siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Estudantes sergipanos disputam prêmio nacional de inovação

14 de Abril de 2018, 06:00

 Alunos sergipanos estão classificados para a final do prêmio nacional Inova Senai 2018. Promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, a competição acontece a cada dois anos como forma de incentivar o desenvolvimento de produtos e processos inovadores para a indústria e o mercado brasileiros.

Dos 310 projetos inscritos, 50 foram classificados, divididos nas categorias “Produto Inovador” e “Processo”. Coordenados pelo instrutor Samuell Costa de Souza, os alunos João Vitor Cunha, Dayvisson Leandro, Helio Menezes e José Iranilton da Silva, do Curso Técnico em Mecânica, chegaram à grande final, na categoria Produto Inovador, após desenvolverem um kit de união de bicicletas para o modelo “ODKV” (O de cá vê), criado no Rio Grande do Sul e que permite às pessoas com deficiência visual pedalarem ao lado de outro ciclista.

A proposta surgiu a partir de uma parceria do Programa Senai de Ações Inclusivas e do Itinerário Senai de Inovação com o Instituto Lucas e Mariana Aribé de Acessibilidade para a Inclusão Social de Pessoas com Deficiência (Iluminar). Além de tornar a ODKV mais leve, o kit é desmontável, garante mais flexibilidade e evita avarias em casos de desníveis no trajeto (uma bike em cima da calçada e outra embaixo, por exemplo). Também permite a conexão de bicicletas de modelos diferentes.

“Quando a ODKV chegou ao Senai eu confesso que não percebi um grande potencial. Mas nos sentamos, começamos a estudar, fazer o projeto e hoje dá orgulho ver o resultado que conseguimos. Agora é só melhorar o produto, deixá-lo mais bonito, torná-lo vendável”, diz o estudante João Vitor Cunha.

Os projetos inscritos no Inova Senai são avaliados por uma equipe técnica especializada composta por representantes de indústrias, especialistas do Senai e externos vinculados a outras instituições de ensino (seja superior ou de outras escolas técnicas) ou ONGs e organizações ligadas a área de inovação e empreendedorismo. A comissão avalia critérios como justificativa e objetivos, desenvolvimento, metodologia, viabilidade e protótipo.

De um total de 32 pontos, os alunos sergipanos conquistaram 28,5. As equipes com as melhores notas em cada categoria recebem consultoria e auxílio financeiro para aperfeiçoar sua proposta de negócio e seu protótipo. Finalizados, os projetos serão apresentados na 10ª Olimpíada do Conhecimento, no mês de julho, em Brasília. A premiação dos três melhores colocados em cada categoria também inclui viagens e cursos presenciais ou a distância, a depender da classificação.

Fonte e foto assessoria

  • Medium 7dc5be4ae48c7d431d67fbce738b09e1