siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Cuidados com a saúde no carnaval, recomenda Dr. Almir Santana

10 de Fevereiro de 2018, 07:21

Por Dr. Almir Santana

Chegou o tão esperado carnaval, a festa que mais as pessoas mudam de comportamento. A preocupação com diversão é tanta que é fácil se esquecer dos cuidados mais básicos com a saúde.

Algumas informações são de grande importância, para que os dias da folia não tragam consequências para a vida.

Proteja-se do Sol

Se for curtir a folia durante o dia, para prevenir queimaduras de sol, opte pelo uso de chapéus, roupas leves e protetor solar.Alimente-se bem

Para manter a energia e a saúde, é preciso tomar cuidado com a alimentação. Prefira refeições leves, que facilitem a digestão, e evite alimentos ricos em gorduras e sal. Cuidado especialcom preparações que contenham molho, maionese, embutido e camarão, que são os que mais provocam intoxicação alimentar.Um bom café da manhã é o primeiro passo para aguentar o ritmo do dia.

Descansebem

Passar muitas horas sem dormir prejudica a saúde. Faça pausas para repor a energia. Com algumas horas de sono você acorda disposto (a)para continuar aproveitando o Carnaval.

Hidrate-se bem

 Durante a folia não se esqueça deingerir líquidos. Beba muita água mineral, água de coco, sucos naturais da fruta e bebidas isotônicas.

Não abuse das bebidas alcoólicas

Tanto para a saúde como para o comportamento, o abuso das bebidas alcoólicas traz consequências. Entre os perigos do consumo abusivo de bebidas alcoólicas estão: intoxicação alcoólica; gastrite aguda; vômitos; pancreatite e coma alcoólico. Quem gosta de bebidas alcoólicas deve intercalar com água para evitar a desidratação, a embriaguez e a ressaca do dia seguinte. Usar bebidas alcoólicas com oestômago vazio também é prejudicial.O consumo excessivo de bebidas alcoólicas pode resultar em acidentes, discussões e situações constrangedoras no meio da folia. Por isso, se for beber, beba com moderação e não dirija.

Cuidado com uso de medicamentos e bebidas alcoólicas

“Evite tomar, antes de usar bebidas alcoólicas, medicamentos que “anunciam “ evitar a ressaca”. Não há comprovação científica do efeito deles, além de trazerem consequências ruins para o fígado e rins.Cuidado com o uso do Paracetamol, pois o mesmo pode causar hepatite tóxica, ainda mais associado ao álcool.  O uso de anticoncepcional junto com a bebida alcoólica, reduz o nível sanguíneo dos hormônios contidos nas pílulas, favorecendo a uma gravidez não planejada.

Álcool e energéticos: uma mistura arriscada

Os energéticos possuemcafeína que, juntamente com bebidas alcoólicas, pode causar arritmias e palpitações cardíacas, e piorar os sintomas de queimação no estômago e gastrite. Os energéticos também levam a pessoa a beber mais, favorecendo a uma maior intoxicação pelo álcool.

Acidentes na água

Evite nadar sozinho; Evite abusar dasbebidas alcoólicas antes de entrar na piscina ou mergulhar no mar; Não se afaste da margem; Não salte de locais elevados para dentro da água;  Não tente salvar pessoas em afogamento, sem estar devidamente habilitado;Não deixe crianças sozinhas na praia ou piscina, sem a presença de um adulto responsável;Somente conduza embarcações, se for habilitado e se não tiver ingerido bebidas alcoólicas, e permaneça longe dos banhistas; Não conduza veículos na areia da praia.

A “Doença do Beijo” cresce durante a folia

É frequente, principalmente em blocos carnavalescos, a competição de beijar o maior número de pessoas. Existe a Mononucleose, conhecida por “a doença do beijo” que aumenta no período de carnaval.Causada pelo vírus Epstein-Barr, pode provocar aumento dos linfonodos (gânglios) do pescoço, febre, infecção da garganta e da faringe.Também pode aumentar a incidência de Herpes labial por essa prática de beijar muitas pessoas aleatoriamente.

Sexo Seguro

O clima carnavalesco é propício paradescontração e pode “rolar” apaquera, associado à ingestão de bebidasalcoólicas,o quefacilita a aproximação entre as pessoas etambém a possibilidade de relação sexual, sem o uso do preservativo, o que aumenta o risco de transmissão de diversas infecções, entre elas, a sífilis, a gonorreia, o condiloma (HPV), herpesgenital, que por causarem lesões nos órgãos genitais, também servem de porta de entrada para o vírus da AIDS. As hepatites virais também podem ser transmitidas sexualmente. Portanto, andesempre com o preservativo e saiba usar corretamente.

Candidíase Vaginal aumenta no verão

É que a combinação de calor com biquíni molhado favorece a proliferação dos fungos que causam a infecção na vagina. A coceira na região se torna tão intensa que algumas mulheres até se machucam. É importantetrocar a roupa de banho molhada assim que sair do mar ou piscina, se possível, lave e seque a região Íntima.

  • Medium 616f629943b32d352ba596a15f5ae1a0