Saúde Estadual  reforça a importância de estar imunizado contra o Sarampo

26 de Novembro de 2020, 15:02

Além da pandemia do novo coronavírus, a população deve se preocupar, também, com o Sarampo, doença infecciosa aguda, de natureza viral, altamente contagiosa e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. Na última campanha de vacinação a meta de cobertura ficou aquém do objetivo estabelecido pelo Ministério da Saúde. Das doses aplicadas, a Tríplice Viral (Sarampo) teve um desempenho muito abaixo do esperado, com 257.680 doses aplicadas, o que corresponde a 27,5%.

Seguindo esse contexto, o gerente de Doenças Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde (SES), João Lucas Tavares de Lima, destaca a importância das pessoas se manterem imunizadas. Dos 13 casos notificados este ano, oito foram confirmados e cincos descartados. Os municípios com casos confirmados foram Lagarto (um) e Simão Dias (sete), segundo informou o gerente de Doenças Transmissíveis da (SES), que destacou a ausência de óbitos por sarampo no Estado de Sergipe até o momento.  

Tavares lembrou que em 2019 o Estado de Sergipe registrou seis casos confirmados de sarampo, que ocorreram nos municípios de Estância (dois), Areia Branca (um), Capela (dois) e Aracaju (um). “Trata-se de uma doença viral altamente contagiosa, isso porque o vírus é transmitido por meio do contato direto ou pelas vias aéreas, basta que a pessoa infectada respire, tussa ou mesmo espirre. A doença evolui de forma rápida e pode ter complicações graves, principalmente entre os pequenos” destaca Lucas.

A melhor forma de evitar o sarampo é vacinar-se, enfatiza Tavares, que com a chegada da vacina, a expectativa de vida aumentou e, durante um surto, é responsável pelo rápido controle do vírus. “A meta das autoridades sanitárias é que 95% da população fossem vacinadas para conter o avanço do sarampo, o problema foi à adesão às campanhas de vacinação terem reduzido, o que abre espaço para novas infecções” enfatiza.

Lucas explica que as vacinas existem para reduzir o risco de enfermidades graves. "Quando a comunidade se conscientiza disso, ela percebe ser parte fundamental das ações, para quem não se imunizou no período da campanha a vacina está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), leve o cartão de vacina e não se esqueça de fazer o uso da máscara e higienizar as mãos sempre que possível”, conclui.

Sintomas

A doença  é caracterizado por  febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido, falta de apetite e mal-estar intenso. No início podem ser observadas, na parte interna das bochechas, manchas brancas que são características da doença. Em 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo.

Controle

São medidas de controle para o sarampo: a notificação imediata em até 24 horas para as secretarias municipais e SES dos casos suspeitos pelo profissional de saúde; a coleta de amostras (soro, swab e urina); isolamento domiciliar do caso suspeito ou confirmado por sete dias após o início do exantema; e o bloqueio vacinal seletivo oportuno em até 72 horas após o contato com o caso suspeito ou confirmado.

Fonte e foto SES