Termo de cooperação entre Samu e o CBM não está agradando a tropa

18 de Janeiro de 2022, 06:13

O termo de cooperação entre o SAMU e o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe (CBMSE) não está gradando em nada a tropa.

O blog Espaço Militar e a ASPRA/SE (Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares de Sergipe) receberam diversas reclamações de bombeiros militares referente a tal termo de cooperação.

Inicialmente se faz destacar que o termo de cooperação firmado não passou pela ALESE (Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe) e está obrigando aos bombeiros a trabalharem junto com alguns integrantes do SAMU, em uma ambulância chamada SIV (Suporte Intermediário de Vida) desde dezembro do ano passado, expondo cada vez mais os bombeiros a riscos biológicos, que o serviço do SAMU apresenta, sem contar ainda, o que deixa a tropa ainda mais revoltada, é que os bombeiros trabalham o dobro da carga horária do SAMU e não recebem insalubridade. Só lembrando, que os bombeiros já não recebem periculosidade.

Com vários problemas, os bombeiros militares estão sendo "assediados" a obedecer a regulação médica do SAMU, desconhecendo o blog Espaço Militar e a ASPRA/SE de previsão legal para os militares terem subordinação aos integrantes da Secretaria de Saúde, que são civis, o que chama a atenção.

Quem perde com isso é a sociedade, pois fica uma confusão só, ou seja, quem manda? Se não bastasse o baixo efetivo do CBMSE. Aí perguntamos: por que a Secretaria de Estado da Saúde não monta a própria equipe do SIV?

Cabe salientar ainda que os bombeiros entram em área quente (incêndio, tiroteio, desastres de todos os tipos) e o SAMU não entra.

Matéria do blog Espaço Militar