siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Sukita sobre Valadares: ele usa máscara de suplente de santo

17 de Maio de 2018, 08:24

O ex-prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita foi novamente condenado à prisão em um processo movido pelo senador Antonio Carlos Valadares (PSB), ainda sobre uma declaração feita pelo ex-prefeito de que o senador teria falsificado sua assinatura de renúncia de sua candidatura a deputado estadual e que inclusive foi eleito, porém não pode assumir por conta da condenação.

Valadares disse que não queria comentar sobre assunto que envolve o ex-prefeito. "Eu não discuto nada com esse moço. Meu advogado é quem resolve, mas essa condenação é porque sua defesa perdeu prazo", disse o senador.

Na manhã desta quinta-feira (17) Sukita voltou a afirmar que a assinatura foi falsificada o que deverá gerar um novo processo, já que  Valadares disse que vai acioná-lo na justiça por insistir nas acusações.

Ao comentar sobre a condenação, Sukita afirmou em entrevista ao radialista George Magalhães, no jornal da FAN, que "Valadares usa a máscara de santo. Isso por inveja porque eu nunca desejei mal para o senador para que ele queira tanto mal a mim", reclamou.

Já o advogado de defesa de Sukita, Emanuel Cacho, afirmou "ouvindo agora nas Rádios entrevistas do Senador Valadares em que ele afirmou que o advogado de Sukita “perdeu prazo” do recurso no processo que ele foi condenado pelo crime de calúnia por ter proferido acusações contra ele, informo ao ilustre Senador e ao público em geral que não perdemos o prazo, na verdade deixamos voluntariamente o processo transitar em  julgado para provar definitivamente em outros processos que a assinatura de Sukita em que o PSB renunciou à CANDIDATURA de SUKITA a deputado estadual em 2014 é falsa. Quem falsificou no PSB não sei", disse o advogado Emenuel Cacho nas redes sociais.

Cacho Concluiu dizendo que "esta prova foi produzida pela Polícia Federal e só veio a público depois que o recurso de Sukita ter sido julgado no TJSE. Assim, de forma contundente, iremos provar que o senador está enganado e comemorou antes do tempo a vitória de uma INJUSTA ACUSAÇÃO, conforme será provado no foro adequado".

Munir Darrage