siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Ritmos do carnaval de Aracaju é discutido entre PMA e ANCRA

13 de Janeiro de 2018, 08:43

Órgãos da prefeitura de Aracaju se reúnem com representantes da ACRA para discutir a realização do Festival Brasileiro de Ritmos durante o carnaval

A partir do dia 26 de janeiro a região chamada de coração da cidade vai começar a se vestir de alegria, pois terá início a montagem da estrutura do Festival Brasileiro de Ritmos – Rasgadinho, que acontecerá de 9 a 13 de fevereiro em parte das avenidas Barão de Maruim, Hermes Fontes, Pedro Calazans e Edézio Vieira de Melo. O trânsito nesta região só será realmente modificado no período da festa, mas a SMTT já tem traçado todo um esquema operacional que será desenvolvido em tempo integral, para fazer com que o trânsito da capital flua sem problemas nos sentidos Norte/Sul de Aracaju.

Para tanto, serão disponibilizados 182 homens, 44 viaturas e 54 motos da corporação diuturnamente no período do carnaval somente nesta região central. Também já está pronto o mapa de intervenção do trânsito por causa do Festival, e o trajeto alternativo para as linhas de ônibus que circulam pelas ruas que estarão interditadas. Esse trajeto alternativo e os pontos de parada dos ônibus serão informados à população quando o evento estiver mais próximo da realização. Toda a sinalização necessária para a orientação do trânsito e dos usuários do sistema de transporte público coletivo será fornecida pela realizadora do Festival. À meia noite do dia 14 de fevereiro todas as estruturas já terão sido desmontadas.

Estas informações foram apresentadas pelo staff da SMTT esta semana, durante reunião entre membros da Associação Cultural Rasgadinho (ACRA) – realizadora do Festival - e representantes dos órgãos municipais que estarão participando do evento, já que a prefeitura de Aracaju é apoiadora do festival. Além do superintendente da SMTT da capital, Aristóteles Fernandes, estiveram presentes os secretários de Governo da PMA, Carlos Roberto da Silva, e da Defesa Social e de Cidadania, Luiz Fernando Almeida; o presidente da Funcaju, Sílvio Santos; da Emsurb, Luiz Roberto Dantas de Santana; e representantes da Coordenadoria de Defesa Civil e da Guarda Municipal.

Esses entes discutiram com César Viana, presidente da ACRA, e Sandro Sanje, diretor de Marketing da Associação, pontos fundamentais da festa relativos à segurança dos foliões, mobilidade urbana e fiscalização de todos os promotores de vendas (ambulantes) que serão cadastrados pela associação para trabalhar durante o evento.A direção da ACRA assumiu o compromisso de, três dias antes do início da festa, já estar com toda a estrutura pronta para ser fiscalizada pelos órgãos de controle, como Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, a exemplo de palcos, camarins e a arquibancada que será instalada na área de concentração e saída dos trios elétricos.

ESTRUTURAS SEGURAS

A Defesa Civil exigiu, no momento da fiscalização, a presença do engenheiro Responsável Técnico e a apresentação da ART da estrutura mecânica dos trios, exigências que por já serem esperadas pelos organizadores do evento estão providenciadas. “Todas as exigências dos órgãos de fiscalização e controle referentes a organização do evento serão cumpridas integralmente, inclusive a presença do Engenheiro Mecânico responsável pelos trios, e do Engenheiro Civil responsável pela montagem da estrutura do evento no dia e local da fiscalização. As arquitetas que fizeram a concepção de toda a cenografia do evento também vão estar acompanhando o trabalho, bem como o Técnico de Segurança do Trabalho e o supervisor geral de montagem contratados pela ACRA, pois nosso intuito é promover segurança para todos, sejam os que vão estar trabalhando para dar vida ao festival ou os foliões”, garantiu César Viana.

E justamente para evitar que problemas relativos à segurança dos brincantes ocorram, todas as ruas transversais e paralelas às que estarão com festejos serão fechadas para haver o melhor controle de acesso da população. Em todo o cenário do festival (circuito palco e circuito trios) serão feitos 39 pontos de acesso e em cada um deles haverá monitoramento por câmeras de segurança e detectores de metais, além da presença da Polícia Militar e seguranças de empresa privada. Estes últimos estarão responsáveis pela fiscalização e proteção dos foliões e da estrutura da festa, com equipes que estarão se revezando durante 24 horas.

Guardas Municipais estarão concentrados nos terminais do Mercado e do Centro dando orientação a quem for ao festival, e fazendo um trabalho preventivo, com o intuito de evitar problemas. Esse esquema vai ser idêntico ao utilizado durante a festa de réveillon, na Orla de Atalaia, quando os Guardas ficaram concentrados no terminal da Atalaia. Também estarão na área interna do evento dando suporte aos fiscais da Emsurb junto ao trabalho de organização dos vendedores ambulantes. Os ambulantes também passarão pelo crivo da Vigilância Sanitária de Aracaju, pois só poderá comercializar na festa (comidas e bebidas) quem possuir as devidas autorizações e certificados dos cursos correlatos.

Por Andréa Moura