siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Advogado é tratado como marginal por funcionários da BTS

14 de Fevereiro de 2018, 06:07

O advogado Thieryson Santos, presidente da Associação dos Feirantes do Mercado Central, foi humilhado e agredido verbalmente ao entrar no Mercado Albano Franco, nesta terça-feira (13), para acompanhar o mutirão da limpeza no mercado, assim como fez em outras vezes.

Ao chegar ao mercado por volta das 14 horas, o advogado se identificou para a guarda municipal como sendo presidente da Associação e como sempre teve, ao se deslocar para o setor de carnes encontrou funcionários da empresa BTS fazendo a limpeza do local. Thieryson aproveitou para recomendar aos funcionários que quando fosse ligar a energia verificasse se os frízeres estavam ligados, afim de evitar prejuízos maiores para os feirantes para não estragar as carnes que por ventura estivesse armazenado.

O problema iniciou quando o advogado que também é feirante começou a percorrer todo espaço do mercado, sendo perseguido por dois funcionários da BTS, que presta serviço a Emsurb, afirmando que ele não tinha autorização para adentrar no espaço e que por isso iria retirá-lo a força do mercado.

Ao chegar na porta de saída, explicou o motivo de estar ali não somente como advogado, mas também como presidente da Associação dos Feirantes e disse  que estranhou a conduta dos dois já que tanto o advogado quanto os funcionários da BTS e a Emsurb, participaram ativamente do mutirão da limpeza, registrando o trabalho do qual o advogado é favorável.

Para sua surpresa e indignação, Thieryson Santos foi surpreendido pelo funcionário da BTS, identificado como Rancicley Portela, chefe de limpeza, colocando o dedo no rosto do advogado, na presença de guardas municipais e outros funcionários, em tom de ameaça e chamando de “moleque” por diversas vezes.

A guarda de imediato interferiu e pediu que o funcionário se afastasse de perto do Advogado.

Após o incidente constrangedor, Thieryson Santos disse que reprovou a conduta desse funcionário que nada tem a ver com a segurança do mercado já que esta é realizada pela guarda municipal. "Isso não vai ficar assim, vou acionar a empresa na justiça por ter sido exposto daquela maneira por um funcionário despreparado na presença dos guardas e funcionários da Emsurb", avisou o advogado.

Em seguida, Thieryson, ligou para Ubiraci (Diretor dos Espaços Públicos da Emsurb) narrando o acontecido.

Munir Darrage

  • Medium 3fd110360d7e702df3616ede6a0d0b0a