Vários fatores geram desinteresse pela política! Alguns políticos "ajudam" muito!

23 de Dezembro de 2020, 09:23

Não tem sido em vão que, a cada eleição, há um movimento maior de pessoas que não se sentem estimuladas a irem às urnas dar um voto de confiança em um candidato. E muitos que vão, para não terem impedimentos junto à Justiça Eleitoral, optam por votar em branco ou anular o voto; alguns, também, costumam votar "em quem não tem chances", "no menos pior" ou no chamado "voto de protesto". Aquele orgulho de ir para o colégio eleitoral votar e defender um nome é bem menor hoje em dia...

As pessoas cada vez mais se sentem menos representadas, menos respeitadas. Estamos falando de mandatos eletivos que, "democraticamente" são eleitos pela maioria, mas que geralmente são definidos por uma privilegiada minoria. Os "times" são definidos e escalados para "entrarem em campo", e o eleitor só tem o direito de torcer e votar, não necessariamente nesta ordem. É partindo dessa baixa representação que as pessoas se sentem distantes da política.

Não tem sido em vão que, vez ou outra, o Poder Judiciário já vem "legislando" no lugar de senadores, deputados federais, estaduais e até de vereadores. Em alguns casos, até o Executivo já se dobra "aos magistrados"! Não foi em vão que mudaram a legislação eleitoral, "execrando" as coligações partidárias. A ideia concentra os poderes nas legendas maiores e/ou naquelas que se mobilizam, que se organizam e se preparam para o pleito. Parece ser o fim das "legendas de aluguel"!

O "oportunismo" que sempre "pesou" na política, de pessoas com partidos "embaixo dos braços", negociando apoios em troca de cargos públicos, parece ser algo que, felizmente, começa a ficar no passado. A cláusula de barreira está "matando" os partidos que não possuem nenhuma ou apenas uma mínima representação nacional. São legendas criadas sem qualquer viés ideológico ou social, que servem como "ferramentas eleitorais".

O povo passou a enxergar um pouco mais do que acontece no seu redor; as pessoas têm uma percepção melhor do que é o ambiente político, e seja numa Câmara Municipal ou outro parlamento qualquer. Já percebemos algumas mudanças nos perfis dos eleitores; há uma "segmentação" direcionando o voto para determinadas candidaturas, graças às "causas" e "bandeiras sociais". Quebrou-se o "monopólio da informação" e as redes influenciam bastante atualmente...

Por força da nova legislação a renovação nas Casas Legislativas já aparenta ser uma realidade consolidada. Vários fatores geram desinteresse pela política! Alguns políticos "ajudam" muito! A falta de representação nos parlamentos, algumas posições assumidas (geralmente amargas para os trabalhadores), além das "contradições ideológicas" em certas alianças firmadas, só afastam cada vez mais o eleitor. Quem não quer enxergar as coisas desta forma, corre o sério risco de ficar sem mandato...  

Veja essa!

Por Reinaldo Moura: "nesse mês de dezembro, André Moura (sem mandato atualmente) já conseguiu liberar mais de 32 milhões para Sergipe. Veja a diferença do discurso a quem trabalha"! Faz sentido...

E essa!

Este colunista já fez algumas críticas à bancada federal sergipana que, atualmente, deixa muito a desejar. As mudanças que serão impostas, pelo povo e até pela nova legislação eleitoral, serão sentidas em 2022...

Fazendo contas

O mesmo movimento que ocorreu em 2020 com candidatos a vereador se organizando em partidos e não aceitando a filiação de mandatários, irá se repetir em dois anos. Teremos também vários deputados filiados em uma única legenda, apostando na chamada "roleta russa" que, para muita gente, foi "fatal"...

Eleição da calculadora

Este colunista já havia alertado, há alguns meses, que teríamos a "eleição da calculadora", onde para a definição dos eleitos a vereador seria preciso fazer muitas contas. O mesmo vai ocorrer em 2022 se a legislação eleitoral não mudar. O fim das coligações vai exigir mais do que um agrupamento forte. É preciso ter voto...

Estadual x Federal

Faltando menos de dois anos para a eleição de 2022, este colunista já antecipa duas realidades: teremos alguns deputados estaduais disputando um mandato na Câmara Federal; por conseguinte, já se fala em um ou até dois deputados federais tentando uma cadeira na Assembleia Legislativa. Vem muita mudança pela frente...

Fundação Renascer I

Este colunista falou, alertou, denunciou e fizeram "ouvido de mercador"! Chegou a visitar as dependências da Fundação Renascer, entrevistou auxiliares e ouviu versões sobre denúncias relacionadas à gestão do presidente Wellington Mangueira. Muito do que foi apurado se relaciona com a empresa Ankora, que presta serviços para a Fundação.

Fundação Renascer II

Uma das curiosidades que chamou a atenção deste colunista foi a exoneração de um ex-diretor que já vinha há dois meses se negando a assinar o pagamento para a empresa Ankora. Até onde se tem conhecimento, existiam supostos indícios de irregularidades no contrato. O diretor caiu, mas o presidente segue no cargo, "inerte" a qualquer coisa que vá de encontro aos interesses da empresa.

Espaço aberto

Como a Fundação Renascer não demonstrou interesse em se manifestar, este colunista mantém o espaço aberto para possíveis contestações e direitos de resposta, mas desde que venham com argumentações objetivas e que tratem expressamente do que começa a ser colocado por este espaço.

Tá "broco"?

Recentemente, outro (a) diretor (a) foi exonerado (a) da Fundação e, como não poderia ser diferente, também sem o conhecimento do presidente Wellington Mangueira, que parece não saber o que anda ocorrendo em sua estrutura. Talvez pelo peso da idade, o presidente tenha esquecido das promessas que fez à ex-diretora (também exonerada) que se ela saísse da Fundação, ele também sairia. O "velho companheiro" a abandonou na "primeira estação"...

Costas quentes?

Tem ainda o caso do assessor jurídico da Fundação, que "vende" como da confiança irrestrita do deputado federal Laércio Oliveira (PP), e que domina os pareceres da (s) procuradora (s) do órgão; elas, inclusive, chegaram a ser advertidas pelos ex-diretor sobre os indícios de irregularidades e também não se manifestaram...

Exclusiva!

Dentre as irregularidades que estão sendo apuradas dentro da Fundação constam o pagamento da empresa por uma jornada semanal de 44 horas, quando os funcionários são disponibilizados para trabalhar somente 30 horas por semana! Tem ainda o pagamento do auxílio alimentação que é devido para os funcionários que trabalham em dois turnos, mas a turma só trabalha um expediente.

Alô MPE e Deotap!

Este colunista montou um "organograma" da Fundação Renascer e da empresa Ankora e o que se percebe é uma relação bastante questionável entre as partes. É quase um grande "bolsa família", como parentes e amigos do "rei", um monte de gente bem "apadrinhada" compondo o quadro de funcionários.

Bomba!

A chefe do gabinete da Fundação, Rosângela Hermes, tem um cargo comissionado; sua irmã (Regila) atua na empresa Ankora; Naiara Barros Mangueira também trabalha na empresa Ankora; Dona Ana (tia da chefe do gabinete) trabalha na empresa R&M; Gildeon (genro de Rosângela) também é da empresa Ankora.

Escândalo!

O primo da chefe do gabinete atua como pintor na empresa J.S.; o assessor jurídico Elino também tem relação com a empresa Ankora; Milton Júnior (autor do livro do presidente da Fundação) é fiscal da Fundação; sua esposa Laís é nutricionista e contratada da empresa Ankora, ou seja, cabe a ele fiscalizar o cardápio que ela sugere; Sandra, que responde pelo setor de compras, é a esposa do assessor jurídico...

Mais apadrinhados I

A situação ainda vai além: Fernando Antônio, atual diretor-financeiro em exercício, tem sua esposa Tatiane a frente do setor de contabilidade e é contratada pela empresa Ankora; e a tia Lucicleide também trabalhando na Ankora que presta serviços para a Fundação. Outra tia, Cristiane, atua na empresa R&M; e o sobrinho contratado da empresa Montenegro.

Mais apadrinhados II

Os órgãos fiscalizadores certamente terão muito trabalho para analisar esta relação da Fundação Renascer com a empresa Ankora. O afilhado do presidente, Thiago Barreto, trabalha na empresa, assim como seu sobrinho Júlio; Crerlin Costa Lemos, comadre do presidente, é a atual chefe do setor pessoal da Renascer! Sua filha, Larissa Costa Lemos, é a chefe do setor de contratos! Sandra Lemos (tia de Larissa) atua no CASE...

Primeira leva

Essa foi apenas a "primeira leva" de parentes e amigos apadrinhados do senhor Wellington Mangueira, seja na Fundação Renascer, seja na empresa Ankora, seja em outras terceirizadas. Muitos contratados, inclusive, em funções divergentes de suas reais aptidões e com salários fora da realidade. Tem soldador e eletricista, por exemplo, contratados para outras funções. Os casos serão investigados pelas autoridades competentes...

Contrato foi renovado

Por fim não é bom esquecer que a empresa Ankora, que nunca conseguiu pagar os salários dos funcionários (pelo menos os que não são apadrinhados), nos seus respectivos vencimentos, desde a data da sua contratação até os dias atuais, praticando inclusive a emissão das faturas antes mesmo de quitar com suas obrigações, teve seu contrato renovado com a Fundação Renascer, mesmo estando impedida de contratar com outro órgão, por descumprimento de cláusulas contratuais! É coisa...

Sheyla Galba I

Vereadora eleita e deputada suplente com possibilidade de ocupar uma das cadeiras na Alese, Sheyla Galba (Cidadania) anunciou que decidiu assumir o mandato na Câmara Municipal de Aracaju, garantido na eleição deste ano ao obter 2.929 votos. A decisão foi tomada após um período de reflexão e avaliação.

Sheyla Galba II

"A partir de 2021 estarei vereadora por Aracaju. Foi uma decisão tomada com muita consciência após reflexão com Deus e muito diálogo com familiares, amigos, minhas mulheres de peito, minha equipe, mas a responsabilidade é única e exclusivamente minha. Analisei com calma e entendi que no momento devo seguir este caminho. Tenham certeza que sempre darei o meu melhor na Câmara Municipal para cumprir o papel para o qual fui eleita, atuando para servir aos cidadãos", afirma.

Sheyla Galba III

Sheyla ressalta que mesmo exercendo mandato de vereadora, vai lutar pelos pacientes oncológicos de todo o estado. "A gente sempre lutou pela melhoria das ações voltadas ao câncer em Sergipe, especialmente no tocante ao tratamento digno. E seguiremos com esse compromisso com todos os pacientes com câncer em Sergipe. Nossa luta agora passa a ter mais força e nossa voz será ouvida", destaca.

Responsabilidade de Aracaju

A vereadora eleita salienta que vai atuar no parlamento para que o Município também assuma a responsabilidade pela oncologia, que hoje está a cargo somente do Estado. "Tanto em relação ao tratamento como à prevenção. Um dos projetos que já estamos estudando é a criação do Fundo Municipal pela Prevenção, Tratamento, e Cuidados Paliativos Contra o Câncer", detalha, ressaltando que, além de sua bandeira de luta contra o câncer, estará atenta e cobrará soluções para as demandas das demais áreas e problemas enfrentados pela população.

Ibrain Monteiro I

Com o objetivo de promover alegria, esperança e fraternidade, o deputado estadual Ibrain Monteiro promoveu no domingo (20), mais um Natal Solidário no município de Lagarto. A ação faz parte do projeto do deputado, iniciado no ano passado e tem proporcionado resultados satisfatórios para diversas crianças e adolescentes do município.

Ibrain Monteiro II

Ao identificar as necessidades dos mais carentes, Ibrain e sua equipe de trabalho, além de amigos, se unem para entregar presentes para as crianças de diversos bairros de Lagarto. Em suas redes sociais Ibrain falou do projeto e, mesmo com as dificuldades devido à pandemia, conseguiu levar alegria para as comunidades por onde passou. "Precisamos manter a essência do Natal; não só de doar presentes, mas também de manter o espírito de fraternidade e amor ao próximo", disse Ibrain Monteiro.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com