siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Sindicato do Comércio Atacadista realiza debate sobre negociação coletiva

10 de Fevereiro de 2018, 08:28

Para ampliar o conhecimento dos empresários do comércio atacadista e distribuidor, bem como os seus departamentos de recursos humanos, a respeito das novas adequações promovidas com a melhoria das relações de trabalho criadas pelo dispositivo da reforma trabalhiasta, o Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado de Sergipe (Sincadise), realizou um debate com a participação de especialistas no assunto para os representantes das empresas sergipanas.

O debate aconteceu no auditório do Sesc Centro, na última quarta-feira (07), com as presenças do advogado empresarial Thiago Cabral, do responsável pelas negociações com os sindicatos do Grupo Cencosud, Fernando Garrido, o empresário Francisco Firmino, presidente da Associação Sergipana de Supermercados (Ases) e o presidente eleito do Sincadise, Breno França, que discutiram acerca do tema e da importância da negociação coletiva como um mecanismo de equidade entre empregadores e empregados do comércio atacadista.

No debate foi explicado que a reforma trabalhista aconteceu em virtude de o Brasil estar em um momento de alto desemprego, com falta de incentivo às empresas para realizar contratações, o que foi modificado com a aplicação da nova legislação. A atualização dos dispositivos, segundo os especialistas debatedores, já apresenta resultados positivos na formação de novas vagas para contratação de trabalhadores nas empresas.

Os participantes do debate destacaram que a negociação coletiva tem que ser feita com o objetivo de criar o melhor ambiente de trabalho possível, valorizando o profissional, fazendo com que ele tenha compreensão de que é parte da empresa e responsável pelo seu crescimento. A nova legislação tem por finalidade ajudar as empresas e pessoas a encontrarem o melhor caminho para a boa convivência, com foco na produtividade, respeito e dignidade para os trabalhadores. Foi lembrado que as políticas sindicais laborais têm criado ano após ano, barreiras para formar entraves na negociação, o que emperra a competitividade do mercado e capacidade de produção empresarial. O debate contou a presença do representante da Fecomércio, o superintendente da entidade, Maurício Gonçalves.

O presidente eleito do Sincadise, Breno França, destacou a importância da negociação coletiva e do serviço de orientação disponibilizado pelo sindicato para as empresas encontrarem os melhores caminhos para o fechamento dos acordos coletivos de trabalho.

“Quem faz a empresa são os colaboradores. Uma pessoa significa muito para nós, pois ela é o reflexo da empresa na vida das pessoas. Quanto melhor for feita a negociação coletiva, melhor o ambiente de trabalho, justo para patrões e empregados. Discutir com os empresários a formulação do acordo coletivo sob à luz da reforma trabalhista, faz com que as empresas apliquem o melhor procedimento com os seus colaboradores. Esse é papel do Sincadise, fortalecer a classe empresarial, levando conhecimento e entendimento dos dispositivos legais. Por isso trouxemos o tema para o estudo dos empresários”, disse Breno.

Por Márcio Rocha

Foto assessoria