siga nossas
redes sociais:

Políticos e servidores podem estar envolvidos em fraudes milionárias

16 de Agosto de 2018, 13:21

A Operação "Marcha à Ré", realizada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União (CGU), desde as primeiras horas desta quinta-feira (16) no estado de Sergipe constatou fraudes milionárias envolvendo políticos e servidores públicos em Sergipe.

Durante toda a manhã foram cumpridos Mandados de Busca e Apreensão na SEED e empresas localizadas em Boquim, Estância, Lagarto, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.

As apurações apontam ainda que eles estariam envolvidos com desvio de recursos públicos em licitações do transporte escolar feitas pela Secretaria de Educação do Governo de Estado.

Em entrevista coletiva, o delegado da Polícia Federal Antonio José Silva Carvalho, explicou que “a CGU solicitou documentos e a secretaria de Estado da Educação não entregou. Quando tivermos acesso, vamos apontar quais pessoas tinham conhecimento da irregularidade e quais praticaram essas irregularidades", explicou o delegado.

O delegado explicou também que as empresas não pagavam impostos e recebiam por serviços não prestados. Segundo ele, "a empresa recebia por quilômetro rodado. Em municípios pequenos como General Maynard, por exemplo, é impossível que os veículos venham a rodar dois mil quilômetros por mês”, afirmou.

Além disso, foi constatado que o  Estado também está pagando por sistema de GPS, "porém os aparelhos não foram instalados nos ônibus”, disse o delegado informando também que as mesmas empresas firmaram contratos com municípios pela metade do valor cobrado ao Estado.