Sobre João Alves: família já pensa em despedida. Irmã diz que “João é do povo de Sergipe”

23 de Novembro de 2020, 11:09

Embora o ex-governador João Alves ainda esteja vivo, após ser internado em estado grave após ter uma parada cardíaca de 30 minutos, no apartamento em Brasília, a família já se prepara para a despedida.

Para uma das filhas, Ana Alves, disse que diante da importância de João Alves para o estado de Sergipe, ele precisa ter uma despedida digna. “Diante do quadro dele, é inevitável que comecemos a pensar nessas questões. O médico foi muito claro. Os rins dele estão parados e outros órgãos estão entrando em colapso. Meu pai, está ali preso a um aparelho. Por isso o coração dele está batendo”, disse Ana.

Sobre a cerimônia, Ana Alves disse que “minha mãe, a senadora Maria do Carmo, decidiu por cremar o corpo aqui mesmo em Brasília, para que a urna com as cinzas possa ser levada a Aracaju”, explicou.

Já a professora Marlene Alves Calumby, irmã de João Alves, disse que “ele está na UTI, está entubado, uma situação muito grave, vamos pedir a Deus que faça o melhor por ele. por que a gente prolongar algo que não tem jeito é terrível, por que não retorna mais”, lamentou a professora.

A professora pediu que o corpo o irmão não fosse cremado e sim, que viesse para o estado de Sergipe. Marlene Calumby entende que o corpo precisa vir para Sergipe em um caixão. “João não pertence a família. João é do povo de Sergipe”, afirmou.

A professora Marlene defende que o corpo do irmão seja sepultado no túmulo do Construtor João Alves.