siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Situação grave de vias em povoados impedem a circulação dos ônibus

02 de Julho de 2018, 09:49

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju de região metropolitana (Setransp) informa que a situação alarmante das vias nos Povoados Guajará, Quissamã e Cardoso está colocando em risco a circulação dos ônibus do transporte coletivo que operam quatro linhas na região.

São vias sem calçamento, com buracos, valetas, córregos e até riachos, e muitas delas são estradas de canaviais, inclusive, com trechos com possibilidade de erosão. A situação das vias nos três povoados proporcionam riscos de acidentes no tráfego de ônibus. Em tempos de chuva, como o atual, as empresas de ônibus contam com serviços de tratores para ajudar frequentemente no reboque dos ônibus atolados no lamaçal dessas vias. E os veículos que servem essas linhas são os que apresentam maior índice de deterioração.

O Setransp vem oficiando sistematicamente a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT) sobre a realidade da operação nos povoados Guajará, Quissamã e Cardoso, pedindo providências emergências em conjunto com as superintendências dos demais Munícipios, mas até o momento não houve ação efetiva nos locais.

Apesar das dificuldades, o setor do transporte vem buscando cumprir a prestação do serviço à população desses povoados, através da empresa Viação Atalaia, que é a responsável pela operação das linhas que atendem a localidade. Entretanto, com a chegada do inverno rigoroso e a permanência das condições precárias das vias com agravamento da situação, comprometendo a segurança dos passageiros, motoristas e cobradores de ônibus, a operação fica impossibilitada de ser realizada com segurança. Sem outra alternativa, as linhas relacionadas a seguir poderão ser suspensas até que as condições das vias sejam restabelecidas. As linhas são:

306 – Guajará – Zona Oeste.

712 – Povoado Cardoso – Mercado.

714 – Povoado Quissamã – Osvaldo Aranha.

718 – Guajará – Osvaldo Aranha.

Fonte e foto Setransp