Adema diz que peixes encontrados na Mata do Junco não foram descartados por Capela

06 de Abril de 2021, 05:03

O presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente de Sergipe (Adema), Gilvan Dias, em entrevista ao radialista George Magalhães nesta segunda-feira, 05, levou informações preliminares sobre o descarte de peixes na região da Mata do Junco, em Capela, ocorrido na quinta-feira passada.

Segundo Gilvan Dias, uma empresa foi notificada nesta segunda-feira, 05, para que, em 24h, seja feito o processo para a retirada do material da região, pois trata-se de um crime com impacto ambiental e deverá ser responsabilizada pelo descarte irregular em área de proteção ambiental.

Além disso, Dias ressaltou que há a segurança de que o peixe não foi descartado pelo município de Capela.

“Há um relatório da distribuição no município [de Capela] que traz, visivelmente, que todo o seu peixe foi entregue (...) por isso estamos dizendo, com segurança, que estes peixes não são os peixes que foram descartados na Mata do Junco”, afirmou.

“Os peixes que a Prefeitura de Capela nos apresentou através dos relatórios não tem ligação com os peixes encontrados”, reforçou Gilvan Dias, levando em consideração a visita de técnicos da ADEMA, realizada no último sábado, 03, bem como o relatório encaminhado pela Gestão Municipal sobre a distribuição dos peixes para a semana santa.

Gilvan também informou que a fiscalização já esteve em uma outra prefeitura e tentou contato, mas não conseguiu retorno.

Alvo de fake news nas redes sociais referente ao descarte, a prefeita de Capela, Silvany Mamlak, afirmou que, enfim, a verdade prevaleceu. Tudo foi esclarecido. Não foi o município de Capela, não foi Silvany que jogou o peixe na Mata do Junco. Meu coração está em paz”, desabafou.

“Fui pessoalmente entregar o relatório ao presidente da ADEMA, que atestou, com base nas informações do nosso jurídico e da equipe do órgão, de que o município não cometeu esse crime e confio plenamente nos órgãos de controle para que o fato seja esclarecido de forma técnica e transparente, o mais brevemente possível”, concluiu.

Da Ascom/PMC