siga nossas
redes sociais:

Novo Ensino Médio em Sergipe está funcionando em 38 escolas-piloto da rede estadual

01 de Julho de 2019, 14:39

Por Ítalo Marcos

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), aderiu ao Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio, instituído através da Portaria nº 649, de 10 de Julho de 2018, do Ministério da Educação (MEC). Ao todo, 38 escolas-piloto pré-selecionadas trabalham o programa de maneira experimental e já estão elaborando projetos para serem desenvolvidos a partir do segundo semestre.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Ensino Médio da Seduc, Joniely Cruz, a Secretaria trabalha com essa perspectiva desde 2009, quando aderiu ao Programa Ensino Médio Inovador, que sinalizava a revisão da última etapa de ensino da Educação Básica. Ela explica que, a partir dos novos marcos legais, todas as escolas de ensino médio do país, de todas os sistemas de ensino (municipal, estadual e federal), deverão se adequar, até 2022, à reformulação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que foi modificada pela Lei do Novo Ensino Médio (Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017).

"Com tudo o que for construído pelas escolas-piloto em 2019, por meio de formações junto às escolas, reestruturação da organização curricular, em 2020 serão acompanhadas pela Seduc efetivando as proposituras da organização curricular com a flexibilização, ou seja, colocando em prática os itinerários formativos, em consonância com o Currículo de Sergipe da etapa de Ensino Médio, que também está sendo construído neste ano de 2019, e que será entregue no final do ano", explicou.

Itinerários formativos

Entre os diferenciais do Novo Ensino Médio estão os Itinerários Formativos, que são recursos de aprofundamento das áreas do conhecimento. Ao todo são cinco itinerários formativos, sendo quatro com o viés propedêutico, que são as áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e Ciências da natureza), e o itinerário da Educação Técnico-Profissional. As escolas-piloto poderão ofertar, no mínimo, dois itinerários formativos para que os alunos possam ter possibilidade de escolha, o que não inviabiliza a unidade de ensino de ofertar mais.

São alguns dos objetivos dos itinerários formativos: aprofundar as aprendizagens relacionadas às competências gerais, às Áreas de Conhecimento e à Formação Técnica e Profissional; consolidar a formação integral dos estudantes, desenvolvendo a autonomia necessária para que realizem seus projetos de vida; promover a incorporação de valores universais; desenvolver habilidades que permitam aos estudantes ter uma visão de mundo ampla e heterogênea, entre outros.

As unidades curriculares poderão ser desenvolvidas como projetos, observatórios, clubes de interesse, oficinas, laboratórios, incubadoras, núcleos de estudos e núcleos de criação artística, dentro de uma organização curricular de mil horas anuais. Esse aluno precisa ter cinco horas a mais em sua carga horária diária, que a escola poderá ofertar no contraturno ou uma hora a mais a cada dia da semana.

"As mudanças advindas do Novo Ensino Médio possibilitarão à rede ter essa cultura de escutar os jovens, ver qual é a escola que eles desejam e, a partir disso, dialogar. Essa aproximação da escola, da Seduc e da rede estadual de ensino com a juventude, para dar aos jovens uma escola que atenda às suas necessidades, é o grande diferencial do Novo Ensino Médio", disse Joniely.

Projetos

No Colégio Estadual João XXIII, em Ribeirópolis, aconteceu no último sábado, 22, a Gincana de Matemática, cujo formato está sendo também pensado para fazer parte das atividades do Novo Ensino Médio. O objetivo é levar o conhecimento através de atividades lúdicas e jogos, dotando-se das influências exercidas pelas novas tecnologias e seus objetos.

A diretora da unidade de ensino, Ana Mary Costa, falou sobre a importância do Novo Ensino Médio. "Vejo como muito positivo, pois os alunos terão voz e liberdade para trabalhar em suas atividades, sendo verdadeiros protagonistas", declarou.

Um dos exemplos de projetos que estão sendo elaborados está no Colégio Estadual 24 de Outubro, em Aracaju. Orientados pela professora de Física, Aline do Nascimento Rodrigues, os alunos estão colhendo materiais recicláveis para, a partir do segundo semestre, utilizá-los de forma a embelezar a estrutura da escola. De acordo com a professora, várias ideias estão sendo pensadas, como criar uma nova paisagem na escola, uma passarela totalmente formada por sombrinhas recicladas.

Outra proposta será utilizar pneus e garrafas pets para formar o nome da escola, "24 de Outubro", na parede da unidade de ensino. "Acredito que o Novo Ensino Médio vai oportunizar aos alunos a vivenciarem a aprendizagem fora da sala de aula. Existe a ideia de que cada sala seja um laboratório, onde cada professor trabalhará suas aulas. É algo bastante inovador", disse.

A diretora do Colégio Estadual 24 de Outubro, Ivone de Moraes, também é uma entusiasta no Novo Ensino Médio. "Estamos dando um norte no Projeto de Vida dos alunos, que estão se empenhando mais. Eles estão tendo uma visão ampla de que estudar faz bem e que isso dará a eles um futuro melhor. Antes nós tínhamos muitos matriculados e, ao mesmo tempo, muita evasão. Agora as matrículas aumentaram e os alunos estão bem mais participativos, juntamente com toda a comunidade", afirmou.

Foto Maria Odilica