O povo brasileiro foi o maior derrotado nas "democráticas" eleições municipais!

04 de Dezembro de 2020, 05:30

Estamos vivendo sob a segunda onda da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), com o crescimento dos casos de novos infectados e a consequente volta das mortes por conta da doença. Pelos noticiários e até de forma oficial, os governos confirmam que as internações nos hospitais públicos e privados cresceram e, em alguns casos, já chegamos ao estágio de superlotação. Há um receio de quem ainda não teve a COVID, mas também pelo risco de reinfecção...

Havia sim a pressão dos setores produtivos e do próprio governo federal sobre a necessidade da retomada atividade econômica para retirar o País de uma recessão ainda pior. A argumentação é forte, porque sem trabalho, não se tem renda e sem dinheiro o "arroz com feijão" não vai para a mesa do trabalhador. É preciso frisar ainda que a própria população tem que dividir essa responsabilidade até porque muitos não seguiram as normas sanitárias, mesmo com a flexibilização...

Mas não dá para tirar da classe política o "peso" dessa segunda onda da COVID-19. Desde o início, lá atrás, este colunista foi um defensor, quase que isolado, da não realização das eleições municipais esse ano. Por conhecer um pouco dos bastidores da política e por enxergar as dificuldades que algumas candidaturas teriam, já era sabido que o poder econômico teria um peso ainda mais decisivo em 2020. Não deu outra: pelo interior, muitos candidatos que venceram gastaram o que tinha e o que não tinham...

Estava na cara que não teríamos uma eleição igual esse ano! Temos muitos pais de famílias que só não passaram fome por conta dos auxílios emergenciais do governo federal. Estados e Municípios só não "quebraram" por conta dos repasses feitos pela presidência da República que minimizaram as perdas de arrecadação dos governadores e prefeitos. Com o desemprego em alta, estava claro que o dinheiro poderia decidir a maioria das disputas, e decidiu...

Outro aspecto é que, se nas eleições recentes as abstenções, votos brancos e nulos estavam crescendo, esse ano, em plena pandemia, era natural que esses indicadores fossem ainda maiores. E, como perguntar não ofende nunca, o que é tão "democrático" numa eleição em que ganham os candidatos que possuem mais dinheiro e onde uma parcela significativa da sociedade se abstém de votar e escolher seus representantes? Apenas pela "alternância dos poderes"? Pela não prorrogação dos mandatos?

Voltando à COVID, a classe política tem responsabilidade porque, durante a campanha eleitoral, nos dois turnos, não se viu qualquer moderação sobre isolamento social. Caminhadas, aglomeração, abraços e muito mais! Parecia que já tínhamos vencido a pandemia, era como se ela não existisse mais ou tivesse "saído de férias"! Ela nunca nos deixou e o saldo das eleições municipais, para este colunista, entre eleitos e não eleitos, é que o grande derrotado foi o povo, que seguirá convivendo com a doença....

Veja essa!

A Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral atuante na 13ª Zona Eleitoral de Sergipe cumpriram, na manhã dessa quinta-feira (03), três mandados de busca e apreensão, com o objetivo de angariar provas para investigação que ocorre em segredo de justiça.

E essa!

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe e foram cumpridos nos municípios de Laranjeiras, Nossa Senhora de Lourdes e na capital Aracaju. Em Laranjeiras houve busca e apreensão na Câmara Municipal.

Armação para queimar I

A notícia que ganhou as redes sociais sobre um suposto nepotismo dentro do Ministério Público Estadual e cuja denúncia teria sido encaminhada para o Conselho Nacional do Ministério Público tem apenas a intenção de tentar desestabilizar a nova gestão do órgão, sob o comando do promotor Manoel Cabral Machado Neto.

Armação para queimar II

A informação é que os servidores que seriam o "objeto" da denúncia, são concursados da instituição e conforme resolução 198/2018, do próprio Conselho Nacional, está afastada a caracterização de nepotismo "quando se tratar de nomeação de servidor efetivo para ocupar cargo em comissão ou função de confiança em que não há relação de subordinação entre o nomeado e o agente público", ou seja, a polêmica não se justifica. É preciso entender que temos outros MPE...

Aulas só em Março...

O governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou, nessa quinta-feira (3), em coletiva no Palácio, que o Estado vai intensificar as campanhas de conscientização com a população sobre o distanciamento social e vai aumentar a fiscalização preventiva das nomes sanitárias pelos empreendimentos. Sobre as aulas presenciais na rede estadual de ensino, ele já antecipou: só a partir de 22 de março, e olhe lá...

Vitória dos trabalhadores

O juízo da 6ª Vara do Trabalho de Aracaju julgou PROCEDENTE a ação movida pelo SINTER-SE em desfavor da EMDAGRO para SUSPENDER os efeitos da Portaria nº 84 da Presidência da empresa. No processo, o sindicato requeria que os empregados com mais de 60 anos pudessem exercer as suas atividades em regime de home office, em virtude de estarem enquadrados no grupo de risco das vítimas da COVID-19.

  Alô Emdagro!

O processo, acompanhado pela assessoria jurídica do sindicato (Kazukas Advocacia), foi proposto para que a EMDAGRO pudesse ter o mesmo tratamento conferido aos demais entes do Estado de Sergipe, inclusive conforme Decreto do Governo de Sergipe e Relatório do Comitê Técnico Científico de Atividades Especiais. 

 Já tinha liminar

No caso em apreço, a Justiça do Trabalho já havia concedido liminar suspendendo temporariamente os efeitos da portaria, tendo a liminar sido mantida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região. A sentença, publicada em 02 de Dezembro, apreciou o mérito da matéria, de modo a ampliar os efeitos da tutela anteriormente conferida. 

Paulo Alves

O Presidente do Sinter-SE, Paulo Alves, festeja a decisão e lamenta a necessidade do ajuizamento da ação: "O sindicato tentou, por diversas vezes, a solução amigável da questão, de modo a evitar a exposição ao risco de vida dos empregados da EMDAGRO. Infelizmente, ante a ausência de resposta da empresa, a ação foi necessária e, pessoalmente, considero a decisão justa e adequada".

 Seguem em casa

Dessa forma, a decisão determina que os empregados públicos poderão exercer as suas atividades em home office, até que as questões sanitárias decorrentes da pandemia estejam resolvidas. 

Bomba!

Chega a informação que uma servidora pública, em uma função de comando no Estado, que está afastada de suas funções, alegando depressão, estaria prestando outros serviços para outra gestão, mesmo que extraoficialmente, na região Norte do País. Os servidores do órgão estão fazendo o levantamento interestadual...

Exclusiva!

A informação é que a servidora recebe um adicional para trabalhos nos finais de semana, mas que há mais de mês não aparece porque deu um atestado de depressão. Há quem diga que foi buscar a "cura" na região Amazônica. Tem é coisa! Galeguinho, galeguinho...

Eita Lagarto!

Um servidor comissionado da Prefeitura de Lagarto polemizou ao gravar um áudio e jogar nas redes sociais mandando os comissionados ligados à Família Reis e à Família Monteiro, que trabalham no Estado, não "comprarem parcelado" porque eles só ficam em suas funções até Março. A insinuação é que o governador Belivaldo Chagas vai formalizar uma aliança política com o deputado federal Gustinho Ribeiro e a prefeita Hilda. Quem conhece o "galeguinho", vem outro "carão" por aí...

Instituto Histórico e Geográfico

Os sócios efetivos do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE), reunidos em assembleia geral, elegeram, por unanimidade dos votantes, a Diretoria da "Casa de Sergipe" para o triênio 2021-2023 composta por: Aglaé D'Ávila Fontes, Presidente; Igor Leonardo Moraes Albuquerque, 1º Vice-Presidente; Tereza Cristina Cerqueira da Graça, 2ª Vice-Presidente; José Rivadálvio Lima, Secretário-Geral; Adriano Torres Azevedo, 1º Secretário; Luiz Fernando Ribeiro Soutelo, 2º Secretário; Terezinha Alves de Oliva, Oradora; Ancelmo de Oliveira, 1º Tesoureiro; Paulo Amado Oliveira, 2º Tesoureiro.

Aglaé D'Ávila Fontes

A Presidente reeleita do IHGSE, Aglaé D'Ávila Fontes, agradeceu a confiança dos sócios quanto à continuidade do trabalho, destacando que, "mesmo durante a pandemia, o Instituto permaneceu guardando a história e a memória e construindo novas alternativas de conhecimento e de democratização do acesso a seu acervo, com destaque para a inauguração da nova Biblioteca "Manoel Bomfim", toda ela dedicada a produção cultural sergipana". A nova Diretoria tomará posse em 11 de janeiro de 2021.

Farol Center

Um leitor da coluna entrou em contato indignado com o que ele entende por "gasto desnecessário" do Estado em reformar todo o prédio da Galeria Farol Center, localizada em frente ao antigo farol do Augusto Franco e que vai sediar a Secretaria de Turismo. "Quem quiser reformar seu imóvel, não precisa nem pegar orçamento. Basta aluga-lo para o Estado", desabafou. Pega fogo!

Unicef I

Na próxima terça-feira (8), às 9h45, haverá a divulgação dos resultados alcançados e da lista de municípios que recebem o Selo UNICEF 2017-2020. O Selo é uma iniciativa do UNICEF para estimular e reconhecer avanços reais e positivos na promoção, realização e garantia dos direitos de crianças e adolescentes em municípios do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira.

Unicef II

Na edição 2017-2020, os municípios que recebem o Selo UNICEF se destacaram por avanços na garantia dos direitos de meninas e meninos a educação, saúde, proteção contra a violência e participação social. O evento será transmitido pelo Youtube e Facebook do Unicef Brasil.

Fábio Henrique I

O deputado Federal Fábio Henrique (PDT) usou o plenário da Câmara Federal para registrar o falecimento do governador João Alves Filho. Em tom de homenagem a 'João do Povo', Fábio Henrique destacou a revolução em obras, a fidelidade partidária e o amor dele pela família.  

 Fábio Henrique II

"Infelizmente, nosso estado se despediu de um dos homens mais realizadores, idealizador das principais obras realizadas em Sergipe. O ex-governador João Alves Filho teve o PFL, hoje Democratas, talvez como seu único partido. Ele foi governador de Sergipe por três vezes, duas vezes prefeito de Aracaju e Ministro do Interior. Gostaria de deixar registrado os meus votos de sentimentos à toda família, em nome da senadora Maria do Carmo e todo o povo sergipano", discursou Fábio Henrique.

Emília Corrêa I

Com a proximidade do início de mais uma legislatura, a vereadora reeleita Emília Corrêa (Patriota), destacou, durante entrevista concedida à Rádio Web Metrópole que sua pauta inicial será a instalação e efetivação da Procuradoria da Mulher no âmbito municipal. 

Emília Corrêa II

"Aprovado por unanimidade, o Projeto de Resolução 4/2020 que trata da Procuradoria da Mulher, será um divisor de águas e legado para a CMA. A ansiedade, agora, é para sua instalação e esse será meu foco principal a partir de janeiro. Assim que estiver funcionando, vamos poder receber e cuidar das vítimas em todas as esferas. Uma grande conquista", enfatizou Emília.

Procuradoria da Mulher I

A parlamentar disse, ainda, que torce para que a CMA desempenhe um bom trabalho nesse sentido como já acontece em outros órgãos. "Aracaju estava devendo isso. Em todas as demais capitais já existe. As mulheres precisam de mais essa porta aberta com toda amplitude que ela propõe. Por isso lutei desde o início para essa aprovação e agora, a luta vai ser para ela ser materializada, afirmou. 

Procuradoria da Mulher II

Ao concluir, a vereadora ressaltou que os seus projetos são voltados, sobretudo, para os direitos dos munícipes e reforçou que continuará sendo fiscalizadora ferrenha do Executivo. "Causa da mulher, das crianças, Direitos Humanos, Consumidor, das pessoas como alguma limitação física... todo mundo tem vez no nosso mandato. Darei continuidade nesse sentido e, aproveito, para deixar bem claro, que permanecerei com o meu perfil combativo em defesa das pessoas. É desse jeito que trabalho", explicou.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com