siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Moradores da Barra dos Coqueiros recebem o Programa Minha Comunidade Segura

10 de Abril de 2018, 13:51

Nova edição do programa aconteceu no Colégio Estadual Dr. Carlos Firpo e disponibilizou para a população palestras informativas e diversos serviços ligados à saúde, lazer, bem-estar e segurança

Emitir nova via de carteira de identidade ou se consultar com um oftalmologista parecem atividades simples e fáceis de resolver, mas nem sempre todos têm acesso ou condições. É o caso da senhora Selma dos Anjos, que mora na Barra dos Coqueiros há mais de 20 anos. “Sempre que tem esses programas do governo eu participo. Considero muito importante porque nem sempre a gente tem condições financeiras para pagar uma consulta ou algum serviço”, afirma a moradora que estava aguardando atendimento oftalmológico.

Além de Selma, centenas de moradores do município da Barra dos Coqueiros, participaram de mais uma edição do Programa Minha Comunidade Segura. Nesta edição, de acordo com Fábio Costa, que participa da organização do evento, diversos serviços foram oferecidos. “Atendimento oftalmológico, clínico geral, ginecológico, emissão de carteira de identidade, carteira de trabalho, emissão do ID Jovem, atendimento de legislação previdenciária com INSS, CAD Único da Prefeitura da Barra, Seja Digital, com entrega de receptores da tv digital, além de atividades de esporte e lazer”.

E entre os serviços mais procurados, o de emissão de carteira de identidade. O jovem Hugo Daniel chegou cedo e garantiu logo sua senha. “Como fui roubado, acabei perdendo minha carteira de identidade. E como para eu tirar a segunda via teria que ir até Aracaju, esse programa aqui facilitou muito com relação ao deslocamento. Além disso, se a pessoa esquecer algum documento ou comprovante e estando perto de casa, fica mais fácil resolver”.

A senhora Maria do Carmo de Jesus, por conta da idade, sente que com o programa acontecendo perto de casa e de forma gratuita, facilitou muito para que ela retirasse a segunda via da carteira de identidade. “A minha carteira está estragada e não serve mais, por isso vim para cá, com a intenção de trocar. Acho importante que a gente tenha acesso a esses serviços, principalmente quem já é idoso e não tem muita facilidade para sair de casa e resolver as coisas”, destacou.

“Aproveitei que moro aqui perto e vim com meu filho para ele tirar a carteira de identidade. Muito bom ter esse serviço assim, sem precisar sair do bairro ou da cidade para resolver as coisas”, conta Angélica Válido Santana, que veio com o filho menor, Adilson José Santos Santana. Quem também não perdeu a oportunidade foi o jovem João Victor Conceição Santos, de 15 anos. “Vim para tirar a minha primeira carteira de trabalho, porque quando aparecer um oportunidade de emprego eu já estou com os documentos atualizados”, ressaltou João.

Programa

O programa ‘Minha Comunidade Segura’ funciona a partir da execução de projetos em rede, que envolvem: o fortalecimento de ações de prevenção na escola, identificando crianças e adolescentes com ligação direta e indireta com relação às drogas e encaminhando-os para iniciativas ligadas ao esporte, cultura e saúde, de modo a afastá-los da violência; ocupação de espaços públicos como praças, movimentando-as por meio da promoção de eventos, apresentações culturais e atividades esportivas; acompanhamento e avaliação de criança e família em situação de vulnerabilidade; busca de apoio de Organizações Não Governamentais (ONGs) para ampliar a oferta de cursos e atividades que possam ajudar crianças e adolescentes. A expectativa é de que os índices de violência nos bairros alvos reduzam sensivelmente.

Para a coordenadora do Programa e superintende da Casa Civil, Conceição Vieira, a ação se traduz em mais um compromisso do governo do estado com a população. “É um programa de prevenção a violência que surgiu no governo Jackson Barreto, e com certeza hoje estamos dando uma demonstração de que continua sendo uma preocupação do governo Belivaldo Chagas. Até porque a coordenação do programa, mesmo no governo de Jackson, era de Belivaldo, então é um programa coordenado pela Casa Civil e pela Secretaria de Segurança Pública. A chegada do programa já faz uma mudança, porque se faz uma limpeza e todos os pontos básicos da escola são melhorados e trabalhados. A gente chega trazendo essa concepção de cidadania e acolhimento, e a comunidade absorve a escola e a escola absorve a comunidade, a escola passa a receber a família dos alunos”, declarou.

Conceição ainda destacou que a participação ativa das secretarias e demais parceiros, é fundamental para que o programa aconteça. “É um trabalho de várias mãos, uma política de transitoriedade do governo do estado de Sergipe. Esse é o compromisso do governo: trazer cidadania, incluir e fazer a prevenção".

ASN

Foto Jorge Henrique