Dos Estados Unidos a Lagarto! Pesquisas eleitorais caem em descrédito público!

07 de Novembro de 2020, 10:38

Que estamos vivendo um ano eleitoral "diferenciado" com um cenário completamente "atípico" daquilo que já conhecemos, isso já não é novidade para ninguém! Mas o ano de 2020 não ficará apenas marcado pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19), mas também por outro aspecto: as pesquisas eleitorais caíram quase que, em descrédito, para a maioria da população. É bem verdade que é sempre necessário separar o "joio do trigo", mas por conta de alguns institutos, todos vão pagar uma parcela...

As pesquisas eleitorais, a cada pleito, geram cada vez mais discussões. Contratadas por empresas de comunicação, partidos ou/ou políticos, geralmente elas visam trazer um panorama do cenário atual; algumas são registradas e publicadas; outras servem apenas para o consumo interno, apenas para a avaliação dos acertos e identificação dos equívocos que estão sendo cometidos na campanha eleitoral. Mas nos últimos tempos, as pesquisas viraram num meio de tentar influenciar na "escolha" das pessoas...

Agora em 2020 as polêmicas com pesquisas não foram "exclusividade" da política brasileira. Na eleição para a escolha do presidente dos Estados Unidos, iniciada na terça-feira (3) e que ainda não está definida, pleito que interessa ao mundo inteiro, todas as pesquisas sinalizavam para uma vitória folgada do democrata Joe Biden contra o atual presidente Donald Trump. A votação do republicano surpreendeu pelo volume (mais de 70 milhões de votos populares já computados), pelos votos de negros e imigrantes e pelas vitórias em diversos colégios eleitorais...

Lá nos Estados Unidos os institutos de pesquisas estão sendo criticados e contestados por todos os segmentos políticos e vêm sendo "massacrados" pela imprensa, que propagaram o tempo inteiro uma "eleição tranquila" para Biden! Aqui no Brasil e em Sergipe a percepção, diante das pesquisas eleitorais, é muito parecida. Alguns institutos apresentam os resultados de seus levantamentos e, pelo menos quem está vivendo algumas campanhas, quem está ouvindo a "mensagem" que vem das ruas, logo percebe que há algo "estranho" naquilo que vem sendo divulgado...

Aqui no Estado, chega a ser "hilário" o que acontece, por exemplo, no município de Lagarto. Lá tem pesquisa para "todos os gostos"; o interessante é que, praticamente no mesmo dia, são divulgados os resultados de dois institutos distintos, com um apontando uma reeleição tranquila da prefeita Hilda Ribeiro (SD) e outro uma liderança folgada para o candidato a prefeito Fábio Reis (MDB). Um terceiro instituto já sinalizou para a vitória do deputado estadual e também candidato Ibrain Monteiro (PSC). A certeza de quem está certa ou errada nós só vamos após a apuração do próximo dia 15.

Agora, dos Estados Unidos a Lagarto, quem perde com os sucessivos erros dos institutos de pesquisa é a população; infelizmente ainda temos uma parcela grande de eleitores que costumam votar em "quem vai ganhar"; por isso a suposta manipulação de alguns levantamentos. Lá fora é provável que haja uma apuração, mas aqui no Brasil e em Sergipe já existem rumores de que o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal já estão de olhos bem abertos para esses levantamentos. O primeiro "passo" seria verificar quem realmente tem registro e atende as especificações necessárias para atuar. A democracia agradece...

Veja essa!

Falando na "Lagarto Linda", o Ministério Público Estadual instaurou um Inquérito Civil para apurar supostos descumprimentos pela prefeita Hilda Ribeiro da ordem cronológica de pagamentos efetuados pelo Município de Lagarto, de 1º de janeiro deste ano a, pelo menos, 30 de junho passado.

E essa!

O MPE quer apurar quais os pagamentos que foram eventualmente desrespeitados e se houve alguma justificativa para tal descumprimento. A suspeita é do crime de responsabilidade por conta da gestora e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) também já foi oficiado...

 Bomba!

Para ganhar a eleição, no início da campanha, teve um candidato a vereador em Aracaju que estaria oferecendo empregos para dezenas de famílias, possivelmente, nas empresas em que tem ligação, em seu mandato no caso de uma vitória e até na administração municipal, caso seu prefeito seja vencedor do pleito.

Exclusiva!

Este colunista recebeu a informação que, onde a "promessa chegou", todas as casas coincidentemente passaram a usar adesivos com a foto e o número do tal candidato. O tempo passou, as promessas não se concretizaram ao longo da campanha e em muitas casas "adesivadas" no início da campanha, já não se tem qualquer identificação ou até já tem o adesivo de outro candidato. A disputa por "emprego" é realmente árdua...

Desistências

Este colunista antecipou isso há algumas semanas e agora, na reta final da campanha, está se concretizando: diversos candidatos a vereador de Aracaju, que perceberam não ter mais chance de eleição, até pelas dificuldades financeiras em que se encontram, já estão entregando os pontos. A turma está abortando seus projetos próprios e até já conversam com candidatos mais estruturados. É tentar reverter o prejuízo...

Conselho de Cultura

Na última quinta-feira (05), Dia Nacional da Cultura, a presidente da Funcap, Conceição Vieira, empossou, em sessão solene, os novos membros do Conselho Estadual de Cultura de Sergipe (CEC) que foram nomeados após a reformulação da legislação do colegiado, cuja composição, agora, passa a ser paritária entre representantes do poder público e de instituições ou grupos culturais. N

Igor e Soutelo

Na ocasião os conselheiros Francisco Diemerson de Souza Pereira e Igor Leonardo Moraes Albuquerque foram eleitos para a Presidência e para a Vice-Presidência do CEC. Os conselheiros Igor Albuquerque e Luiz Fernando Ribeiro Soutelo foram indicados, respectivamente, pelo governador do Estado, Belivaldo Chagas (PSD), e pelo Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE).

Sefaz na Alese

Durante a prestação de contas referente ao 2º Quadrimestre de 2020, para os deputados estaduais em mais uma sessão mista da Assembleia Legislativa, o secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, falou sobre o cumprimento das Metas Fiscais do Governo do Estado de Sergipe e pontuou a forma como o governo federal contribuiu com o Poder Executivo Estadual neste período da pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

R$ 152 milhões para SE

Durante sua exposição, o secretário destacou que apenas das transferências da União relacionadas aos efeitos da redução de receita decorrente da COVID-19, até o momento Sergipe arrecadou R$ 152.629.389,09, sendo que já liquidou R$ 74.237.838,77 deste montante, ficando um saldo de R$ 51.391.542,32.

Dinheiro da COVID-19

Esse repasse atende a Lei Complementar nº 173/2020 que foi editada com o objetivo de instituir uma espécie de "regime fiscal provisório" para enfrentamento à pandemia, assegurando aos Estados e Municípios o reequilíbrio das finanças públicas por meio, entre outras medidas, da suspensão do pagamento de dívidas contraídas pelos entes federativos em face da União, da distribuição de recursos públicos para o combate à doença e da restrição ao crescimento das despesas públicas, especialmente as relacionadas à folha de pagamento dos servidores.

Recursos vinculados I

O secretário Marco Antônio Queiroz também revelou para os deputados estaduais o volume de recursos referentes a transferências da União vinculadas às ações da COVID-19, sendo o equivalente de janeiro a agosto de 2020. Para o Fundo Estadual de Assistência Social foram repassados R$ 579 mil, sendo que R$ 30 mil já foram liquidados, restando um saldo de R$ 49 mil na conta do Fundo.

Recursos vinculados II

Já para o Fundo Estadual de Saúde foram repassados R$ 101.314.170,74 e o Estado já creditou R$ 71.882.437,60, restando ainda um saldo da ordem de R$ 30.010.733,14. "Estamos falando de mais de R$ 225 milhões de recursos que chegaram e que são vinculados para o enfrentamento à COVID, ou seja, não são de livre utilização", explica o secretário.

Zezinho Sobral

Respondendo ao questionamento do líder do governo na Alese, deputado estadual Zezinho Sobral (PODE) sobre um possível remanejamento dos recursos que sobrarem no caixa do governo, o secretário da Fazenda explicou que "os recursos continuarão sendo utilizados até o final do ano e eles têm uma direção certa, não tem como sobrar. O Estado vai continuar utilizando, mas obedecendo a vinculação específica".

Déficit de 2%

Marco Antônio Queiroz ainda disse que o Estado está cumprindo com as metas orçamentárias previstas em lei. "Demonstramos o cumprimento na aplicação de recursos que foram essenciais para o enfrentamento da pandemia. Sobre a expectativa de receita para o próximo ano, temos muito que reconstruir ainda e podemos chegar em dezembro com 2% negativo, a depender muito do comportamento do PIB", disse o secretário em resposta ao questionamento do líder do governo sobre a expectativa de receita para 2021.

 Iran Barbosa

Já o deputado Iran Barbosa (PT) fez um requerimento ao secretário já que vem acompanhando o comportamento das despesas com pessoal. "Algo que está praticamente consolidado é o crescimento vegetativo da folha de pessoal que tira de 1% a 2%. Como servidor público, cujos salários estão congelados há bastante tempo, todos sabemos que esse crescimento vegetativo impacta de alguma forma, e eu gostaria que o nosso mandato tivesse acesso aos dados detalhados do comportamento desse crescimento vegetativo até para que se esclareça as razões para esse crescimento", pontuou, enfatizando que o Estado continua sem conseguir fazer o investimento mínimo (25%) em Educação.

Gastos em Educação

Em resposta, o secretário explicou que sobre os 23,16% gastos em Educação até Agosto, há uma intenção do governo de procurar atingir o investimento mínimo até o final do ano, onde a intenção é melhorar os índices de Educação. Ele também se comprometeu em entregar os dados detalhados sobre o crescimento vegetativo da folha.

Zezinho Guimarães I

O deputado Zezinho Guimarães (MDB) não quis fazer questionamentos ao secretário, diante da exposição de que as finanças do Estado estão controladas. Zezinho fez um requerimento para que, na próxima apresentação das contas, a SEFAZ possa trazer o comparativo do quadrimestre de 2020 com o mesmo período de 2019. "Isso vai nos ajudar porque da forma que está aqui, estamos comparando janeiro a dezembro com janeiro a agosto. Isso acaba confundindo e você perde a capacidade de análise".

Zezinho Guimarães II

Sobre a apresentação do secretário, Zezinho completou dizendo que "o secretário está dizendo que está tudo bem, que a arrecadação está boa, que está tudo se enquadrando e vamos chegar ao final do ano com um bom deficit! Está tudo bem, a economia está se levantando e se o Estado continuar assim ele vai muito bem. Espero a comparação dos quadrimestres na próxima exposição para a gente ter uma visão mais ampla e previsa das receitas e dos indicadores".

TV Alese I

Pela primeira vez em sua história, a TV Alese, emissora da Assembleia Legislativa de Sergipe, passou a ser geradora de conteúdo da propaganda eleitoral gratuita dos partidos políticos para a eleição de 2020, cujo 1º turno irá acontecer no próximo dia 15. Os estúdios e toda a estrutura técnica da emissora legislativa sergipana foram adaptados para a nova missão, passando pela criação de um núcleo específico.

TV Alese II

Segundo o coordenador técnico da TV Alese, Carlos Eduardo Andrade, foi disponibilizada toda uma ilha de edição para cuidar exclusivamente das inserções dos programas dos partidos, além da geração em rede. "Montamos uma equipe técnica e operacional para atender as demandas das eleições municipais de 2020. Pela primeira vez a TV Alese será geradora do programa em rede e temos uma responsabilidade ainda maior agora com a propaganda eleitoral", explica Carlos Eduardo.

Irineu Fontes I

Para o diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa, Irineu Fontes, a TV Alese se consolida cada vez mais no segmento de comunicação pública de Sergipe. "Isso representa mais um grande avanço da nossa TV Alese, tv da Assembleia, que pela primeira vez gera e distribui o sinal". Irineu lembra que nas eleições anteriores a TV Alese apenas transmitia as inserções partidárias que são veiculadas na grade de programação. "Agora em 2020 todo o horário eleitoral gratuito em rede será gerado a partir da nossa tv do dia 7 até o próximo dia 12", celebrou.

Irineu Fontes II

Por fim, Irineu Fontes explica que a novidade é fruto do trabalho que vem sendo desenvolvido por todos que fazem a TV Alese. "Isso é fruto do trabalho de organização técnica e de programação de todos que fazem a nossa tv. Ao ponto de ganharmos agora a confiança da Justiça Eleitoral para repassar esse conteúdo. Isso nos deixa extremamente orgulhosos".

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com