siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

O 13º terceiro foi "terceirizado" ao Banco do Estado, diz coronel da PM

10 de Janeiro de 2018, 10:18

coronel da Policia Militar de Sergipe, Henrique Alves Rocha, usou as redes sociais nesta terça-feira (09), para falar sobre o novo parcelamento de salários feito pelo governo do estado.

Coronel Rocha diz que "o ano mal começou os servidores públicos têm a mesma sensação que teremos mais do mesmo, ou seja, o governo continuará atrasando salários dos ativos e inativos".

O militar que é pré-candidato a uma vaga na Câmara Federal lamenta que até o momentos os aposentados não tenham recebido seus salários. "Hoje é dia 10 de janeiro, nem nossos tão sofridos aposentados/reformados e pensionistas sabem quando receberão seu salário de dezembro, isso se não receberem parcelado. Os servidores ativos idem".

Veja o que escreveu o coronel nas redes sociais:

"O 13º terceiro foi "terceirizado" ao Banco do Estado, quem tem conta no Banese faz compulsoriamente um empréstimo e o recebe pagando em seis parcelas. Já quem não tem conta no Banese, fez portabilidade, o que é uma boa parte do funcionalismo, não recebeu nada, apenas a partir de fevereiro quando sair o salário de janeiro receberemos a primeira parcela, das seis prometidas. Em especial, tratando da categoria a qual eu pertenço com muito orgulho, os PMs e BMs continuarão a receber o valor de 8 reais para realizar uma refeição durante o serviço. Sobre o poder de compra com 8 reais não se precisa falar mais nada. Sequer foi permitido incluir no orçamento deste ano de 2018 valores para aumentar a alimentação dos PMs e BMs que arriscam suas vidas diariamente nas ruas de nosso Estado. Precisamos tratar de um assunto também muito importante: os nossos quartéis estão em sua maioria velhos, por falta de investimento e manutenção.  Poderíamos citar como exemplo a unidade de Glória, mas são tantas unidades com necessidades urgentes de reforma que seria injusto com todos as demais.

Precisamos de alojamentos dignos para nossos PMs, principalmente para as nossas PMs, o Quartel do Comando Geral precisa de reformas urgentes e não existem recursos para tal. Nossos PMs num esforço hercúleo, conseguiram reduzir um pouco os altos índices de homicídios em nosso estado, mas sem o governo possuir sequer uma política estadual de segurança pública e de combate às drogas, será que nem assim o governo tratará os servidores da segurança com um pouco mais de atenção?. Feliz ano novo!", concluiu Rocha,

Munir Darrage

  • Medium 7a9b8a38639da6e1431a4015ea199999