Na Alemanha, um carro elétrico pode sair de graça

16 de Julho de 2020, 17:14

Graças a um pacote de estímulo à economia, em especial à indústria automobilística, elaborado pela Chanceler Angela Merkel, os alemães estão tendo uma oportunidade inusitada: levar um carro elétrico para casa, grátis.

A rede de concessionárias Autohaus König está oferecendo um Renault Zoe em regime de leasing de dois anos por € 125 (cerca de R$ 760) mensais. Isso dá € 3.000 (R$ 18.300) no total, que é o valor exato de um dos subsídios que o governo alemão está oferecendo para os cidadãos que optarem por um carro elétrico. Pode haver outros custos, como depósito, impostos, manutenção, etc. Mas na prática, o governo está pagando o veículo para você.

Desde que a oferta foi anunciada, há cerca de 20 dias, a concessionária já registrou mais de 3.000 pessoas interessadas na oferta, e 300 fecharam contratos. "Teríamos vendido ainda mais se tivéssemos mais vendedores", diz Wolfgang Huber, diretor de vendas de veículos elétricos da rede em Berlim.

A empresa publicou um post em sua página no Facebook pedindo "paciência" aos consumidores. "Esperávamos um aumento nas vendas com os subsídios, mas a demanda realmente nos pegou de surpresa", disse Huber.

Reprodução

Smart EQ ForTwo: um dos carros que está saindo quase "de graça" na Alemanha. Foto: Carfellows

Já o site alemão Carfellows está oferecendo um Daimler Smart EQ ForTwo (2 lugares) ou ForFour (4 lugares) por € 9,90 (R$ 60,50) mensais em contratos de leasing corporativo. Pessoas físicas pagam um pouco, mas não muito, mais: um ForTwo sai por € 31 (R$ 190) mensais.

Segundo Aleksandra O'Donovan, analista de mercado da BloombergNEF, "a União Européia quer 'descarbonizar' o transporte, e as medidas de estímulo à economia tomadas por causa da pandemia de Coronavírus estão permitindo a ela acelerar este processo".

"O preço decrescente das baterias sugere que os veículos elétricos devem ser mais baratos do que os a gasolina a partir de meados de 2020", diz ela. "Depois que isso acontecer, o mercado irá se acelerar mesmo sem subsídios".

FONTE: OLHAR DIGITAL.