siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Belivaldo busca fortalecer hospitais regionais de Sergipe

12 de Maio de 2018, 09:12

Governador visitou unidades hospitalares de Estância com a intenção de conhecer a realidade de cada uma de perto

Após participar das ações do Governo em Ação e Minha Comunidade Segura, em Estância, o governador Belivaldo Chagas visitou as principais unidades de saúde do município, o Hospital Regional Dr. Jessé de Andrade Fontes e o Hospital Regional Amparo de Maria (HRAM). A intenção do governador foi conhecer a realidade de cada unidade de perto para poder otimizar a assistência à saúde no Sul sergipano.      

"O objetivo da nossa visita hoje foi para compreender de perto o funcionamento das duas unidades e de que forma a gente pode agir para que as duas funcionem interligadas, para que o serviço que tem em um não se repita em outro, desnecessariamente. Se você tem um serviço que pode realizar no Jessé Fontes, vamos realizar lá. O que não tiver lá, a gente cumpre no HRAM. Com isso, ele vai funcionar em sua plenitude, de maneira integrada, e todo mundo vai sair ganhando. A população agradece", explicou o governador.

As visitas fazem parte do diagnóstico que deverá apontar as necessidades e competências das unidades de saúde do Estado, com intuito de reorganizar melhor a rede melhorando, assim, a qualidade de atendimento à população. Nesse contexto, é essencial, de acordo com o governador, o fortalecimento dos hospitais regionais de Sergipe. “Ou fortalecemos os regionais ou o Huse não aguentará. Pedi a Valberto que reúna os superintendentes de cada unidade para eles poderem falar sobre as principais prioridades de cada unidade para podermos resolver”, defendeu Belivaldo.

Segundo o secretário de Estado da Saúde em exercício, Valberto Lima, as visita de hoje comprovam o empenho do governador para resolver as urgências da área da saúde. “Nós estamos fazendo reuniões de forma permanente, ouvindo e dando valor ao que estamos ouvindo, como determinou o governador, para identificarmos aquilo que a gente pode exigir e trabalhar de forma imediata e aquilo que a gente fará para otimização nos serviços”.

Jessé Fontes                                                     

No Jessé Fontes, a orientação, após o detalhamento das carências e resoluções emergenciais, é colocar para funcionar a capacidade ociosa.  “Temos que discutir essa situação específica de Estância, pois esse hospital atende a toda uma região. Vou analisar, via relatórios, o que vi aqui agora e buscar uma providência imediata junto ao secretário de Estado da Saúde e a Secretaria de Fazenda, que precisa disponibilizar recursos para que a gente faça funcionar em sua capacidade essa unidade hospitalar também”, afirmou o governador.

Conforme o superintendente do Regional de Estância, Danilo da Conceição, nos últimos anos a demanda da unidade só aumenta. “ O Jessé fontes foi inaugurado em 2011. Foram 58.176 atendimentos em 2012; 46.546 em 2013; 44.094 em 2014 e 53 mil atendimentos em 2015. Já em 2016, registramos 70.232 atendimentos e 72.766 atendimentos em 2017. Se você fizer o comparativo de 2018, até o dia 29 de abril, comparado ao mesmo período do ano passado, a gente já teve um aumento de quase dois mil atendimentos, então a previsão é que esse ano o aumento seja muito grande. Creio que isso se deva aos PSF dos municípios da região, pois poucos estão funcionando, por questão de falta de medicamento e demais problemas que as prefeituras estão tendo. Isso está acarretando muito atendimento aqui no hospital. Mas temos condições de aumentar o atendimento com o apoio que o Estado nos dará. Com relação as cirurgias, por exemplo, atualmente realizamos em torno de 80 ao mês. Porém temos capacidade de operar 200 cirurgias mensalmente com a estrutura adequada”.

Amparo de Maria                                  

Belivaldo informou que, após conversar com os superintendentes dos dois hospitais, agora vai sentar com os técnicos do governo e buscar uma solução para tentar resolver os problemas apresentados. "Tive boa impressão do HRAM e do Jessé, dos técnicos, dos profissionais que têm boa vontade, mesmo com os problemas enfrentados. Mas, a gente não pode ficar com essa situação o tempo todo. O Amparo de Maria é uma unidade filantrópica e tem que se organizar administrativamente para isso acontecer. Por que ja foi feita uma intervenção há quase 14 anos para tentar resolver esse problema. O que eu quero é ajudar. Lembrando que a unidade hospitalar que pertence ao Estado não é o HRAM, é o Jessé Fontes, mas nós também precisamos do serviço do Amparo de Maria. O que a gente quer é comprar o serviço, mas só vamos comprar se puder ser executado”.

O interventor Judicial do Amparo de Maria, Joaldo Santos, elogiou a iniciativa do chefe do Executivo estadual. “É o primeiro governador que efetivamente visita o hospital para conhecer os problemas e discutir como resolvê-los. É um fato muito importante e a expectativa é que a gente possa conseguir solucionar essas questões, porque é o olhar do governador. O governador, em seu primeiro mês de gestão, já veio fazer uma visita a nossa unidade. É um fato a ser comemorado”.

Foto: Jorge Henrique

  • Medium b83b3d0f04775d93e6b8526002b187a1