Justiça pode punir juiz que "aglomera" em casa, mas "silencia" sobre os ônibus!

16 de Março de 2021, 05:01

Este colunista não o conhece, não tem qualquer relação de proximidade, nunca trabalhou ou trabalha para o juiz de Direito Aldo de Albuquerque Mello, mas da mesma forma e veemência com que condena a "hipocrisia" de alguns setores no tratamento dispensado para os mais pobres, também sai em defesa do magistrado sergipano: por uma postagem que fez em suas redes sociais, no final de semana, em um almoço com sua família, dentro de casa, Aldo está sujeito a um procedimento disciplinar.

Com todo respeito ao senhor Corregedor-Geral de Justiça de Sergipe, Desembargador Diógenes Barreto, e desde já, como perguntar não ofende jamais, que crime cometeu o juiz Aldo em postar uma foto, dentro de sua residência, em um almoço com sua família? Ahh é pelo fato de ele ter feito uma brincadeira dizendo que estava "aglomerando" com os seus? Por isso ele está "fazendo apologia" à aglomeração? Será que todos nós, sergipanos e brasileiros, mantemos o "distanciamento social" dentro de nossas residências, no almoço ou jantar?

Será que todos nós, que estivermos com nossos filhos reunidos em uma mesa e ao registrarmos esse momento nas redes sociais, porque estamos "aglomerando", seremos igualmente investigados e/ou penalizados? Isso é razoável? Isso é hipocrisia! Centenas de sergipanos, por exemplo, vêm sendo flagrados em eventos clandestinos, "aglomerando", e equivocadamente sem máscara e álcool em gel, mas eles foram responsabilizados ou penalizados? E por que apenas o juiz será investigado?

Antes que digam que este colunista está fazendo a defesa porque se trata de um magistrado, por que, por exemplo, essa mesma Justiça parece "cega" diante da superlotação que temos no transporte coletivo da Grande Aracaju? Um magistrado dificilmente utiliza esse meio de locomoção (aqui não tem hipocrisia), mas sim o trabalhador da construção civil, do comércio, os estudantes, as empregadas domésticas e diaristas, os vigilantes, professores, jornalistas, dentre outras categorias tão dignas quanto um juiz. Mas, e a Justiça?

Se o juiz Aldo de Albuquerque Mello está dentro de sua residência, junto aos seus familiares, celebrando a sua vida, o fato de ter sobrevivido até agora à COVID-19, qual o problema nisso? Apologia? Por que a Justiça não determina que o transporte coletivo não pode, enquanto durar a pandemia, ter passageiros sem isolamento, aglomerando? Por que não toma decisão parecida em relação aos terminais de integração? Por que não impõe isso à Prefeitura de Aracaju, à SMTT? Por que não cobra por fiscalização dos vereadores e da Câmara Municipal?

Com todo respeito, parece que vivemos em um "mundo de faz de conta" e setores da imprensa têm grande responsabilidade nisso! Tem que acabar com essa hipocrisia por motivos políticos obscuros! Isso soa mais para restrição de direito, de liberdade, soa como perseguição e picuinha! Uma postagem de um "rico" na rede social incomoda, mas os registros diários com forte risco de infecção dentro dos ônibus parecem comuns? A vida do pobre não importa? Nem se ele protestar na rede social? Melhor nem falar de "outras aglomerações"...

Veja essa!

Após reunião extraordinária com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae) para acompanhar o cenário epidemiológico dos últimos dias no Estado, o governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou que Sergipe terá toque de recolher a partir desta quarta-feira (17).

E essa!

A partir do dia 17 de março de 2021 até o dia 22, o toque de recolher, das 20h às 5h, em todo Estado de Sergipe, com a proibição de circulação de pessoas e de veículos neste horário, salvo em razão de trabalho, emergência médica ou urgência inadiável. Durante o horário do toque de recolher somente poderão funcionar os serviços essenciais à população, além dos serviços de entrega em domicílio ("delivery") de bares, restaurantes e estabelecimentos similares.

Praias proibidas

Segundo o documento, fica proibida a circulação de pessoas e a realização de atividades econômicas nas praias, orlas fluviais, parques aquáticos e similares, parques e praças esportivas ou congêneres, bem como a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações em todo o Estado no final de semana (sábado e domingo) dos dias 20 e 21 de março.

Colapso na Saúde

"Diante do colapso da nossa rede pública e privada de Saúde, causado pelo aumento descontrolado de casos da Covid-19, decidimos junto ao Comitê Técnico Científico e de Atividades Especiais, a adoção de medidas mais duras como o toque de recolher em todo o estado para conter o avanço do vírus. Na próxima segunda-feira (22), estaremos reunidos novamente com o comitê para avaliar o resultado destas medidas e saber se precisaremos endurecer ainda mais ou relaxar nas restrições", explicou o governador.

Olha a hora!

Os estabelecimentos de serviços e comerciais, inclusive lojas de conveniência, deverão encerrar as suas atividades até às 18h, ressalvados supermercados e congêneres que poderão funcionar até as 19h, de modo a garantir o deslocamento dos seus colaboradores às suas residências.

Sem ponto facultativo

Ainda pela resolução, respeitado o feriado previsto em legislação local no âmbito do município de Aracaju ou eventualmente de outro município do Estado de Sergipe, fica revogado a determinação do ponto facultativo para a Administração Pública Estadual não essencial do Poder Executivo no dia 17 de março. Com isso, fica revogada a proibição de funcionamento das atividades não essenciais e especiais na data, desde que obedecido o toque de recolher.

 Trabalho remoto

Até o dia 21 de março, a Administração Pública Estadual não essencial, do Poder Executivo, poderá funcionar em regime de trabalho remoto. A resolução ainda recomenda aos municípios sergipanos a adoção, no âmbito das suas respectivas administrações, do regime de teletrabalho.   O descumprimento das medidas configura infração sanitária, passível de responsabilização:  cível, na forma da legislação pertinente; penal; administrativa, inclusive por meio de multa.

Pode ir em cana!

Em relação à fiscalização, o governador enfatizou que a Força-Tarefa de combate à Covid-19 vai continuar atuante no cumprimento do decreto governamental.  "No toque de recolher, se alguém for parado sem justificativa, pode ser recolhido para cadeia. O que vai ser permitido será exposto na resolução e no decreto. Não é um lockdown, é um toque de recolher. As pessoas podem se organizar entre as 5h até às 20h. Quando a sociedade ajuda, facilita nosso trabalho. É importante denunciar, informar", pontuou.

 Explicação da coluna

Este colunista foi criticado por alguns setores que não entenderam o comentário anterior reconhecendo o trabalho do governador Belivaldo Chagas, em especial no combate à COVID. Inclusive fazendo um comparativo com o governador da Bahia que desde fevereiro vem impondo medidas restritivas, como o lockdown, por exemplo. Em Sergipe, mesmo nos aproximando do limite de ocupação de leitos, tal medida ainda não foi necessária. E isso passa pelo trabalho do governador.

 Coluna diz a verdade

Como este colunista costuma dizer e escrever o que pensa e acredita, e tenta se manter em equilíbrio com a verdade, é importante frisar que quando erra, o governador merece a crítica, mas a coluna é contra lockdown e defende a liberdade. E Belivaldo não "fechou tudo"! Qualquer restrição, ainda que seja pela saúde, não é bem digerida. Quem acha que é "negacionismo", essa não é a intenção, mas fique à vontade! O titular deste espaço tem coragem, opinião e personalidade para ouvir críticas e elogios.

Tem crédito?

Em meados de 2020 o governo do Estado apresentou, via Banese, linhas de crédito emergenciais para atender as demandas dos micros, pequenos, médios e grandes empresários e os trabalhadores informais prejudicados financeiramente por conta da pandemia da COVID-19 e as regras de isolamento social. Não se sabe quantos empreendedores recorreram a esse auxílio, até por conta das condições ofertadas, mas o que já se comenta nos bastidores é que o governo fará algo parecido, agora para os segmentos do setor de eventos, bares e restaurantes, extremamente prejudicados com as mais recentes medidas restritivas.

Firmo no Cinform On Line

O titular deste espaço sugere como leitura a entrevista que fez com o coordenador do Fórum em Defesa da Grande Aracaju e morador da Zona de Expansão, José Firmo. Com quase três décadas de luta em defesa de melhorias pela sua região, ele comenta para o CINFORM ON LINE sobre assuntos relevantes para a cidade como a revisão do Plano Diretor que, segundo ele, foi "engavetada" pelo atual prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) desde 2017.

A Zona e os bairros

Firmo também lamenta a "celeridade" com que a PMA e a Câmara Municipal aprovaram o projeto que transforma a Zona de Expansão em seis novos bairros, sem sequer dialogar com a comunidade. "Isso sem dialogar com a comunidade, sem ouvir as pessoas, sem respeitar as tradições e as particularidades. Transformar isso tudo, da noite para o dia, em uma zona urbana e ponto final? Isso pode ser ilegal e passa por cima do Estatuto das Cidades, sem diálogo, sem revisão do Plano Diretor, sem nada!".

11 anos de atraso

Firmo revela outro dado impactante: o plano diretor de Aracaju existe desde 2000 e foi baseado em um diagnóstico ainda de 1995, mas por lei, obrigatoriamente, sua revisão é prevista no Estatuto da Cidade para ser feita a cada 10 anos. "Estamos com 11 anos de atraso sem a revisão do Plano Diretor. Ele está sim engavetado e, se você analisar, desde que passou a vigorar é quase na mesma época em que Edvaldo Nogueira entrou na Prefeitura de Aracaju. É o prefeito que mais tem atrapalhado essa revisão até agora".

Bomba!

Na entrevista, José Firmo reconhece que o ex-prefeito João Alves Filho (in memoriam) deixou a proposta de revisão do Plano Diretor completamente concluída, com dezenas de audiências realizadas. "A equipe multidisciplinar, comandada pelo Secretário de Planejamento à época, Igor Albuquerque e que tinha acompanhamento e apoio direto de outros secretários, como Eduardo Matos (Meio Ambiente), deixou as propostas já em forma de projeto de lei, com todo o tratamento dentro da Técnica Legislativa".

Exclusiva!

Firmo lembrou que a gestão anterior "valorizou a prata da casa" e não investiu em técnicos de outros Estados. "Foi feito um diagnóstico detalhado da cidade, mas ao assumir seu mandato, em 2017, o prefeito Edvaldo Nogueira disse que ia fazer um 'pente fino' no levantamento, mas na verdade ele engavetou a revisão do Plano Diretor! Além do prejuízo pela falta de planejamento urbano, tem ainda o prejuízo financeiro porque todo o trabalho realizado, com as diversas audiências públicas pelos bairros da capital teve um custo ao erário público e, infelizmente, foi tudo jogado fora!", denuncia. Tudo isso e muito mais no CINFORM ON LINE.

Belivaldo x Samuel I

Não chamem para a mesma mesa por esses dias o governador Belivaldo Chagas e o deputado estadual Capitão Samuel (PSC). Em um grupo nas redes sociais, os dois divergiram e o "galeguinho" soltou essa: "infelizmente responsabilidade não é para todos. Por isso que disse que ele joga para galera! Com todo respeito, o Capitão/Deputado tem passado dos limites".

Belivaldo x Samuel II

"Discordo governador. Todo homem público é obrigado a trabalhar com a matéria prima da verdade, sem manipulação dos dados e fatos. Seja da oposição ou da situação", respondeu o deputado, que em seguida emendou: "Com licença governador, permissão pra me retirar". Belivaldo retrucou: "está liberado há muito tempo". Vôte!

Tem que divulgar

O governador do Estado e o prefeito de Aracaju precisam divulgar melhor essas campanhas de vacinação para os idosos contra a COVID. A coluna recebeu reclamações de pessoas sentindo falta de uma campanha mais intensa, no rádio e televisão, nos portais. O assunto é relevante porque as faixas etárias para a vacinação dos idosos estão baixando com mais frequência e os postos estão vazios em boa parte do tempo.

Na bronca!

Fornecedores de materiais de construção e prestadores de serviços da Fundação Renascer não param de entrar em contato com esse jornalista para registrarem suas queixas com relação à aquisição dos materiais e serviços prestados por suas respectivas empresas!

Mais denúncias

Chegam a afirmar que não entendem como o governo, que tem uma imagem de seriedade com a coisa pública, permitiu tanto desmando! Denúncias de mercadorias entregues em parte com o restante sendo transformado em moeda de troca; as notas de serviços prestados que não teriam sido feitos ou até mesmo denúncias de superfaturamento dos mesmos; e os desmandos com os recursos públicos seguem acontecendo...

Olha a Renascer!

Recentemente o presidente da Fundação ordenou a demissão de alguns terceirizados, sob a argumentação de que eles estavam com desvio de função! Seria digno se fosse verdade! Tanto não é verdade que a maioria maciça dos terceirizados, com gordos salários e com desvio de função, além de muitos não estarem capacitados para desenvolver suas funções, são os "afilhados", parentes e amigos do Sr. Wellington Mangueira, através da empresa Ankora.

Perseguição

Na verdade os demitidos das terceirizadas foram por ordem expressa do presidente (aquele que diz que não persegue ninguém). Essas pessoas foram demitidas sob suspeição de estarem passando informação para um ex-diretor que teria indicado esses funcionários!

E o histórico?

Agora como fica feio para um homem que diz ter histórico, não passar a credibilidade que a sociedade precisa pela forma como manuseia os recursos públicos? Ou seja, o problema não é quem supostamente denuncia atos irregulares; o problema é quem usa recursos públicos de forma indevida! Dois exemplos: Dona Crerlin, com suprimentos de fundos; Dona Larissa com licitações conduzidas com fortes indícios de irregularidades;

E o gordinho?

Ainda tem um cidadão denominado como "gordinho", contratado também pela Ankora, na cota de exigências de Welington Mangueira, que trabalha em uma das unidades, tomando empréstimos vultosos, garantindo aos agiotas que tem poder de contratação de terceirizados, por ser ligado ao presidente há mais de 20 anos! O "gordinho" é famoso porque comparece quando quer e quando aparece nada faz! É mole?

Eleição vem aí!

As eleições de 2022 estão se aproximando e vamos aguardar qual será o discurso da situação, que apesar de ser municiado constantemente sobre a bagunça e o desperdício do dinheiro público, da Fundação Renascer, não toma nenhuma providência com as sucessivas irregularidades existentes nesse órgão e que já foram "desenhadas" por este colunista!

Alese & ASL

A Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) em parceria com a Academia Sergipana de Letras (ASL), ainda dentro das celebrações pela passagem do Bicentenário da Emancipação Política de Sergipe, lançam o álbum "Sergipe 200 Anos" com fotografias de profissionais conceituados como Joel Luiz, Jessé Souza, Márcio Dantas, Édson Araújo, Jorge Henrique, Jorge Carvalho do Nascimento e Murilo Navarro que fazem um resgate histórico de vários aspectos que compõem a história de Sergipe desde que se tornou independente da Bahia.

Sergipe 200 Anos

Para o presidente da ASL, professor José Anderson Nascimento, a obra constitui um verdadeiro registro para a posteridade do Sergipe atual, independente, altivo e defensor de suas tradições. "Levamos essa proposta ao presidente e deputado Luciano Bispo (MDB) que aceitou a sua realização de um álbum fotográfico demonstrando o crescimento de Sergipe dentro dos 200 anos, desde que foi desligado da Capitania da Bahia, em 8 de Julho de 1820".

Anderson Nascimento

"Esta publicação, fruto de consistente trabalho de pesquisa e compilação de dados, traz uma visão geral e faz um resgate histórico de pontos fundamentais e marcantes ao longo desse Bicentenário. Tínhamos um propósito de apresentar esse projeto em 8 de julho do ano passado e depois em 24 de outubro, mas tudo se atrasou por conta da pandemia. Agora resolvemos fazer uma pré-distribuição do álbum para celebrar o Aniversário de Aracaju", completou o presidente da ASL.

 Igor Albuquerque I

Segundo o subsecretário-geral da Mesa Diretora da Alese, Igor Albuquerque, há alguns anos o Poder legislativo tem uma relação muito profícua com a ASL, onde já foram produzidos alguns projetos, culminando no álbum "Sergipe 200 Anos". "É um livro com textos e registros fotográficos, de diversos aspectos da nossa geografia, das nossas cidades, uma belíssima obra assinada pela Casa do Povo Sergipe e a ASL", disse, ressaltando ser uma produção bilíngue.

Igor Albuquerque II

Igor Albuquerque enalteceu a importância da obra por se tratar de um "repositório de informações relevantes" sobre aspectos de Sergipe, como a Cultura, Gastronomia, Tradições. O Bicentenário de Sergipe se constitui em uma das mais importantes efemérides. São 200 anos do início da construção da nossa identidade e, a partir daí, a Alese vem promovendo uma série de eventos para disseminar o conhecimento, estimulando discussões sobre o processo que nos levou a emancipação política", acrescentou.

Documento valioso

Igor Albuquerque avalia ainda que o álbum serve um material informativo, de cunho turístico, muito valioso e que poderia ser aplicado como divulgação pelo trade turístico do Estado. Ele também destacou o empenho do presidente Luciano Bispo em valorizar as tradições culturais sergipanas. "Essa cooperação da Alese com a ASL é fruto também do compromisso do deputado Luciano Bispo, desde que assumiu a presidência da Casa, e que tem procurado disseminar o conhecimento, quando permitiu que vários eventos culturais fossem realizados".

Luciano Bispo I

Por sua vez, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luciano Bispo, entende que esta obra torna-se muito adequada para a utilização nas escolas, para disseminação entre os mais jovens. "É importante que eles façam esse resgate histórico, que conheçam e permaneçam guardando e a ajudando a construir a nossa identidade. Como presidente da Alese não posso esconder a satisfação em ajudar a promover um material tão rico e relevante sobre Sergipe".

Luciano Bispo II

Luciano Bispo ressalta a diversidade exposta no álbum de fotografias, com informações sobre o Estado e suas regiões, sua cultura e gastronomia, história e geografia. "Estão sendo divulgados alguns dos nossos recantos, do litoral ao Sertão, do Rio São Francisco ao Rio Real, sem deixar de registrar a imponência da Serra da minha querida Itabaiana. Uma parceria com a Academia Sergipana de Letras, a quem eu quero agradecer e registro que fico deslumbrado".

E a UBER?

A Frente de motoristas de aplicativos de Sergipe fez um manifesto exigindo ser ouvida para tratar sobre reajuste de tarifas da categoria que já está a cinco anos, defasado; segurança para o motorista; respeito, entre outras pautas. Acuada pela pressão, a empresa Uber justifica com o decreto governamental para fechar temporariamente o seu escritório. Cogita-se que esse acampamento poderá ser realizado em outras cidades do País. Será que a "gigante" irá fechar em todas as cidades onde tiver acampamento dos motoristas? Ou irá receber uma comissão de trabalhadores para ouvir as demandas da pauta?

Maisa Mitidieri I

Um ano após o primeiro caso de Covid-19 em Sergipe ser confirmado, a deputada estadual Maisa Mitidieri reforça o alerta sobre o momento que estamos vivendo. Apesar do intenso trabalho realizado pelos governos, estadual e municipais, em combate à pandemia, os hospitais públicos e privados do Estado encontram-se com quase sua capacidade total ocupada.  

Maisa Mitidieri II

"O momento é de redobrar os cuidados, pois, mesmo um ano depois do primeiro contágio e registro de baixa nos casos, voltamos a enfrentar um momento bastante delicado, não só em Sergipe, mas em todo país. Por isso reforço o pedido de que quem puder ficar em casa, fique e ajude aqueles que necessitam sair", afirma a parlamentar. 

Reconhecimento

A capacidade de atendimento da rede pública foi aumentada como nunca visto, para atendimento exclusivo da Covid, e o momento ainda é de reconhecimento de quais maneiras são mais eficazes contra o vírus. "Não podemos negar que está sendo realizado um intenso trabalho, mas é necessário que estejamos unidos  para que tenhamos eficácia nessa batalha", destaca Maisa. 

Olha a Defensoria!

A Defensoria Pública do Estado de Sergipe, através do Núcleo do Consumidor, expediu ofício aos planos de saúde Unimed, Hapvida, Plamed e Ipesaúde para que esclareçam de que forma estão cientificando os usuários a respeito do reajuste do ano de 2020, em conformidade com a determinação da ANS.

Defensoria x Planos

No ano de 2020,  a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou a suspensão dos reajustes anual e etário do valor dos planos de saúde em geral. Segundo a ANS, a cobrança do reajuste deverá ser feita em doze parcelas mensais ao longo do ano de 2021, de acordo com o modelo documental previsto no Comunicado nº 87, de 26 de novembro de 2020.

Augusta Bezerra I

"Assim, incumbe às operadoras de planos de saúde discriminar, no boleto de cobrança ou documento congênere, o percentual do reajuste de 2020 e qual a parcela que está sendo cobrada", explicou a defensora pública do Núcleo do Consumidor, Augusta Bezerra.

Augusta Bezerra II

Segundo Augusta Bezerra, muitos consumidores procuraram a Defensoria Pública com dúvidas sobre a cobrança do reajuste de 2020. "Durante o ano de 2021, nos boletos de cobrança ou documentos equivalentes, os planos de saúde deverão detalhar os valores relativos ao reajuste do ano passado, de forma que o consumidor saiba exatamente o que está pagando", disse. Os planos de saúde têm prazo de sete dias para manifestação.

Ricardo Marques

O vereador Ricardo Marques (Cidadania) realizou uma transmissão ao vivo em suas redes sociais e teve como convidado o médico cardiologista Dr. Luiz Flávio Prado. Eles conversaram sobre a atual situação do sistema de saúde do estado, as vagas de leitos e a velocidade de transmissão do vírus da Covid-19.

Luiz Flávio Prado

Na visão do cardiologista, a preparação para o aumento de casos não está sendo tão eficiente. "Na primeira onda a gente conseguiu se preparar, as pessoas colaboraram, o Estado colaborou. O movimento da ocupação dos leitos se repete, foi assim na primeira onda também. Primeiro começa a lotar os hospitais privados e depois chega aos hospitais públicos", explicou Luiz Prado.

Tem que ajudar

Sobre a possibilidade de fechamento geral no estado de Sergipe, o vereador Ricardo Marques avalia que, se for acontecer, o poder público deve ajudar a população. "Tem que ter contrapartida para as pessoas que não vão poder trabalhar. Não é só decretar fique em casa. Tem que decretar o fique em casa e dizer de que forma irão ajudar as pessoas. Alguns estados têm feito isso, têm destinado valores para ajudar os empresários, garçons, cozinheiros", comparou.

 Aumento nos casos

Ricardo aproveitou a oportunidade para reforçar a importância de seguir as orientações sanitárias. "Segundo os dados divulgados pela secretaria da saúde houve um aumento de 40% dos casos somente agora no mês de março. Tenho conversado com pessoas ligadas a área da saúde e eles dizem que nos próximos dias a situação pode piorar bastante. A única coisa que podemos fazer é nos prevenir, evitar aglomerações, reforçar o uso da máscara, lavar bem as mãos e usar álcool em gel".

Emília Corrêa I

Com o objetivo de conscientizar, discutir e buscar políticas públicas, popularizando assunto por uma sociedade mais igualitária, de autoria da vereadora Emília Corrêa (Patriota), foi realizada, na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) uma Audiência Pública com o tema: "Sororidade; mulheres que apoiam outras mulheres".

Emília Corrêa II

O evento, que foi totalmente virtual e seguiu todas as restrições impostas pelos Decretos Estaduais e Municipais, visando prevenir a propagação do vírus da Covid-19, contou com a participação de autoridades locais e nacionais relacionadas ao tema, como a Juíza de Direito da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Belo Horizonte (MG), Maria Consentino, Alice Santos (Defensora Pública de Pernambuco) e Amini Haddad, Juíza de Direito (TJ/MT).

Emília Corrêa III

De acordo com Emília, a sororidade deve ser amplamente discutida e, principalmente, colocada em prática. "Se quisermos conquistar de uma forma mais rápida aquilo que a gente tanto busca: os espaços dessas mulheres. Precisamos fazer isso não só na teoria, mas na prática. Muitas pregam, mas não vivem isso Essa união não significa que tenhamos que concordar com tudo que as outras pensam. Sou a favor dos espaços das mulheres, da efetividade dos direitos das mulheres, sou contra violência contra mulher. Eu, como mulher, posso pensar diferente de outra mulher e isso  não significa que estejamos desunidas ou não praticando a sororidade", explicou.

Reforma das quadras

O vereador Anderson de Tuca, do PDT, solicitou à prefeitura reformas nas quadras da Orla de Atalaia, dando como exemplo as do Complexo Alberto Menezes. Além disso, o vereador afirma que atividades físicas deveriam ser consideradas como essenciais, mesmo durante a pandemia, pois incentiva a população a se manter saudável e ativa.

Joaquim da Janelinha I

Foi aprovado requerimento em reunião virtual, da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), sob o comando do presidente Joaquim da Janelinha (PROS); que trata sobre a lei nº 13.935/2019, que prevê inserção de profissionais da Psicologia e Serviço Social nas escolas da rede básica de ensino. "Também já deixamos agendada reunião com o coordenador do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe CRP/SE, e coordenador do GT de psicologia escolar e inclusão, Marcus Paulo Argolo, além dos demais membros, para a próxima segunda-feira, 22", disse Joaquim que ainda complementou.

Joaquim da Janelinha II

"Com a pandemia, percebemos ainda mais a necessidade da presença desses profissionais no âmbito escolar. Na ocasião, nós iremos discutir sobre a importância e o papel do psicólogo escolar dentro da educação básica, quais são as atividades exercidas e, nesse contexto, as dificuldades existentes na escola pública", pontuou. Sobre a lei nº 13.935/2019, ela diz que esses profissionais deverão desenvolver ações para a melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem, com participação da comunidade escolar, atuando na mediação das relações sociais e institucionais. O trabalho da equipe deverá considerar o projeto político-pedagógico das redes públicas de educação básica e dos seus estabelecimentos de ensino.

Eduardo Amorim I

O Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS) é uma das unidades beneficiadas pelo trabalho do presidente do PSDB Sergipe, o médico Eduardo Amorim, enquanto parlamentar federal. Foram mais de R$ 23 milhões destinados ao hospital, além de luta por equipamentos e ampliação do número de profissionais.

Eduardo Amorim II

Do total de recursos, R$ 8 milhões foram encaminhados para a construção do Anexo Hospitalar - Oncologia e Transplantes. O prédio com quatro pavimentos possui 51 leitos, sendo 16 de quimioterapia; seis para diálise; 26 leitos de enfermaria e três para servir à área de Transplantes. Conta ainda um Centro de Imagem e Diagnóstico, com procedimentos como ultrassonografia, teste ergométrico, eletrocardiograma, espirometria, mamografia com estereotaxia e polissonografia.

Unidade Materno Infantil

A outra emenda, no valor de R$ 15,7 milhões, foi essencial para a construção da Unidade Materno Infantil, que terá a capacidade de realizar cerca de 300 partos mensais. Contará com UTI Neonatal, UTI Adulto, UTI Pediátrica, leitos de Enfermaria e Berçário. "Fui informado que a unidade já está funcionando parcialmente com os ambulatórios de saúde da mulher e de saúde da criança e do adolescente, além do serviço de pediatria hospitalar. Tenho certeza que muito em breve estará com todos os serviços disponíveis, garantindo um atendimento de qualidade", ressalta Eduardo.  

Equipamentos e profissionais

A atuação de Eduardo Amorim também foi determinante para evitar que, em 2017, o HU-UFS perdesse alguns equipamentos que estavam encaixotados na unidade hospitalar. "O Ministério Público recebeu a denúncia em relação a estes equipamentos – uma máquina de ressonância magnética e hemodinâmica – e que já seriam encaminhados para outro estado, pois não havia um local específico para a instalação", detalha o ex-senador.

  Recursos assegurados

"Fui procurado pelos promotores Fábio Viegas e Alex Maia para participar de audiência com os ministros da Saúde e da Educação, além do presidente da Ebserh e conseguimos, além de manter os equipamentos, os recursos para a construção do prédio para instalação dos aparelhos, que foi o Anexo", complementa.

Legado

Na oportunidade, com a ampliação do hospital, foi possível a contratação de profissionais que, à época, haviam sido aprovados no concurso da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - Ebserh. "É com muita alegria que venho acompanhando a ampliação do HU-UFS e mais ainda por saber que o nosso mandato foi um instrumento para viabilizar tudo isso. É mais um dos legados da nossa atuação parlamentar em prol da saúde pública de Sergipe", salienta Eduardo Amorim.

Mulheres de Peito

O radialista e deputado estadual Gilmar Carvalho anunciou que vai doar parte de seu salário ao Movimento Mulheres de Peito, instituição que atua em defesa dos direitos de pacientes oncológicas em Sergipe. A instituição atende 198 mulheres acometidas pelo câncer de mama. 

Gilmar Carvalho

"Escolhi ONG Mulheres de Peito porque tenho uma preocupação especial com os irmãos sergipanos acometidos pelo câncer. Mesmo à distância, pois ainda não fiz uma visita à instituição, sei que essa instituição faz um trabalho extraordinário não apenas em Aracaju, mas em todo Sergipe", afirmou Gilmar Carvalho. 

 Aline Souza

A presidente do Mulheres de Peito, Aline Souza, destacou a importância das doações para a manutenção dos trabalhos desenvolvidos pela instituição. "Somos uma ONG relativamente nova e as doações são importantes. Por isso, agradecemos a Gilmar Carvalho por este gesto. Todo o valor doado por ele será utilizado para a compra de alimentos que serão doados às famílias das nossas assistidas", salientou.

Campanha de arrecadação

"Inclusive, aproveito para destacar à sociedade que seguimos com nossa campanha de arrecadação de alimentos para montar cestas básicas para nossas assistidas. Desde que a pandemia começou estamos enfrentando dificuldades para manter este compromisso. Por isso, reforço o pedido de doação de alimentos, que podem ser entregues em nossa sede, localizada na Av. Barão de Maruim, 493, Centro", detalhou. A presidente reforçou ainda a importância das doações financeiras pelo call center 3024-2009 ou 3024-6588.

Exposição de Edidelson I

Lavadoras de roupas, feirantes, catadoras de caranguejo e demais personagens da cena cotidiana protagonizam as obras que estarão no Shopping Jardins a partir da próxima quinta-feira (18). A exposição do artista plástico e cartunista Edidelson Silva é uma homenagem a Aracaju, que em 17 de março completa 166 anos. A mostra selecionada pelo projeto 'Janelas para as Artes', promovido pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) por meio da Lei Aldir Blanc. acontecerá no corredor entre a Kalunga e a Camicado até o dia 2 de abril. O acesso será gratuito.

Exposição de Edidelson II

'Humanos e Urbanos Aracajuanos' reúne 14 obras em acrílico sobre tela que revelam riquezas e peculiaridades das paisagens do dia a dia. Pela arte de Edidelson Silva, igrejas, praças, mangues, praias, pontes, mercados ganham significados especiais, impulsionados pela presença marcante da nossa gente. Seus traços, formas, texturas e cores convidam o espectador a apreciar e se deleitar com as belezas naturais, arquitetônicas, culturais e humanas da capital sergipana.

Exposição de Silvio Rocha

Contemplado no edital da Lei Aldir Blanc, através da Funcap – Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe -, o repórter-fotográfico Silvio Rocha apresenta ao público a exposição de fotografias "O homem e a lama". A abertura acontece nesta terça-feira, dia 16 de março, a partir das 10h, no Corredor Cultural "Irmão", que fica no prédio da Funcap, à Rua Vila Cristina, 1051, bairro São José. As fotos, todas em preto e branco, retratam o cotidiano de homens e mulheres que extraem da lama e comercializam uma das iguarias mais apreciadas pelo sergipano: o caranguejo.

Trabalho de Campo

Para realizar o trabalho, com temática social e cultural, Silvio Rocha passou dias freqüentando o ambiente de manguezais e acompanhando de perto a rotina dos catadores que vivem uma relação de intimidade com a lama. As imagens são impressionantes, e revelam um mimetismo contemplativo que define a posição do homem, do bicho e da lama no ciclo na natureza. "A intenção foi também fazer um alerta quanto à destruição dos nossos manguezais".

Arlinda e Gilson Sousa

Além das fotografias, que evidenciam a integração do homem com a natureza que garante o seu sustento econômico, a exposição também conta com texto de apresentação da jornalista Arlinda Carvalho e com um poema feito exclusivamente a partir das imagens por Gilson Sousa. "Esse é um dos trabalhos fotográficos que mais me proporcionaram prazer durante o processo de produção. Vejo que estou contribuindo com algo importante para todos nós, que é a conscientização em relação à preservação do meio ambiente e sua sustentabilidade", afirmou o fotógrafo

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com