siga nossas
redes sociais:
FacebookTwitter

Roda de conversa resgata história do curso de Serviço Social

13 de Maio de 2018, 08:41

Um momento de resgate da história do curso de Serviço Social, perpassando pelas lutas sociais em Sergipe e no Brasil e pela própria história da UFS. Assim foi a roda de conversa sobre os 64 anos do curso na UFS, realizada na noite do último dia 10 de maio.

Com uma massiva participação de profissionais e estudantes de Serviço Social, a roda de conversa abordou diversas temáticas sobre o fazer profissional e acadêmico da categoria a exemplo do papel da Universidade na pesquisa, ensino e extensão, o movimento estudantil e a gestão. A roda de conversa contou com profissionais e professoras do DSS/UFS, que relataram suas experiências na pesquisa no ensino e na extensão, assim como do movimento estudantil.

A mediadora da mesa, Maria da Conceição Vasconcelos Gonçalves, a professora Lica, explicou que a intenção do debate foi trazer fatos presentes e do passado como forma de provocar reflexão sobre a profissão e o espaço de formação profissional, utilizando um método que prioriza a polifonia. “A roda de conversa expressa o diálogo e a escuta de diferentes sujeitos”, resumiu a professora.

Para a presidente do CRESS Sergipe, Joana Rita Monteiro, a aproximação entre conselho e universidade simboliza uma frutífera parceria. Ela ressalta que ambas as instituições possuem trajetórias marcadas pela defesa da democracia e da transformação da realidade. “A Universidade e simboliza a liberdade e de resistência contra a retirada de direitos democráticos. Este é o lócus privilegiado do conhecimento e por aqui passaram grandes formuladores, profissionais e intelectuais”, resumiu Joana.

A chefe do Departamento de Serviço Social (DSS) da UFS, professora Noêmia Lima Silva, destacou a importância de a instituição formadora e o conselho da categoria construírem conjuntamente a Semana do/a Assistente Social 2018, pontuando que a atuação das duas entidades deve estar intrinsecamente relacionada, sobretudo no momento por que passa o país, marcado pelo retrocesso de direitos e ameaça à democracia. “É preciso ter mais que ‘união’. É preciso que tenhamos uma conjunção, uma junção de esforços, para que nossos profissionais tenham em sua formação, em sua formação continuada e na sua ação cotidiana o enfrentamento da questão social”, apontou.

Ela avalia que cada estudante e cada assistente social deve ter compreensão do papel da categoria em seu fazer profissional e no enfrentamento às desigualdades. “Essa compreensão passa tanto pela academia - pela formação - quanto pela luta política, implementada pelo conselho e pelo sindicato. Por isso, um momento como este é um estímulo para os estudantes perceberem que a universidade não é apenas a sala de aula, da mesma forma que a profissão não é somente o mercado”, apontou.

 “Nossa profissão é forjada nos movimentos sociais, nossa categoria tem dado ao longo das últimas décadas profunda contribuição para enfrentar não apenas as expressões da questão social, mas para as lutas em defesa da democracia, das liberdades individuais e dos direitos humanos”, complementou a presidente do CRESS.

História

Ela destacou alguns marcos e traçou um breve histórico do curso de Serviço Social. “Em 1954, nosso curso foi criado. Este curso, da UFS, foi o primeiro curso de Serviço Social no Estado. Em 1967, nossa então escola de Serviço Social passou a ser denominada Faculdade de Serviço Social. Em 68, ela foi incorporada com mais seis cursos para a criação de nossa universidade, que este ano completa 50 anos. Em 78, atendendo uma reforma administrativa do MEC, a universidade instituiu a departamentalização, e assim nosso curso passou a ser chamado Departamento de Serviço Social”, historicizou.

Semana do/a Assistente Social

A Roda de Conserva integra a programação da Semana do/a Assistente Social 2018, realizada pelo CRESS Sergipe, em parceria com o Departamento de Serviço Social da UFS, e o Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira da Funcaju. O evento segue até o dia 17 de maio, com uma vasta programação.

Promovido pelo Conselho Regional de Serviço Social 18ª Região – Sergipe, o evento é uma forma de marcar a passagem do Dia do Assistente Social, comemorado em 15 de maio. Ele é realizado em todo o país pelo conjunto CFESS-CRESS e, em Sergipe, conta com a parceria do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe e do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira.

Na programação, constam ainda a Palestra Magna do evento, no dia 15 de maio, no MPE, além de minicursos, atividade cultural Ocupe a Praça em homenagem à Assistente Social Ana Cortes e lançamento de livros.

Por Débora Melo

Foto assessoria