siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

O que é som surround? Veja como funciona a tecnologia

06 de Novembro de 2018, 23:32

A expressão surround determina um padrão de som que procura garantir ao usuário maior nível de imersão e uma experiência mais próxima da realidade. A tecnologia funciona tanto dentro de casa quanto na sala do cinema, ou até em fones de ouvido com múltiplos canais de áudio. O nome nasceu de uma tecnologia da Dolby e acabou se espalhando para a indústria.

Atualmente, o termo se tornou sinônimo de áudio de qualidade e múltiplos canais, simulando a reprodução de efeitos e ruídos de várias direções diferentes. Abaixo você vai entender melhor o que é surround, saber como identificá-lo e conhecer outros termos que estão associados a essa tecnologia.

De maneira simplificada, o termo “surround” (que vem do inglês e pode ser entendido aqui como “ao redor”) determina um padrão de som que visa reproduzir áudio a partir de diferentes direções, criando um ambiente que envolve o ouvinte a fim de produzir uma sensação mais imersiva. Esse modo de reprodução pode ser obtido a partir de sistemas complexos com múltiplas caixas de som. Portanto, a tecnologia pode estar presente em salas de cinema, espaços com home-theater ou até fones de ouvido que simulam a experiência – o chamado surround virtual.

Qual a vantagem?

 

A vantagem de sistemas de som surround está vinculada à ideia de imersão, possibilitando ao usuário uma experiência mais natural e precisa com relação ao conteúdo consumido, que pode ir desde jogos a músicas.

No cinema, por exemplo, o efeito fica em evidência: ao ouvir um determinado som ou ruído vindo de uma direção específica da sala, o recurso está sendo usado para criar a sensação de estar participando da cena. Outra situação comum em games do tipo FPS, em que a experiência surround pode aumentar sua percepção durante o jogo.

As músicas, por sua vez, ganham maior qualidade de reprodução com a tecnologia. Com o surround, é muito mais fácil diferenciar instrumentos, vozes, efeitos, entre outros aspectos das canções. Dependendo do tipo de som e do tipo de arquivo utilizado, a experiência pode ser ainda mais caprichada.

Para que um sistema de som seja surround, ele precisa ser capaz de reproduzir (ou simular) áudio partindo de várias direções. Para que isso seja possível, é preciso que seu aparelho tenha múltiplos canais, como é o caso de home-theaters 5.1 ou 7.1, assim como fones de ouvido gamer de alta qualidade e com essa mesma contagem.

Essa indicação de 5.1 ou 7.1 representa o número de canais reconhecidos ou usados, além do subwoofer, responsável pelos graves. Logo, se um sistema tem classificação 7.1, são 7 alto-falantes e uma caixa maior que reproduz apenas as frequências mais baixas. Vale lembrar que, para o funcionamento desse tipo de tecnologia, é essencial que o conteúdo reproduzido tenha áudio correspondente; seja 5.1, 6.1 ou 7.1.

Além desses termos, é possível que você veja por aí nomes comerciais como DTS, Pro-Logic, Atmos, entre outros. Esses termos referem-se a tecnologias de processamento do som e, embora tenham algum efeito na qualidade de reprodução, na verdade são bastante parecidos com relação ao conceito básico de surround.

Headphones 5.1 e 7.1: diferença entre surround real e simulado

Existem dois tipos de som surround para headphones. O chamado real, que envolve efetivamente o uso de drivers (representando aqui os alto-falantes) diferentes dentro do fone e o virtual, que simula o efeito do surround a partir do processamento do som.

O primeiro caso é mais exclusivo, já que o design e a fabricação de fones com o recurso precisam de um total de 10 ou 14 alto-falantes. A vantagem fica por conta do som de ótima qualidade, enquanto os preços representam um ponto negativo desse tipo de uso da tecnologia. Além disso, o consumo de bateria também aumenta consideravelmente.

Já os chamados surround virtuais, usados em fones de ouvido 5.1 ou 7.1, não passam pela mesma situação. Os aparelhos não possuem múltiplos alto-falantes, obtendo o efeito a partir de uma simulação digital que recria a experiência. Embora a qualidade não seja a mesma, a solução é bastante comum em headphones gamer. O surround virtual também pode aparecer em dispositivos como notebooks e TVs, mas dificilmente terão o mesmo efeito, uma vez que há apenas uma saída de som frontal.

 

2.1 é surround?

 

Não. Ou, pelo menos, não no mesmo patamar de um sistema de seis ou oito canais. A razão para isso é que com apenas duas faixas, esse sistema não terá como emitir som para tantos canais diferentes. Nesse caso, é o efeito estéreo, padrão para TVs, smartphones premium, notebooks ou fones de ouvido mais simples.

FONTE: Tech Tudo.

 

  • Medium 330b9fd426633af4378df4ebca1c0487
  • Medium da175efa7a5ae56cacf9a5f0a02c625f
  • Medium 8ec007e8d9e99fc6bd39c8b4bed14fec
  • Medium 6af8383aa2b19c0e8f8e20f34c0a591f