CBM é a terceira instituição a ter catalogação e mapeamento digital do acervo

14 de Fevereiro de 2020, 08:47

Depois de posto em prática no Diário Oficial de Sergipe e na Secretaria de Estado da Fazenda, o projeto que objetiva registrar digitalmente a memória dos acervos pertencentes a essas entidades começa a ser feito no Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe.

A parceria entre as instituições e a Universidade Tiradentes é feita por meio do curso de Ciência de Computação no qual alguns alunos estagiários, supervisionados pelo professor Fábio Gomes, fazem a digitalização do acervo assegurando a perpetuação da memória patrimonial.

"Ao acessar o acervo digitalizado as pessoas terão mais facilidade na pesquisa e no conhecimento sobre a história da corporação, seja no aspecto histórico ou documental", disse o Comandante-Geral CBMSE, Cel. Gilfran Mateus.

Para o coordenador do projeto, professor Fábio Gomes, a parceria com os bombeiros agrega um projeto maior já em desenvolvimento que envolve o sistema de gestão de documentos.

 "Nos alegra muito a expansão do projeto junto ao Corpo de Bombeiros. Os acadêmicos desenvolverão suas atividades tanto em documentes históricos, como administrativos criando um sistema documental e ainda um site que vai apresentar toda a parte da história da entidade", finalizou o docente.

Fonte e foto assessoria