Energisa e UNESCO iniciam distribuição de mais de 12 toneladas de alimentos a famílias

15 de Outubro de 2020, 13:02

▪ Ação beneficiará 226 famílias em Laranjeiras, Aracaju e Salgado;

▪ UNESCO fará diagnóstico social para verificar efeitos da pandemia nas famílias atendidas.

▪ Energisa também faz parte do Pacto Global, iniciativa da ONU, que tem em um dos seus objetivos, o combate à fome e a pobreza

A fome afeta mais de 10 milhões de brasileiros, segundo dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), após Pesquisa de Orçamento Familiares, realizada nos anos de 2017 e 2018. O cenário pode ser muito pior se levarmos em conta o período da pandemia e também do pós-pandemia do novo coronavírus. E com o objetivo de contribuir com centenas de famílias, a Energisa Sergipe e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) se uniram e iniciaram na terça-feira (13/10) a distribuição de mais de 12 toneladas de alimentos, para atender 226 famílias até dezembro deste ano, nos municípios de Laranjeiras, Aracaju e Salgado. A ação humanitária emergencial de combate à fome integra o movimento Energia do Bem, iniciativa liderada pela Energisa que destinou R$ 8 milhões a diversas frentes de combate à pandemia de Covid-19 em todo o país.

O projeto conta com o apoio de organizações da sociedade civil e de lideranças comunitárias locais selecionadas pela UNESCO. Desta forma, a ação conjunta atinge um maior número de pessoas com elevado índice de vulnerabilidade social e econômica em razão da pandemia.

Juntas, as entidades identificaram os grupos afetados pela crise e, em seguida, montaram as cestas com alimentos adquiridos em estabelecimentos comerciais locais. Além de beneficiar as famílias durante três meses, a iniciativa ajuda a movimentar a economia das cidades e dos bairros atendidos.

 “Essa ação é uma forma de contribuir para melhorar a vida das pessoas que estão sofrendo com a falta de alimentos em suas mesas, pois, mais do que fornecer energia elétrica, estamos comprometidos em dar a nossa contribuição para ajudar as pessoas neste momento difícil que ainda estamos vivendo. ”, afirma Roberto Carlos Currais, Diretor-Presidente da Energisa Sergipe.

Ao longo da iniciativa, a UNESCO realizará um diagnóstico socioeconômico das famílias atendidas para identificar os impactos da pandemia sobre elas. No levantamento, serão analisados indicadores sociais como segurança alimentar e nutricional, vulnerabilidade à violência, trabalho e renda, e expectativas no pós-pandemia.

 “O mundo está desafiado pela pandemia da covid-19. E com isso, torna-se necessário que coordenemos ações de solidariedade e de engajamento para minimizar os efeitos da pandemia, principalmente nos grupos mais vulneráveis. Estamos muitos felizes com essa parceria com a Energisa. Nosso objetivo é apoiar aqueles que mais precisam, como famílias e comunidades que foram afetadas durante essa crise, além de contribuir com as organizações da sociedade civil e lideranças comunitárias na distribuição de alimentos e produtos de higiene”, diz Marlova Noleto, diretora e representante da UNESCO no Brasil.

A parceria da Energisa com a UNESCO no combate aos efeitos da pandemia começou no lançamento do Movimento Energia do Bem. A organização fez a curadoria de conteúdos para o portal www.movimentoenergiadobem.com.br, incluindo materiais de domínio público de sua biblioteca digital. Os interessados também encontram acesso para a Biblioteca Mundial Online da instituição e para outros projetos como Educamídia (de educação midiática), Maré de Ciência e curso virtual das Nações Unidas sobre mudanças climáticas.

Movimento Energia do Bem

A parceria com a UNESCO integra o Movimento Energia do Bem, liderado pela Energisa junto com 12 parceiros estratégicos para viabilizar ações emergenciais que ajudem a superar a crise humanitária provocada pela pandemia nos 11 estados onde atua. As iniciativas englobam um conjunto de ações humanitárias que incluem doação e manutenção de ventiladores pulmonares, distribuição de máscaras para hospitais e comunidades indígenas, obras elétricas em unidades públicas de saúde, captação de recursos para assistência a idosos e apoio a pequenos artistas e empreendedores.

Outra frente do movimento é a capacitação profissional. Em parceria com a CNI e o Senai, foram abertas 100 mil vagas em cursos de educação a distância voltados a competências técnicas transversais e à indústria 4.0, como Educação Ambiental, Empreendedorismo e Inteligência Artificial.

Também foi criado o portal Energia do Bem, com informações confiáveis sobre a doença e conteúdo para reduzir os impactos do isolamento social. A empresa também mobilizou colaboradores, que participaram de uma campanha de financiamento coletivo de apoio a asilos, em que para cada real doado, a empresa acrescentou mais R$ 1. Foram arrecadados no total R$ 113.375,00 e beneficiados 31 instituições em 27 cidades.

A empresa também doou R$ 1,9 milhão para o projeto Estímulo Minas 2020, que viabiliza crédito rápido e subsidiado a micro e pequenos empreendedores do estado. O objetivo do projeto é oferecer capital de giro no valor equivalente a até um mês de faturamento das empresas, divididas em duas parcelas mensais, com juros de 0,53% ao mês e de 6,55% ao ano, carência de 3 meses e parcelamento em até 15 vezes.

Integrante do Pacto Global

O Grupo Energisa acaba de ingressar na Rede Brasil do Pacto Global, iniciativa da Nações Unidas (ONU) para mobilizar a comunidade empresarial na adoção e promoção, em suas práticas de negócios, nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção.

Fonte e foto assessoria