podem escolher os produtos e realizar o pagamento.

 

A cada dois dias um colaborador vai até uma das lojas para separar os pedidos, respeitando todas as medidas de higiene, que são entregues com segurança nas residências dos clientes. Além disso, ela investiu em promoções para girar o estoque, oferecendo até 60% de desconto em alguns artigos.

 

Mariana também apostou na solidariedade durante a crise. " Lançamos uma ação social porque nos sentimos responsáveis como marca, como empresa. Criamos assim o 'Círculo do Bem' e estamos doando 20% das vendas feitas durante a quarentena ao projeto Tem sopa no Rosa, uma iniciativa promovida aqui em Aracaju que distribui cestas básicas para as pessoas mais carentes nesse momento"

 

Reinvenção é saída

 

Para a gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae, a palavra de ordem nesse momento de crise é reinvenção. " O empreendedor precisa ter consciência que será preciso mudar o seu modelo de atuação, pensar em novas estratégias, utilizar novos canais de relacionamento para continuar fazendo negócios e sobreviver à crise. É preciso sair da zona de conforto, conhecer a dor dos clientes e oferecer as soluções para os problemas que ele está enfrentando"

 

 Ainda segundo a gerente, aqueles que conseguirem sobre à crise estarão muito mais fortalecidos no momento de retomada da economia. " O momento é de aprendizado e aqueles que estão investindo em conhecimento, na busca de soluções, com certeza irão aproveitar mais as oportunidades que surgir".

 

Por Wellington Amarante

Foto assessoria