siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Seminário e exposição sobre Rosa Luxemburgo acontece nesta quarta-feira

12 de Janeiro de 2019, 06:40

O mandato democrático e popular da deputada estadual Ana Lula realiza, na próxima quarta-feira feira, 16, o Seminário “Rosa Vermelha Luxemburgo”. O evento acontece às 19h30, na Escola do Legislativo que fica localizada na praça Fausto Cardoso.

Para abordar a história e apresentar alguns dos principais conceitos defendidos pela revolucionária, foram convidados o historiador, Doutor em Economia Política pela USP e professor da UFABC, Valter Pomar, e a Doutora em Geografia Humana pela USP e  professora aposentada da UFS, Alexandrina Luz.

O evento acontece numa data simbólica - um dia após o aniversário de morte de Rosa Luxemburgo - e marca também o lançamento da exposição que remonta a trajetória da  revolucionária e sua contribuição para o pensamento de esquerda em todo o mundo.

“Rosa Luxemburgo foi uma mulher  que alcançou os nossos dias como um símbolo de luta pelo socialismo. Nesse momento de graves ataques que a população mais vulnerável vêm sofrendo, de crescimento do fascismo e de sérias ameaças às  organizações de esquerda, discutir Rosa Luxemburgo é fundamental para fortalecer a nossa resistência”, aponta a deputada Ana Lula.

Sobre Rosa Luxemburgo

Rosa Luxemburgo nasceu em 1871, em uma família judia da Polônia então ocupada pelo Império Russo. Iniciou muito cedo a militância no movimento operário. Ainda no Ginásio, integrante do Partido do Proletariado, participou da organização de uma greve geral e, antes mesmo de completar dezoito anos, foi obrigada a refugiar-se na Suíça, em função da perseguição política.

Em Zurique, estudou Direito, Economia Política e obteve o doutorado. Aos 22 anos, participou da fundação da organização Social-Democracia do Reino da Polônia (SDKP). Em 1898, transferiu-se para a Alemanha, onde passou a integrar o Partido Social-Democrata (SPD).

Pensadora brilhante, ativista incansável, ganhou notoriedade entre os marxistas alemães com a publicação do ensaio "Reforma social ou revolução?" e em função das polêmicas teóricas que protagonizou.

Professora da escola de quadros do Partido Social-Democrata Alemão entre 1907 e 1914, Rosa Luxemburgo integrou a Internacional Socialista, foi dirigente de organizações marxistas na Polônia, Lituânia e Alemanha, participou ativamente da Revolução de 1905 na Rússia, incentivou a desobediência civil dos trabalhadores contra a Primeira Grande Guerra e, ao lado de Clara Zetkin e Karl Liebknecht, fundou a Liga Spartacus, embrião do Partido Comunista Alemão (KPD).

Ao longo de sua vida, enfrentou diversas vezes o cárcere, em diferentes países. Depois de novas prisões, em 1915 e 1916, é libertada apenas em novembro de 1918, em meio à Revolução Alemã. No início de 1919, é presa junto com Karl Liebknecht, no curso da “Insurreição de Janeiro”, levante armado espartaquista. Em 15 de janeiro, ambos são assassinados. Rosa Luxemburgo tinha 48 anos.

Por Débora Melo