siga nossas
redes sociais:

Edvaldo caminha para a "direita" e o PT defende a "unidade de esquerda"

09 de Janeiro de 2020, 12:32

A polarização do cenário político no País, que ficou marcado na eleição presidencial de 2018, continua muito viva e segue influenciando a movimentação dos partidos nos Estados e municípios brasileiros. De um lado estão muitos decepcionados com o volume de corrupção – que sempre existiu – que ficou evidente durante os governos dos Partidos dos Trabalhadores somados ao eleitorado de "direita" e bolsonaristas; do outro lado estão os seguidores do ex-presidente Lula, somados aos movimentos sociais e entidades sindicais, mais atrelados à "esquerda".

A "teoria do C            entro", onde partidos como o MDB "surfaram" por muitos e muitos anos, caiu em decadência e hoje a população está mais exigente neste sentido, ou seja, ela quer saber de pronto se o político é "de direita" ou "de esquerda", se acompanha a política do governo federal ou se vai trilhar na trincheira da oposição. Em Sergipe esta realidade não é diferente. É evidente que, por uma série de aspectos, uma parcela considerável do eleitorado é contrário ao governo federal; por sua vez, ainda existe um grupo relevante que acredita e apoia o presidente da República.

Feita esta introdução, nessa quinta-feira (9), o PT sergipano vai decidir se rompe ou não com o projeto de reeleição do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (sem partido). O gestor, após 39 anos de militância, acaba de se desfiliar do PCdoB, aliado histórico do Partido dos Trabalhadores. Tudo indica que irá para o PDT, mas não está descartada a filiação no PSD ou no PP, que dão suporte e participam de sua administração. Vale lembrar que Edvaldo foi eleito pelo agrupamento "de esquerda", ao lado do PT, e esses dois últimos partidos dão sustentação ao governo federal "de direita".

É bem verdade que o PDT (provável destino do prefeito) faz oposição a Bolsonaro, mas o eterno presidenciável Ciro Gomes (PDT) parece não querer qualquer reaproximação do partido com o PT, ou seja, de uma forma ou de outra, Edvaldo já estaria meio que se "afastando" dos petistas e, para alguns críticos, com uma tendência mais "à direita", uma mudança que chama muita atenção até pelo conservadorismo do eleitorado brasileiro e, principalmente, o sergipano. O prefeito tem suas razões, tem sido "bem tratado" pela "direita", que tem lhe ajudado a gerir Aracaju.

Por sua vez, se tiver coragem de liderar um processo novo na capital e decidir trilhar "seu rumo", o PT pode apresentar uma alternativa própria para a PMA, certamente vai usar o histórico de Marcelo Déda (in memoriam) e vai passar a condenar a postura mais "à direta" de Edvaldo. O discurso, se confirmado o rompimento político, será de construção de uma política de "unidade de esquerda", tentando reunir os partidos que estão alinhados nacionalmente e quem estiver insatisfeito com a gestão do País. Pelo visto, não vai existir "muro" e nem "centro". Ou vai, ou racha...

Veja essa!

Alguns setores da imprensa já anunciam e este colunista conversou com uma "fonte" do Partido dos Trabalhadores que informou: se o PT optar por um projeto próprio para Aracaju, por uma questão de coerência, entregará os cargos que possui na administração do prefeito Edvaldo Nogueira e vai caminhar com a oposição.

E essa!

A informação é que o militante do PT, caso a decisão da legenda seja romper com Edvaldo, que decidir continuar fazendo parte da administração, apoiando o projeto de reeleição, será convidado a se desfiliar e buscar outro partido. Isso vai dar tanto o que falar...

Fica com Edvaldo

Em entrevista para radialistas na manhã dessa quinta-feira (9), o governador Belivaldo Chagas (PSD) negou que no encontro com o prefeito Edvaldo Nogueira ontem, no Palácio de Despachos, tenha tratado de política, do PT e das eleições em Aracaju. Mas confirmou hoje: "o candidato do governador é Edvaldo Nogueira". O "galeguinho" só esqueceu-se de dizer que é eleitor de Simão Dias...

Exclusiva!

O vereador de Aracaju, Cabo Didi, após o anúncio de que o também vereador Lucas Aribé está saindo, amigavelmente, do PSB para possivelmente se filiar ao Cidadania, está com conversas adiantadas com o vereador Elber Batalha para se filiar e disputar um mandato pelo partido socialista. Didi estuda a legenda que melhor garanta seu projeto de reeleição, sem perder sua coerência política.

Fala Defon!

Em artigo publicado, o militante petista Anderson Defon defende a unidade do PT com a gestão do prefeito Edvaldo Nogueira. Sob título "Juízo, meu partido, Juízo", Defon avalia como "inimigo comum" a "direita conservadora, que saiu do armário misturando discursos de ódio com estratégias de marketing, ocupando na sociedade um espaço nunca visto outrora".

Sanha de protagonismo

Diante de um novo cenário de unidade da esquerda brasileira, Defon diz que "em Sergipe, no entanto, alguns setores do Partido dos Trabalhadores parecem não ter compreendido a mudança da conjuntura e continuam movidos por uma sanha de protagonismo". 

Oportunismo eleitoral

"A nível estadual e municipal (Aracaju), desconhecem o próprio governo que compõem, e compram a narrativa do ataque ao projeto executivo para manter mobilizada uma pequena horda que sempre fez do 'fogo amigo' a fonte de sobrevivência por puro oportunismo eleitoral", pontua Defon.

Discurso confuso

"O PT de Sergipe de hoje tem um tom de discurso confuso, desencontrado, e em nada lembra a sigla pujante e de posições bem definidas liderada por Marcelo Déda. É importante que os companheiros tenham compreensão de que as mudanças no cenário nacional não diminuem importância do arco de alianças que construímos aqui, pelo contrário, as reforçam", acrescenta o militante crítico. 

 Defesa de Edvaldo

"A gestão de Edvaldo em nada o faz desmerecedor do apoio petista. Sua gestão reestruturou Aracaju após um período de desmantelamento financeiro, político e administrativo. Aracaju retomou seu título de cidade limpa e organizada, além de ter recebido obras importantes, principalmente pelos bairros periféricos. Edvaldo toca também um ousado plano de recapeamento asfáltico que Aracaju não via da mesma forma há mais de 15 anos", defende Defon.

Travestidos de heróis

Por fim Defon pede compreensão "aos companheiros" e avalia como "maiores adversários" são os que "defendem todo o discurso de barbárie hoje representado pelo Governo Federal. Um setor composto por parasitas, que se alimentam do discurso falso moralista da antipolítica e não possuem absolutamente nenhum serviço prestado à população. Aventureiros travestidos de heróis". "Que os companheiros do PT de Sergipe e de Aracaju tenham juízo, muito juízo, porque a falta dele pode entregar o poder na mão de nossos piores adversários".

Zezinho Sobral I

O deputado estadual Zezinho Sobral (PODE), através de suas emendas impositivas no Orçamento do Estado de Sergipe para o exercício de 2020, destinou recursos para o município de Laranjeiras, mais precisamente para o Colégio Estadual Professora Zizinha Guimarães e para a Escola Estadual Cônego Filadelfo.

Zezinho Sobral II

As duas unidades receberão investimentos para aquisição de equipamentos para as salas de aula e laboratórios de informática. Já a Escola Estadual João Ribeiro, também em Laranjeiras, contará com recursos para reforma e pintura do prédio, além da aquisição de equipamentos para as salas e o laboratório. Ainda em Laranjeiras, Zezinho Sobral destinou parte dos recursos para obras de drenagem da rua Adolfo Barreto (popular rua do Mercado), no bairro Pedra Branca.

Agricultura

O deputado Zezinho Sobral também pensou no homem do campo e indicou emendas para perfuração de Poços Artesianos para vários municípios, a exemplo de Tomar do Geru, Cristinápolis e Itaporanga D'Ajuda. Sobral ainda incluiu parte dos recursos para o Programa de Promoção Social Saúde no Campo, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e para a aquisição de equipamentos para Sindicato de Trabalhadores Rurais (FETASE) e para a capacitação membros dos sindicatos de produtores rurais através de cursos de formação profissional rural

Saúde

Zezinho Sobral também aportou, através das emendas impositivas, recursos para melhorias na Rede Materna de Sergipe, a exemplo do Centro Obstétrico Leonor Barreto Franco, conhecido como Maternidade de Capela, e do Hospital Santa Isabel, em Aracaju.

Energia fotovoltaica

O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) utilizou suas redes sociais para destacar o compromisso assumido, essa semana, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) em não taxar os consumidores brasileiros que utilizam fontes renováveis, como a energia solar fotovoltaica.

Luciano Pimentel I

Pimentel tem defendido este tema como uma das "bandeiras" de seu mandato na Assembleia Legislativa, já tendo feito pronunciamentos, participando de debates e apresentando proposituras. Ele tem se posicionado contrário à decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) de revisar a resolução nº 482/2012 e taxar em até 62% os consumidores brasileiros que utilizam fontes renováveis.

Luciano Pimentel II

"Em entrevista coletiva, o presidente reafirmou o posicionamento do governo em relação ao tema e enfatizou que, no que depender dele e de seus ministros, não haverá taxação da energia solar. No twitter, Bolsonaro disse que tanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quanto o do Senado, Davi Alcolumbre, manifestaram interesse em definir, em regime de urgência, um projeto de lei que proíba essa taxação", celebrou Pimentel.

Alô ANEEL!

Por fim o deputado estadual disse que espera que a declaração do presidente da República, em entrevista coletiva, possa fazer a ANEEL a repensar essa revisão que ele considera "prematura e retrógrada". "Uma mudança que certamente inviabilizaria o setor fotovoltaico em nosso país", acrescentou.

Alô SMTT!

Este colunista critica alguns serviços prestados pela Prefeitura de Aracaju, mas também reconhece quando há acertos. Neste caso a SMTT acerta em fazer, no período da noite, a pintura de faixas de pedestres em frente às escolas da capital para dar mais segurança aos estudantes, que retornam às aulas semana que vem. Neste caso, ganham todos e os condutores agradecem.

IPTU I

O prefeito Edvaldo Nogueira enviará para a Câmara Municipal de Aracaju projeto de lei que garante novo prazo para solicitação de isenção do pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por parte de contribuintes que atendem aos requisitos de isenção.

IPTU II

A proposta também estabelece o perdão de dívidas anteriores relacionados ao IPTU e simplifica procedimentos de comprovação de renda e propriedade do imóvel. Têm direito à isenção pessoas com renda familiar de até dois salários mínimos e que possuam residência cujo valor venal seja de ate R$ 160 mil.

Débitos tributários

De acordo com o projeto de lei, "ficam remitidos os débitos tributários, ajuizados ou não, decorrentes do IPTU, relativos aos exercícios de 2020 e anteriores, do contribuinte que atenda cumulativamente às seguintes exigências: perceba renda bruta familiar mensal igual ou inferior a dois salários mínimos, vigentes no exercício a que se pleiteia o benefício; o imóvel seja utilizado para sua residência e não possua outro em qualquer localidade do território brasileiro, construído ou não, e cujo valor venal, no exercício da solicitação, seja igual ou inferior a R$ 160 mil".

Sem comprovação

Além disso, está previsto na proposta que "o contribuinte cujo valor venal do seu imóvel, no exercício da solicitação, for igual ou inferior a R$ 80 mil, desde que utilizado para sua residência e não possua outro imóvel, fica dispensado da apresentação de documento de comprovação de renda para o gozo da remissão, devendo tal benefício ser reconhecido de ofício". O projeto também estabelece que "o contribuinte que se encontrar isento no exercício de 2020 fica dispensado da apresentação de requerimento para gozar do mesmo benefício nos exercícios de 2021 e 2022".

AMESE

Após denúncia da Amese (Associação dos Militares de Sergipe), a prefeitura de Aracaju interditou a passarela de acesso ao conjunto Lourival Baptista, através da Defesa Civil municipal.

Alô Aparecida!

Com mais de 75% do mandato concluído, a prefeita de Nossa Senhora Aparecida, Vera Souza (MDB), está longe de cumprir as promessas feitas durante a campanha de 2016 que a fez assumir o Executivo aparecidense pela terceira vez. Do programa oficial registrado Justiça Eleitoral contendo 13 páginas e mais de 70 propostas, pouco mais de 15 foram totalmente cumpridas, ficando em débito com quase 80% de tudo que prometeu.

Não cumpriu I

Na elaboração do programa de campanha, Vera garantiu que as propostas iriam "ao cerne do clamor popular, usando fatos reais como fundamento para se atingir seus objetivos, com propostas condizentes com realidade econômico-financeira de Nossa Senhora Aparecida". Ainda segundo o texto oficial retirado do site do TRE/Se o "plano de propostas contempla em todas as áreas da Administração ideias inovadoras a serem desenvolvidas pelo Município em parceria com instituições públicas e privadas".

Não cumpriu II

Como exemplos de promessas não cumpridas pela prefeita Vera algumas são até curiosas como: internet grátis; programa Primeiro Emprego; Bolsa Alimentação Municipal; construção de quadras poliesportivas nos principais povoados, construção da Praça da Juventude para a prática de esportes radicais, sistema wi-fi de internet, e outras atividades; revitalizar o Centro de Comercialização da Feira de animais; implantação de Programa de extensão Rural (assistência técnica e distribuição de sementes) de acordo com a aptidão de cada povoado, em parceria com órgãos do Governo do Estado;

Não cumpriu III

Vera foi adiante e se comprometeu a implantar câmaras de segurança nos principais pontos da cidade; criação do Projeto "Meu Primeiro Emprego" como forma de inserir no mercado de trabalho jovens de baixa renda; construção de unidade de beneficiamento da produção local (artesanato, culinária, agricultura) objetivando a melhoria da economia e a geração de emprego e renda; construção de creches; revisão do Plano de Carreira dos Profissionais do Magistério Municipal.

Amorim em Itabaiana

Em entrevista ao programa "Na boca do povo", apresentado pelo radialista Edivanildo Santana na Princesa da Serra AM, o ex-senador Eduardo Amorim (PSDB) confirmou que o seu nome está à disposição do grupo do prefeito Valmir de Francisquinho. Eduardo também ressaltou o seu trabalho no Congresso Nacional em prol do desenvolvimento do município serrano.

Eduardo Amorim

"Sou do grupo de Valmir. Estou pronto e meu nome está à disposição. Assim como Adailton também está. Que bom que o grupo tem vários nomes preparados e que querem o melhor para Itabaiana. Quem ganha com isso é a população. Aqui não tem disputa. Somos amigos, aliados e seguiremos juntos", salientou.

Danilo Segundo

O ex-vereador de Aracaju e advogado, Danilo Segundo, retoma seu programa "Espaço Cidadão", que irá ao ar nesta segunda-feira (13), em suas redes sociais, com um novo formato e direcionado à defesa do consumidor.

TJ milionário I

Em matéria reproduzida nacionalmente pelo PORTAL UOL e pelo ESTADÃO, assinada por Pedro Prata de São Paulo, foi divulgado que os 13 desembargadores do Tribunal de Justiça de Sergipe, em dezembro, "receberam um contracheque global de R$ 950.613,73, média de R$ 73.124,13 para cada um".

TJ milionário II

A reportagem ainda em "decorrentes de vantagens eventuais, a exemplo de férias, abono pecuniário e gratificação natalina e respeitando teto constitucional, o Provimento 64 da Corregedoria Nacional de Justiça e a Resolução 293 do Conselho Nacional de Justiça". O valor é alto sim, é uma quantia milionária e surreal, agora como perguntar não ofende e sem querer fazer a defesa do TJ/SE, qual foi o montante pago pelo Tribunal de Justiça de São Paulo aos seus desembargadores?

TJ paulista I

Este colunista pesquisou e encontrou informações de José Marques, na Folha de São Paulo, que em 2019, desembolsou, em média, "R$ 56 mil mensais com cada um dos 360 desembargadores e também com os 400 aposentados da corte, segundo os dados disponíveis até julho. O cálculo inclui não somente os salários, mas o recebimento de retroativos e benefícios como auxílios e abonos, em valores brutos – sem descontos da Previdência e do Imposto de Renda". Mesmos após recolhimento dos impostos, cada magistrado ainda ficou, em média, com R$ 44 mil líquidos por mês.

TJ paulista II

Ainda segundo o jornalista, "os juízes têm direito a auxílio-alimentação, férias anuais, licença-prêmio e dias de compensação por cumulação de funções. Além disso, recebem retroativos, compostos principalmente de equiparações salariais, que são corrigidos pela inflação. Após os salários, são as maiores despesas pagas pelo tribunal aos seus integrantes. De janeiro a julho, o gasto com retroativos dos desembargadores do TJ-SP foi de cerca de R$ 48 milhões". Falar de Sergipe fica fácil, ou não?

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com