siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Taça Cidade de Aracaju ajuda a promover o futebol de base

03 de Junho de 2018, 07:39

 

 

Disputas acirradas e uma torcida animada marcaram a final da Taça Cidade de Aracaju de futebol de base. Os jogos nas categorias sub-10, sub-12 e sub-14, que começaram  no dia 3 de março, chegaram ao fim neste sábado, 2. O campo do Parque da Sementeira, no bairro Jardins, foi palco da rodada que definiu os campeões em cada uma das categorias.

O campeonato organizado pela Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp), tem por objetivo trabalhar a inclusão social e fomentar o esporte entre jovens de 8 a 14 anos. A competição este ano teve número recorde, a taça envolveu 69 times, totalizando cerca de 1800 jovens que brilharam e mostraram talento em 128 jogos. O secretário Jorge Araujo Filho compareceu e fez questão de entregar as medalhas aos jovens talentos.

"A Taça Cidade de Aracaju esse ano foi ainda mais procurada pelas equipes. Nela temos a oportunidade de fomentar o esporte e consequentemente revelar grandes promessas para nosso futebol. Temos ainda a oportunidade de proporcionar os princípios do esporte, enquanto ferramenta que auxilia na disciplina. Agora vamos fazer um levantamento de quantos jovens talentos tiveram a oportunidade de ir para um clube profissional, para fazer uma estatística. Afinal essa também é nossa intenção: revelar talentos e formar cidadãos", disse o secretário.

Coordenador de Esporte de Inclusão da Sejesp, Luiz Carlos Bossa Nova, tem um carinho especial pelo futebol. Ex-jogador de futebol profissional, com passagens por grandes clubes do país e fora dele, Luiz também passou pela alegria de receber o primeiro troféu, e hoje ajuda a oportunizar essa chance para centenas de meninos.

"Desde o início esse é o objetivo do prefeito Edvaldo Nogueira e do secretário Jorge Araujo, promover o esporte em termos de inclusão e qualidade de vida. E é um trabalho feito com a soma de forças graças a toda equipe da Sejesp. Sergipe hoje é considerado um estado que tem uma matéria prima incrível, que é o atleta. Ver os pais vibrarem por causa do filho, onde você percebe que o pai está vivenciando e vendo o filho brilhar, é uma enorme felicidade para mim, particularmente", declarou.

Seis jogos animaram a última rodada de uma das maiores competições de futebol de base do estado, e quem foi ao Parque da Sementeira ganhou de presente belos gols. A primeira disputa de título foi na categoria sub-14, que teve a vitória do Confiança sobre o Atalaia, 3 a 0. Marcilio Menezes, técnico do Confiança, e que tem 27 anos de experiência na base, afirmou que o resultado foi consequência de muito treino e esforço. Mas que a maior vitória é poder formar jovens cidadãos com disciplina e determinação.

"São muitos anos de luta e muita força de vontade, e acho que o trabalho está sendo reconhecido. Quero agradecer ao Confiança pela força e a todos, e esse título vai para ele e para toda a torcida. Formamos uma família no time, são garotos espetaculares. E a qualidade técnica é muito boa, quem assistiu ao jogo ficou encantado. E é mérito deles,  porque a gente passa os ensinamentos, e eles aplicam nos jogos. Nós planejamos e treinamos bastante, mas o principal é que o futebol ajuda a formar o cidadão".

Com os olhos vidrados em cada lance do camisa 3 do Confiança, Ana Carolina Santos, que não gostava de futebol, agora é a maior fã do filho e zagueiro João Vitor. Ana acompanha todos os passos do menino, que aos 4 anos já balançava a rede. Orgulhosa, afirma que o esporte transformou a vida do jovem que hoje tem 14 anos, e o seu sonho é um dia poder ver o filho em um grande time brasileiro.

"Eu sou a primeira da lista a incentivar, fico no pé, converso e dou graças a Deus que ele está no futebol, porque a juventude de hoje está difícil. Através do futebol ele melhorou muito, passou a ser estudioso, a ser mais educado com os amigos e parentes. E a alegria dele é ver os amigos, a torcida incentivando. Através dessa competição os meninos são muito divulgados e até por redes sociais, onde as pessoas de outros estados podem ver o talento dele. E hoje em dia para ter algo, a gente tem que suar e é isso que eles estão fazendo", declarou.

A final do sub-12 foi entre os Pequenos Vascaínos e o Real Sergipe. Diego Fontes, técnico do Pequenos Vascainos, destacou a organização dos jogos, e o objetivo é que todos os anos a equipa brilhe nos campos e faça  parte da Taça.

"Agradecemos muito a Sejesp por dar oportunidades às crianças. A Taça movimentou muitos jovens e várias escolinhas. É uma iniciativa bastante louvável, pois é uma confraternização de pais e crianças, além de ser uma competição muito bem organizada. Esperamos que aconteça mais vezes, e que possamos estar sempre participando", disse.

De acordo com Jair Félix, presidente da equipe do Palestra Futebol Clube que fez a final contra o Pequenos Vascaínos na categoria sub-10,  a Taça Cidade de Aracaju é um divisor de águas na vida dos jogadores, que muitas vezes não tem oportunidades por falta de competições.

 "Aqui os meninos têm uma uma grande chance, tanto como profissionais com a visibilidade que a taça proporciona, quanto na educação e o respeito que eles aprendem através do futebol. E os meninos são tão talentosos, é uma satisfação imensa ver o crescimento deles aqui junto com a equipe", afirmou.

Fonte e foto Sejesp

 

  • Medium baffd5a0c43f9bc92c299a829efcaa48