siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Escolha da graduação leva em conta o mercado de trabalho

08 de Janeiro de 2018, 14:26

 

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, dinâmico e exigente. Nesta época de instabilidade e incertezas, os grupos empresariais exigem profissionais especializados e antenados com a revolução tecnológica e a globalização econômica. É neste contexto que jovens estudantes recorrem às dezenas de cursos de graduação ministrados em Sergipe. Nesta batalha por espaço no mundo acadêmico com foco nas disputadas vagas de emprego, as instituições de ensino particulares oferecem um amplo leque de opções.

E para permitir mais opções a quem deseja fazer uma graduação, as instituições de ensino superior têm ampliado a oferta de cursos. A Faculdade Estácio de Sergipe, por exemplo, oferece 14 cursos presenciais e outros 30 a distância (EAD). Os mais novos são Engenharia de Petróleo, Engenharia de Produção e Biomedicina, que terão as aulas iniciadas em março próximo. Para se matricular em um deles o candidato deverá apresentar a nota do Enem ou fazer vestibular, que deve ser agendado. Quem pretende começar uma segunda graduação está isento das outras duas exigências de ingresso.

Mercado de trabalho

Na hora de escolher um curso, além da vocação, o mercado de trabalho é analisado pelo futuro graduando. "Estou fazendo Direito porque sempre foi meu grande sonho, mas considerei as opções de empregos oferecidas", revela o acadêmico Maurício Fernandes de Moraes. Pesquisa feita pela Divisão de Tecnologia Educacional da Positivo Informática com 1.417 estudantes do segundo grau mostrou que 27,93% deles escolhem a profissão com foco no salário e no mercado de trabalho.

Oferecer cada vez mais opções de cursos também é uma preocupação da Estácio. O diretor da Faculdade, professor Bruno Antunes, informa que uma pesquisa mostrou que Sergipe é um mercado muito promissor para os profissionais das Engenharias de Petróleo e Produção, além de Biomedicina. Segundo ele, os engenheiros podem atuar na indústria, bancos, empresas de logística, petrolíferas e nas áreas de serviço e saúde, entre várias outras. Já o biomédico pode optar por mais de 30 habilitações em áreas como pesquisa, saúde, meio ambiente, acupuntura, estética, vigilância sanitária, alimentos e docência.

Além do mercado de trabalho, outra preocupação de quem decide fazer uma graduação é com a qualidade de ensino oferecido pelas instituições. O diretor Bruno Antunes garante que neste quesito a Estácio também se destaca. "Nosso corpo docente é composto por mestres e doutores com larga experiência na preparação de futuros profissionais e o nosso modelo de ensino é inovador, pois permite uma vivência acadêmica com currículos nacionalizados, desenvolvidos com a participação ativa de mais de 7 mil docentes em todo Brasil". Ele ressalta ainda que o campus da Estácio em Aracaju está dotado de salas de aula modernas, climatizadas, biblioteca presencial e virtual, área de convivência para os alunos e laboratórios atualizados para a prática acadêmica e profissional.

Por Adiberto de Souza

Foto assessoria