Deputado diz que apoiará medidas restritivas se anunciadas pelo governador

03 de Março de 2021, 12:01

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) participou da sessão remota da Assembleia Legislativa, na manhã dessa terça-feira (02), para anunciar que vai apoiar qualquer medida restritiva que venha a ser anunciada pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), após sua reunião com o Comitê Científico, prevista para esta quinta-feira (4). O petista anunciou que vai entrar em contato diretamente com o governador e com os demais colegas de parlamento.

“Quero anunciar que entrarei em contato com o governador e outros colegas deputados para ver a melhor forma que a gente possa manifestar apoio diante de qualquer medida restritiva que ele possa tomar para evitar que mais sergipanos morram! 14 Estados brasileiros e mais o Distrito Federal já implementaram lockdown, toque de recolher ou fecharam parcialmente setores da economia por oito, 10 ou 15 dias”, pontuou o petista.

Em seguida, Gualberto pontuou que os especialistas estão anunciando um possível colapso da rede pública de Saúde e que já não se encontra vagas de UTI em alguns Estados brasileiros. “Vamos ver gente morrendo em ambulâncias, na porta de hospitais, dentro de casa! O Samu não conseguirá dar vencimento! Vejo o exemplo da Inglaterra, um País que está vacinando em grau muito maior que o Brasil, e que tomou todas as medidas de restrições, evitando aglomerações”.

Gualberto ainda reforçou que muitas pessoas, que sofrem com outras comorbidades, estão entrando em risco porque não podem fazer outros procedimentos cirúrgicos. “Tudo está voltado para o vírus e está correto! Se preciso, vamos fechar alguns setores por uns dias, algumas atividades. O mundo todo está fazendo isso e o Brasil, com 260 mil mortes, tem o maior número em mortalidade”, argumentou.

“Vai ter queda da economia, vai ter desemprego, mas não interessa emprego para mortos; não interessa riqueza para mortos; não interessa economia subindo e descendo se todos estão mortos; temos que defender a vida! Infelizmente vamos ter muitas mortes por falta de vacina neste País, lamentavelmente porque estamos entre os últimos que começaram a tratar da compra”, completou Gualberto.

Elogio para Zezinho Sobral

Gualberto parabenizou o líder do governo pela defesa que fez do Executivo após as cobranças dos parlamentares da oposição. “Teve paciência e tranquilidade suficiente para responder o que foi dito pelo serviço de alto-falante de Bolsonaro nesta Casa. Tudo o que esse presidente disse que repassou para os Estados e Municípios, imediatamente foi desmentido pelo Consórcio de Governadores e por inúmeras associações de prefeitos. Inclusive no Congresso Nacional tem a maioria que condenou essa postura”, disse, defendendo que a Alese monte uma frente de resistência contra as inverdades e em nome da realidade que está acontecendo no Brasil. “Precisamos atuar juntos!”.

Belivaldo Chagas

Por fim, Gualberto disse que o governador Belivaldo Chagas pagou os salários dos servidores dentro do mês, agora em fevereiro, e que existem deputados na Casa que ficaram insatisfeitos. “A imensa maioria dos parlamentares aprovou, mas tem gente que não ficou satisfeito. Depois de tanto sacrifício, agora quer saber como o governador conseguiu! Quer que prove a economia! Isso se chama ato falho! Isso só revela o quanto este deputado estava satisfeito e feliz em ver o servidor sofrendo com o atraso de salário”.

Por Habacuque Villacorte

Foto: Jadílson Simões