Nutricionista alerta pais na prevenção contra a obesidade infantil

13 de Outubro de 2020, 14:08

A obesidade é o acúmulo de gordura no corpo causado quase sempre por um consumo de energia na alimentação, superior àquela usada pelo organismo para sua manutenção e realização das atividades. Preocupada com o que a obesidade pode ocasionar para a saúde das pessoas, a nutricionista pediátrica do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), Maria de Lourdes Alves, explica que os excessos de alimentos industrializados, ricos em açúcares e gorduras, além da irregularidade nos horários das refeições, são prejudiciais à saúde.

"Comer de forma saudável é muito importante, principalmente para a criança que está em fase de crescimento. Os pais têm uma tendência a dar alimentos industrializados aos filhos. Fruta dá trabalho, demora a fazer o suco e mesmo que seja da fruta, as mães adoçam demais, quando a criança chega aqui na pediatria o paladar dela está totalmente alterado, sempre pede mais açúcar. Outra questão é o mingau com multicereais, eles são ricos em açúcares e as mães ainda acrescentam mais. Os pais devem estar atentos a tudo isso e principalmente regrar os horários para se alimentar", explicou a nutricionista.

 A nutricionista pediátrica informa, ainda, que quando a criança chega à pediatria é realizado um trabalho de conscientização nutricional. As mães são orientadas sobre a importância da alimentação mais saudável para que a criança não adoeça com muita frequência. A partir do diagnóstico é iniciado um trabalho de conscientização com as mães.

 "Esse trabalho de conscientização não é fácil nem para a mãe nem para a criança, muito menos para a equipe, já que ela está acostumada a comer lanche. O ambiente é diferente de casa, de onde ela está acostumada a conviver, mas a gente também vê grandes resultados aqui", enfatizou Maria de Lourdes.

 Para Sheila Pimentel, 44, a filha M.L.P, 7, foi operada de apendicite e precisou ficar aos cuidados da pediatria. Com uma dieta equilibrada para a pequena, comer foi um sacrifício. "Minha filha é muito ruim pra comer, a comida dela chega todo deliciosa com inhame, ovos, queijo, café com leite, arroz, pure, uma carne muito saborosa, fruta, suco, e ela só gosta de pão e café. Já tentei de todas as formas pra ela comer um mingau, uma comida mais nutritiva, mas, é bem complicado", ressaltou a mãe da criança.

 Cardápio

 O cardápio servido na Pediatria do Huse é vasto e variado, além de ser nutritivo. As crianças têm a possibilidade de escolher as frutas, por isso, os nutricionistas além de servirem frutas regionais (banana, melancia, melão, tangerina, mamão) eles oferecem outras opções como pêra e ameixa. Há ainda o café da manhã, quando são servidos alimentos como macaxeira, batata-doce, inhame, banana da terra, arroz-doce, entre outros.

 Outro ponto importante é a criança se alimentar e aprender a comer junto com a mãe para que seja estimulado. Na Pediatria do Huse são fornecidas seis refeições: café da manhã, colação (lanche da manhã), almoço, lanche da tarde, jantar e a ceia (lanche noturno). É servido suco da fruta, não industrializado. Para a criança que está acima do peso é oferecido iogurte desnatado, já para a criança diabética, o suco é diet.

 "Para as crianças que estão abaixo do peso, com anemia ou com alguma necessidade mais elevada de vitaminas e minerais, o hospital também fornece suplementos que são os nutricionais e elas se recuperam muito bem, até aquelas que chegam com problemas de verminose", ressaltou a nutricionista Maria de Lourdes.

É fundamental criar a rotina, esse alerta é dado pela nutricionista pediátrica. "A alimentação tem que ser saudável para todos. É preciso criar a rotina de comer a cada três horas e não quando sentir fome, pois isso vai acarretar problemas nutricionais", concluiu a nutricionista.

 SES - Foto: internet