Operação Tolerância Zero é deflagrada neste sábado pelo Movimento Polícia Unida

19 de Setembro de 2021, 06:09

A Operação Tolerância Zero foi deflagrada neste sábado (18), ao meio dia, pelo Movimento Polícia Unida. O ato tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade e sensibilizar o governo do Estado para que sejam iniciadas as negociações em prol do adicional de periculosidade.

Nela, os colegas militares de serviço estão  conduzindo toda e qualquer infração penal à Central de Flagrantes, na capital, e às delegacias plantonistas, no interior. Há alguns anos, a grande Aracaju conta somente com uma plantonista para atender os quatro municípios da região metropolitana durante os plantões.

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE), ressalta que esta é a primeira operação policial coordenada pelos líderes das categorias e não pelas chefias administrativas. “O comando da Operação Tolerância Zero é do Movimento Polícia Unida. Com este ato, esperamos, uma vez por todas, que o Governo, de fato, comece uma negociação com os policiais e bombeiros sergipanos”, diz.

Há mais de um ano, as categorias policiais estão lutando por este direito, sem que tenha havido qualquer sinalização concreta por parte do Governo. “Mas com a palavra do governador de que reativará a mesa permanente de negociação, a nossa expectativa é que sejamos chamados para dialogar acerca da elaboração do Projeto de Lei regulamentador do adicional de periculosidade”, lembra Isaque Cangussu.

O vice-presidente da Única Base Forte, cabo Sandro, explica que esta operação reforça a união desses profissionais na luta pelo adicional de periculosidade. “O Movimento não vai parar até que este pleito, justo e constitucional, seja atendido”, finaliza.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).

Foto assessoria Adepol

Por Raquel Almeida