siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Empresa de vigilância pode demitir 200 trabalhadores e parar atividades

08 de Fevereiro de 2018, 08:05

Sem receber pelo serviço prestado ao governo no estado, segundo informações passadas pelo diretor da empresa de vigilância Pinheiro, 200 trabalhadores podem ser demitidos.

A informação foi passada pelo diretor da empresa vigilância Pinheiro, Marcos Pinheiro que afirmou na manhã desta quinta-feira (08) que poderá paralisar os serviços de segurança aos órgãos estaduais.

No inicio da manhã, foi passado a informação de que o restaurante Padre Pedro poderia não abrir hoje por falta de segurança, já que os vigilantes estão com os salários atrasados, o que foi confirmado pelo diretor da empresa.

Marcos Pinheiro informou ainda durante a entrevista concedida ao Jornal da Faz, que irá reiscindir os contratos para prestação de serviços para órgãos estaduais. O empresário disse ainda que "empresa de vigilância quebrou porque não recebeu da Fundação Hospitalar de Saúde".

A demissão em massa dos trabalhadores pode causar um caos no setor, já que não haverá como empregar os demitidos, uma vez que a empresa, a exemplo de outras que também devem realizar demissões, e isso preocupa.

Munir Darrage