siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Vereador Cabo Amintas volta a criticar licitação do Forró Caju

16 de Maio de 2018, 16:35

Por Diego Rios

O vereador e líder da oposição Cabo Amintas (PTB) utilizou a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) na manhã desta quarta-feira, 16, para apresentar mais suspeitas que rondam o pregão eletrônico do Forró Caju 2018.

O vereador deu início à sua fala relembrando discursos passados em que colocava em xeque o pregão eletrônico referente ao Forró Caju.

Cabo Amintas também questionou o edital da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog) em que, na tomada de preços, indicava um montante de R$ 95 milhões direcionados à produção de eventos no período de um ano. “Na tomada de preços, chega a se colocar o absurdo de mais de 600 trios elétricos. Que pensamento é esse? Nós vamos ter dois trios elétricos por dia em Aracaju durante um ano?”, questionou Cabo Amintas.

O parlamentar também destacou o fato de que a empresa escolhida no pregão do Forró Caju é a mesma que presta serviços ao estado e tem como sócia uma nomeada do Ipes, enquanto o outro sócio é guia turístico nos Estados Unidos. “Uma sócia é nomeada do Ipes... Pode uma coisa dessas? E o outro sócio serve guia turístico fora do país. Fique aí, empresário sergipano, trabalhando, gerando emprego, querendo disputar uma licitação. E ganha isso!”, disse Amintas.

O líder da oposição na Casa Legislativa salientou também a sua fala do dia anterior, em que discursou sobre a necessidade de um engenheiro no pregão do Forró Caju. “Tenho em mãos o documento do Crea, levado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas. Nele, existe a informação de que, se confirmando o caminho em que se leva esse pregão, tem alguém praticando um ato ilegal na atividade. É necessário um engenheiro para uma estrutura enorme como essa”, afirmou.

Por fim, Cabo Amintas questionou: “Querem convencer a quem com isso?”.