siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

“Até quando Capela será um caso de Polícia?”, questiona Ezequiel

13 de Março de 2019, 08:54

O ex-prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PR), diante da prisão de um dos principais auxiliares e articuladores políticos da prefeita Silvany Sukita, Robervan Cruz dos Santos, o “Robinho”, lamenta que o município sergipano continua sendo “um caso de polícia!”. Ezequiel, que se orgulha por ter sido um gestor efetivo, mantendo os salários dos servidores e o pagamento dos fornecedores em dia, sem baixar a qualidade da prestação dos serviços públicos, está solidário com a população.

“Até quando Capela será um caso de Polícia? A gente torce para que a realidade mude, para que o nosso município volte a ser pujante, e o que nós vemos? Eu tenho pena do povo que foi iludido por essas traíras, traidores da confiança da população, gente que prometeu muito durante a campanha eleitoral e praticamente não fez nada até agora!”, repudia o ex-prefeito.

Robervan Cruz foi preso em uma Operação desencadeada pela Polícia Civil do Pará em seis Estados, inclusive em Sergipe, que culminou com as apreensões de 70 veículos que eram levados e “esquentados” para a Região Norte, além da prisão de 22 pessoas.  “Robinho” tinha participação efetiva na gestão da prefeita Silvany Sukita, já tendo sido secretário de algumas Pastas, além de ser um dos seus principais articulares políticos.

“É essa gente que disse que ia mudar a realidade de Capela! Pasmem os senhores! Era quem prometia que Capela voltaria a ser princesa! Nosso município voltou foi para as páginas policiais. Nosso povo está com vergonha, é um vexame atrás do outro e a gestão não anda! Fomos todos traídos por esse povo sem compromisso”, completou Ezequiel, lembrando que “Robinho” era associado sempre a pessoas públicas conhecidas do Estado, com quem mantinha acordos políticos.

Por Habacuque Villacorte

 

  • Medium d7930455b3eaafffaada3682c4bbde34