siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Paciente diz que foi humilhada e que “Almeida Lima não tem coração”

09 de Maio de 2018, 05:35

Uma paciente que faz tratamento oncológico no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) acusou o secretário de estado da saúde, Almeida Lima, de tê-la constrangida na tarde desta terça-feira (08), após chamá-la para uma conversa que segundo ela, esperava ser sobre o tratamento.

Edilma fez as acusações em entrevista ao jornalista Marcos Couto, no Cidade Alerta Sergipe, onde afirma que foi surpreendida na tarde desta segunda-feira (07) quando recebeu um telefonema da secretária de Almeida Lima e que teria dito a ela (Edilma) para que fosse até a sede da SES que o secretário gostaria de falar com ela.

No final da manhã desta terça, Edilma foi até o “Taj Mahal” como ficou conhecido a nova sede da SES, e lá, segundo ela, foi submetida a uma série de humilhação, já que ao chegar para a suposta reunião com o secretário, ele (Almeida) teria reunido dezenas de funcionários para assistir a cena onde ele mostrava uma entrevista que ela teria concedido e a partir dai fazia vários questionamentos.

Durante a entrevista, aparentando muito nervosismo, Edilma conta que “eu cheguei lá por volta das 11 horas de hoje e achei que era para saber a data em que seria feito meu exame. Mas não foi isso que aconteceu. Lá ele me mostrava um telefone e me perguntava: onde vai sair a reportagem? em qual televisão?. A televisão não da medicamentos. Eu fiquei morrendo de vergonha e paralisei. Quando ele começou apresentar o vídeo, minhas pernas travaram”, contou a paciente ainda em estado de choque.

Ao ser questionada sobre o que teria provocado a fúria do secretário Almeida Lima, Edilma disse que pode ter sido por conta de uma conversa de seu irmão que estaria cobrando tratamento.

Ainda durante o desabafo, ela diz que foi surpreendida e que “fui pensando que ia pegar uma autorização para fazer o exame. Ele não me deixava falar. Foi muita gente. Foi uma platéia para mim. Secretário, eu sou humana. Eu não tenho medo da doença. Eu tenho medo do descaso”, lamentou.

Edilma encerrou afirmando: “Almeida Lima, eu sou mulher, mãe, filha. Almeida Lima, o senhor não tem coração”, disse.