siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Governo e Sintese buscam, em conjunto, aprimorar política educacional do Estado

04 de Janeiro de 2019, 14:03

 

Durante a discussão foi apresentado aos sindicalistas um levantamento detalhado com os dados atualizados referentes à matricula de alunos, à distribuição da carga-horária dos professores e ao orçamento da pasta nos últimos anos

O sistema de ensino do Estado e ações correlatas à política educacional implementada nas escolas da rede pública estadual pautaram audiência de trabalho realizada nesta quinta-feira, 3, pelo secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, com membros da diretoria do Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe).

Para iniciar a discussão, que foi realizada no Complexo Administrativo e Pedagógico da Seduc, em Aracaju, Modesto apresentou aos sindicalistas um levantamento detalhado com dados atualizados referentes à matricula de alunos, à distribuição da carga-horária dos professores e ao orçamento da pasta nos últimos anos.

O secretário afirmou aos representantes do sindicado dos trabalhadores em educação que a Seduc busca, constantemente, aprimorar os mecanismos de transparência do órgão. “Listamos em nosso portal eletrônico a relação nominal do quadro docente de todas as 354 unidades escolares da rede estadual, assim como abriremos a relação de todos os funcionários lotados na secretária”, disse, ao exemplificar medidas de transparência adotadas em sua gestão, “muitas das quais motivadas por sugestão do Sintese”, pontuou.

Em sua exposição, o professor Josué Modesto apresentou, também, dados oficiais de composição das receitas e do detalhamento das despesas da pasta e ressaltou que não há motivo para esconder a realidade financeira da Seduc. “Para que tenhamos condições orçamentária que nos permita discutir recomposição salarial, estamos otimizando a gestão de recursos humano, a partir da elaboração de diagnósticos para reorganização de turmas e da oferta de vagas nas escolas da rede pública em todo Estado”, salientou.

De acordo com a presidente do Sintese, professora Ivonete Cruz, o encontro serviu, ainda, de espaço para discussão acerca do modelo de ensino médio de tempo integral, da normatização dos estudos de intensificação da aprendizagem, do currículo sergipano, para tratar da municipalização de escolas da rede estadual e, “de modo geral, para discutir com a nova gestão a política educacional do Estado como um todo”.

Acompanhada do professor Roberto Silva, vice-presidente do sindicato, a professora Ivonete destacou a imprescindibilidade de diagnósticos para a gestão do sistema educacional de ensino do Estado. “Nesse sentido, parabenizo a secretaria por esta iniciativa”, disse, referindo-se ao levantamento de informações apresentado pelo secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, “o qual esperamos que seja aprofundado”, completou.

Durante o encontro, ao lado dos diretores dos departamentos de Recursos Humanos e de Educação, Jorge Costa Cruz e Ana Lúcia Muricy, respectivamente, o titular da pasta discutiu junto aos sindicalistas o projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa que permite ao Estado contratar professores, temporariamente, os marcos legais do Novo Ensino Médio, estratégias de enfretamento à defasagem idade-série dos alunos da Rede Estadual e a busca ativa de estudantes.

Ao finalizar a discussão, Josué Modesto se colocou, permanentemente, à disposição do Sintese para tratar de temas de interesse social relacionados à melhoria do ensino público em Sergipe e afirmou que atua com vistas ao cumprimento das metas estabelecidas nas legislações educacionais.

Na audiência, auxiliaram o secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura, o diretor de Planejamento do órgão, Aristóteles Gomes; a diretora de Comunicação, jornalista Gleice Queiroz; a coordenadora do Serviço de Ensino Médio, professora Joniely Cruz; a assessora do Departamento de Recursos Humanos, Zelita Brito; e as coordenadoras Pedagógica e de Infraestrutura do Núcleo Gestor de Escolas de Escolas de Tempo Integral, Sara Karenine e Emanoela Gonçalves.

Fonte e foto ASN