Quinta-feira, 16/9, vereadores voltarão a discutir o assunto.

15 de Setembro de 2021, 13:51

Quinta-feira, 16/9, vereadores voltarão a discutir o assunto. Presidenta do Sindsocorro questiona por que o prefeito Inaldo não recebe os sindicatos

por: Iracema Corso

Mais um dia de protesto e luta unificada dos servidores públicos de Nossa Senhora de Socorro pelo direito à reposição inflacionária referente aos anos de 2020 e 2021. Nesta terça-feira, dia 14/9, os servidores ocuparam as Galerias da Câmara de Vereadores e cobraram mais apoio na luta.

Após muito diálogo, cinco vereadores da oposição: Jeová de Jesus, Alan Mota, Teta do Camarão, Barbozinha e Panzuar, mais os vereadores Aldon e Jeane, da base de apoio do prefeito, assinaram o requerimento solicitando a presença do prefeito Inaldo para dialogar com os sindicatos dos servidores sobre a reposição inflacionária.

A presidenta do Sindsocorro, Edjane Pequeno, informou que na próxima quinta-feira, dia 16 de setembro, o requerimento assinado pelos sete vereadores será colocado em votação pelos demais parlamentares.

"Esperamos que o prefeito, antes mesmo de receber este requerimento, agende uma reunião por iniciativa própria com os servidores, pode ser na sede da Prefeitura, mas é necessário que ele apresente as contas e possamos conversar", destacou Edjane.

Presidenta da Fetam (Federação dos Servidores Públicos Municipais do Estado de Sergipe), Itanamara Guedes considerou grande vitória a aprovação do requerimento convocando o prefeito e o secretário de fazenda a comparecerem na Câmara, assinado por um 1/3 dos vereadores.

"O prefeito precisa dar explicações sobre o fato de negar o direito Constitucional dos servidores de terem a revisão salarial anual. É necessário dar um basta nos falsos argumentos da gestão Municipal sobre a lei 173 /2020 proíbe a revisão salarial e de que os recursos do FPM estão retidos, outra inverdade, basta consultar o site do tesouro nacional e para constatar que tal informação não procede. A FETAM continuará ao lado dos sindicatos lutando até que a Prefeitura cumpra a CF e pague a revisão salarial", reforçou Itanamara.

Para João Fonseca, dirigente do SINDSERV de Poço Verde, secretário de finanças da FETAM e secretário executivo da CUT, não há razão para o executivo negar a revisão dos servidores.

"A receita acumulada pela Prefeitura de Socorro de janeiro a agosto de 2021 já soma o montante de R$ 29 milhões a mais do que a receita acumulada nos mesmos meses no ano de 2020. Isso corresponde aproximadamente a 14% a mais da receita. E os servidores reivindicam apenas a reposição das perdas, o pleito significa praticamente 1/3 da receita acumulada", explicou João Fonseca.

A vice-presidenta da Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) Ivônia Ferreira elogiou a mobilização dos trabalhadores e ficou insatisfeita com a reunião desta terça-feira com os vereadores.

"No último dia 10 conseguimos uma audiência com os vereadores e nesta terça queríamos ter a resposta. Os vereadores justificaram que o prefeito está viajando e por isso não conseguiram falar pessoalmente. O argumento que utilizaram de que os recursos do município estão bloqueados não procede. Vamos continuar apoiando estes servidores guerreiros que lutaram para salvar a população de Socorro durante a pandemia e merecem a devida reposição inflacionária", destacou a professora Ivônia Ferreira.

Os servidores de Nossa Senhora do Socorro reforçam disposição de continuar lutando pela reposição inflacionária e nesta quinta-feira, 16/9, às 8h, organizam nova mobilização na porta da Câmara Municipal.

Foto assessoria