siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

NPD promove evento para estimular a participação de produtores em editais

15 de Abril de 2018, 08:47

O Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPD), unidade da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), realizou neste sábado, 14, uma programação extensa de debates, oficina e exibição de produtos cinematográficos, com a proposta de apoiar e incentivar a participação de produtores audiovisuais em editais realizados pelo Governo Federal. Somente este ano, foram abertos 11 editais de seleção, com o objetivo de estimular a produção de obras que tragam temas de interesse público para discussão através do cinema. Denominado ‘Corrida Audiovisual', o evento que contou com representantes de movimentos sociais e profissionais que trabalham com pesquisa e resolução das problemáticas, foi realizado na sala de exibição Walmir Almeida, instalada no Centro Cultural de Aracaju (antiga Alfândega).

Tendo em vista a divulgação dos 11 editais de seleção destinados à produtores audiovisuais que desenvolveram ou estão desenvolvendo produtos voltados ao desenvolvimento, produção e difusão, promovidos pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (MinC), o Núcleo de Produção Digital preparou uma verdadeira corrida contra o tempo, já que há inscrições abertas para alguns dos editais até o dia 27 deste mês. "Todo esse empenho da Funcaju, por meio do NPD, é uma forma de divulgar esses editais e motivar a participação por parte dos produtores da nossa capital. Ao todo, serão mais de 80 milhões de reais que serão divididos em categorias e regiões. Esse é o maior pacote de editais feito pelo MinC, então, queremos que parte desse recurso venha para os nossos produtores, consequentemente, para a nossa cidade", destaca a coordenadora do NPD, Graziele Ferreira.

Segundo portal do Ministério da Cultura esses editais fazem parte de um projeto idealizado com o objetivo de ampliar a participação de novos talentos no mercado e de produções realizadas por negros, mulheres e indígenas, a fim de descentralizar o setor audiovisual e a produção de conteúdo infantil e transmídia. "Aqui, estamos dando alguns direcionamentos sobre a participação nos processos. É importante alertar que as temáticas são livres a partir do momento que tragam reflexão sobre a importância de tais assuntos para sociedade. Nós acreditamos que obras que envolvam as classes minoritárias saiam na frente das demais. Por isso, convidamos pessoas envolvidas nessas lutas para aprofundar esses assuntos e contribuir nas futuras produções que incluam esses temas", complementa Graziele.

Na ocasião, foi formada uma mesa redonda onde se fizeram presentes a conselheira federal e presidente da Comissão de Infância, Adolescência e Juventude da OAB/SE, Glicia Salmeron, a jornalista, pesquisadora e gerente da igualdade racial da Diretoria de Direitos Humanos da Secretaria Municipal da Assistência Social de Aracaju, Laila Oliveira, a militante do Movimento Transfeminista e representante da Associação em Movimento Sergipano de Transexuais e Travestis (Amo Ser Trans), Linda Brasil e a educadora social da Prefeitura de Aracaju e ativista da Unegro Sergipe, Thaty Menezes. "Pelo que sabemos, Aracaju é a única cidade brasileira que realizou um evento como este a fim de buscar recursos do Governo Federal. Com isso, a nossa capital estará com um passo à frente nessa busca por investimentos na área do audiovisual, além de proporcionar um encontro com essas classes para geração de um diálogo com a expectativa de que essas classes minoritárias estejam mais presentes nas novelas, filmes e séries", afirma a coordenadora do NPD.

Cerca de 25 projetos de Sergipe já estão inscritos nos editais. Para aumentar esse quantitativo, o evento trouxe a produtora audiovisual, Nena Oliveira, que ministrou a oficina ‘Leitura de projetos para o edital SAV 2018'. "Um apoio aos profissionais do mercado, uma iniciativa muito importante que Aracaju está realizando, que vai contribuir para participação nos editais e também funciona como um processo de profissionalização. Indo neste caminho, a cidade entrará definitivamente na pauta do audiovisual nacional. Então, trabalhamos na ideia de ajudar na formatação de projetos que tenham cada vez mais capacidade de concorrência", explica Nena Oliveira.

O evento também exibiu uma maratona de curtas e longas que estarão concorrendo. Segundo a coordenadora do NPD, essa realização é o primeiro passo para motivar os profissionais a participarem dos concursos e  intensificarem as suas atividades na região. "Sem dúvidas é um grande ganho não só para Aracaju, mas para todo estado. Tenho plena convicção de que esse é o primeiro grande estímulo e que certamente nos garantirá bons frutos", avalia Graziele.

Foto Edinah Mary

Da assessoria

  • Medium 249a14d4162c71d66876a5e9eee28593