siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

DHPP elucida homicídio que vitimou mecânico no Siqueira Campos

11 de Maio de 2018, 13:20

Segundo o delegado Kássio Viana, responsável pelo caso, Franklin Wilis teria ficado com medo de uma ameaça realizada pela vítima e ordenou a execução do crime

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) realizou nessa sexta-feira, 11, uma coletiva de imprensa onde foram divulgados detalhes sobre o homicídio que vitimou o mecânico Fernando Rafael no dia 19 de janeiro deste ano, no bairro Siqueira Campos, em Aracaju. Foram presos Franklin Wilis dos Santos, 22 anos, identificado como mandante do crime e piloto da moto; Fábio Augusto Santos, 23 anos, vulgo "Neguinho" ou "Coruja" executor dos disparos; Wendell Santos Silva, 23 anos; e Fábio Henrique Luz dos Santos, 28 anos, acusados de envolvimento no crime.

O delegado Kássio Viana, responsável pelo caso, esclareceu que ao inicar as investigações já se sabia que Fábio Augusto havia realizado os disparos, mas que era necessário esclarecer a relação entre ele e o mandante do crime, bem como descobrir quem pilotava a motocicleta. "Recentemente tivemos informações de que Franklin Wilis seria o piloto da moto mas a motivação do crime não estava clara", afirmou o delegado.

As investigações evidenciam que no dia do crime os quatro suspeitos estavam na região e trocaram mensagens e informações facilitando a execução de Fernando Rafael. Após a prisão de "Neguinho", a polícia descobriu que Franklin Wilis havia ordenado a morte de Rafael e teria sido ele o responsável por pilotar a motocicleta durante o crime.

"Depois de preso Fábio Augusto confessou o crime e informou que o mandante foi o Franklin, que também é o piloto da moto e teria cometido o crime porque Fernando Rafael teria tido uma briga com ele um tempo antes onde foi amaeçado. Com medo, Franklin acabou chamando "Neguinho" para a prática do crime. Segundo o executor, ele nem sabia quem era Fernando Rafael, chegou lá na hora porque foi apontado pelo mandante e a partir daí ele disparou os tiros", esclareceu.

Segundo o delegado, Franklin Wilis foi o responsável por fornecer a moto e arma utilizadas no homicídio e depois de executado se afastou de "Neguinho" com medo de serem vinculados. Kássio Viana esclareceu ainda que devido a Franklin nunca ter tido nenhuma passagem pela polícia foi necessário cuidado na apuração das investigações. Fábio Henrique, Wendell Santos e Fábio Augusto já tinham passagem pela polícia pelo crime de tráfico. O delegado esclareceu que os suspeitos serão agora autuados pelo crime de homicídio qualificado.

Fonte e foto SSP

  • Medium ba50922dba2f8575e8444727ca9ed19e