siga nossas
redes sociais:

O "braço de ferro": paratleta da UFS recebe elogios do secretário nacional do Esporte

06 de Setembro de 2019, 17:00

O Brasil teve uma participação histórica nos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru. Ganhou um total de 308 medalhas e confirmou a condição de maior potência do esporte paralímpico nas Américas. Entre os premiados, o estudante da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Ailton de Souza, medalhista de bronze na prova de halterofilismo até 80kg. De Brasília, veio o elogio do secretário nacional do Esporte, Washington Coração Valente. "É o braço de ferro do estado", disse o ex-jogador ao elogiar o desempenho de Ailton na competição internacional.

Paraibano radicado em Sergipe, Ailton de Souza integra o projeto de extensão "Halterofilismo Paralímpico", do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe. Ele sofreu uma paralisia infantil ao nascer, após a aplicação de uma benzetacil no nervo ciático atrofiar a perna esquerda.

Ailton de Souza tem 1,75m de altura e pesa 80kg, sendo um dos 315 paratletas convocados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para representar o país no Parapan deste ano.

Investimento no esporte

O sucesso dos brasileiros em Lima é fruto de trabalho e de investimento. Pela primeira vez os esportistas puderam contar com uma preparação completa no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, um dos maiores e mais modernos CTs do mundo. Os atletas nacionais contaram também com o apoio do programa Bolsa Atleta e do Bolsa Pódio. Os bolsistas conquistaram medalhas em 16 modalidades.

"Estamos muito contentes com o desempenho nesse Parapan. Nós estamos investindo muito na questão do esporte. Esse é o esforço para buscar cidadania plena para todos os brasileiros. O esporte é uma forma de fazer essa diminuição das desigualdades e fazer com que eles brilhem no esporte para a alegria de todo o Brasil", disse o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

Nesta edição dos Jogos Parapan, os atletas brasileiros também tiveram o incentivo da recomposição de orçamento do programa Bolsa Atleta realizada pelo Ministério da Cidadania em 2019. Como parte das ações dos 100 primeiros dias do novo governo, houve um aporte de R$ 70 milhões no programa, o que possibilitou dobrar o número de atletas apoiados pela iniciativa, passando de 3.058 para 6.199.

Assessoria de Imprensa - Guilherme Fraga