Secretaria de Turismo busca soluções viáveis para atracadouros em Estância

18 de Novembro de 2020, 14:45

O Secretário de Estado do Turismo, Sales Neto, esteve na manhã desta quarta-feira, 18, nos povoados Porto N'Angola e Porto do Cavalo, no município de Estância, para verificar a real situação dos atracadouros que atendem embarcações de pequeno e grande portes na região. 

“O litoral sul é extremamente importante no contexto turístico do nosso estado e esses equipamentos são fundamentais para o bom funcionamento do turismo náutico que tem muita força na região”, explicou Sales Neto.

“O que vimos aqui hoje são atracadouros que necessitam de manutenção e, quem sabe até, de uma reconstrução. Vamos solicitar os estudos para ter um diagnóstico mais preciso, mas, de antemão, já entendemos que intervenções terão que ser feitas, e para isso, o Governo do Estado precisará ir em busca de recursos”, disse o secretário.

Durante a visita, Sales Neto, ouviu as reivindicações do presidente da associação das lancha de Porto N’Angola,  sr. Misso, e do empresário Paulo Siqueira, proprietário da escuna Gazela. “São reivindicações por melhorias na infraestrutura dos atracadouros, iluminação e segurança que iremos discutir internamente no governo em busca de soluções para melhorar a recepção dos sergipanos e turistas que visitam a região”, informou Sales.

O secretário disse que existem tecnologias mais atuais para a confecção de píeres flutuantes com polietileno que não necessitam de construção com materiais perecíveis, a exemplo de concreto, ferro e madeira. “Temos acompanhado a construção de píeres no estado que utilizam materiais como polietileno. Vamos estudar caso por caso para poder encaminhar a melhor solução dentro das possibilidades”, disse o secretário.

 “Seja qual for a solução, iremos buscar o apoio do município de Estância, na pessoa do prefeito reeleito Gilson Andrade, e teremos que ter também a parceria daqueles que exploram comercialmente esses equipamentos. Caso o Governo do Estado consiga viabilizar a reforma, ou a reconstrução ou um novo modelo de atracadouro, é preciso que eles assumam a responsabilidade de manter da entrega por diante com recursos próprios. Precisamos implantar essa cultura de parceria pública e privada nesse ambiente”, finalizou Sales Neto.

Fonte e foto assessoria